F1 planeja introdução de 'DRS reverso' em 2026

Entre seus planos aerodinâmicos, categoria planeja 'prejudicar' rendimento dos carros dos líderes para ter melhores batalhas

Sergio Perez, Red Bull Racing RB18, Fernando Alonso, Alpine A522

Os chefes da Fórmula 1 estudam abertamente a possibilidade de introduzir a aerodinâmica ativa desde o início da próxima era regulatória que chegará em 2026. É a possibilidade de modificar ou alterar a forma de algumas partes do carro durante uma volta para melhorar o seu desempenho.

Leia também:

Foi originalmente falado como uma forma de ajudar a melhorar a eficiência de combustível, criando carros capazes de rodar em uma configuração de baixo arrasto nas retas e, em seguida, mudar para uma configuração de alta pressão aerodinâmica nas curvas. Mas a F1 está pensando em ir muito além e usar a aerodinâmica ativa para ajudar a melhorar o espetáculo das corridas.

Muito provavelmente será usado como substituto do DRS, para ajudar a melhorar o desempenho dos carros que seguem os outros, seja tirando menos asa nas retas ou até mais nas curvas. No entanto, também está sendo analisada a ideia de ser implementada como uma forma de desacelerar o líder para que ele tenha uma competição mais acirrada atrás dele.

O CEO da F1, que já anunciou sua aposentadoria, Ross Brawn, revelou que está pensando em usá-lo como uma forma de reduzir o downforce nos carros que estão liderando para garantir que eles não escapem facilmente.

Carlos Sainz, Ferrari F1-75

Carlos Sainz, Ferrari F1-75

Photo by: Alessio Morgese

Em entrevista exclusiva à revista Autosport esta semana, Brawn disse que os chefes da F1 começaram a pensar na melhor maneira de usar a aerodinâmica ativa.

“Uma das grandes coisas sobre o carro de 2026 é a introdução de aerodinâmica ativa”, disse Brawn. "Acho que é uma etapa de eficiência muito atraente. Ainda precisa ser trabalhado para ver como isso pode ser feito e se pode ser feito com segurança e previsibilidade. Mas, aerodinâmica ativa, atualmente temos com DRS."

"Mas você pode fazer algo muito mais significativo?

"Se você tem aerodinâmica ativa, então é claro que você pode afetar o carro da frente. Você poderia estabelecer uma distância de proximidade que uma vez que você se aproxime até certo ponto, o carro da frente perde um pouco de downforce e você ganha um pouco de downforce. Há truques com os quais você pode brincar. Ela se torna uma oportunidade."

"Não estou dizendo que vamos fazer isso, mas é uma possibilidade. Portanto, o carro de 2026 será uma lição aprendida com o que temos agora e acho que vamos incorporar alguma forma de aerodinâmica ativa."

Essa ideia de aerodinâmica ativa, do que se poderia chamar de 'DRS reverso' ao reduzir o desempenho aerodinâmico do carro da frente, teria que ser cuidadosamente avaliada antes de ser implementada. Mas Brawn disse que uma equipe de especialistas da FIA, incluindo o chefe de aerodinâmica Jason Sommerville, que mudou da F1 para a FIA, estava mais do que pronta para se aprofundar e entender completamente as implicações.

“No final, chegamos à conclusão de que era melhor ele estar com a FIA, porque eles teriam acesso total aos dados”, disse ele sobre a mudança de Sommerville. "Não haveria problemas de confidencialidade. Não que houvesse antes, mas agora estamos na fase de implementação, Jason e seu pessoal precisam ver os dados reais dos carros. E dentro da FIA eles podem fazer isso."

"Eles estão muito comprometidos em ser competitivos. Às vezes recebo uma mensagem de texto... como na corrida sprint no Brasil, quando Jason me mandou uma mensagem dizendo: 'Corrida fantástica, estou muito feliz em ver os carros rodando tão bem' e esse tipo de coisa. Então, eles são apaixonados por garantir que tenhamos carros dignos de corrida. Eles viram a luz".

VÍDEO: Ricciardo será sombra para Pérez na Red Bull?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #206 – Saída de Binotto resolve os problemas da Ferrari?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior ANÁLISE: Leclerc não exige ser primeiro piloto, mas com novo chefe isso deve mudar
Próximo artigo F1: Chefe da Haas lançará livro "Surviving to Drive" em abril de 2023

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil