F1: Por dentro da nova fábrica de R$ 1,2 bi da Aston Martin

Saiba como nova fábrica pode fazer equipe de Lawrence Stroll subir de patamar no grid em pouco tempo

Aston Martin Silverstone factory rendering

Desde que Lawrence Stroll revelou seu plano de trazer o nome Aston Martin de volta à Fórmula 1, as ambições da equipe têm sido tudo menos pequenas.

Em seu primeiro ano como Aston Martin após a reformulação da marca Racing Point, o tetracampeão mundial Sebastian Vettel chegou para as duas últimas temporadas de sua carreira na F1. Para 2023, seu lugar será ocupado por Fernando Alonso, outro grande nome que deixou a Alpine.

Leia também:

Em março de 2021, Stroll delineou um plano de cinco anos para a Aston Martin brigar por títulos da F1, com grande parte do projeto sendo uma nova fábrica de última geração. Em setembro passado, foi iniciada a construção no terreno de 37.000 metros quadrados em torno da fábrica existente em Silverstone, que já foi a casa da distante antecessora da equipe, Jordan, com o objetivo de colocá-la em funcionamento em 2023.

Na semana passada, o Motorsport.com estava entre um seleto grupo de mídia para visitar a nova fábrica da Aston Martin e ver como os planos estavam avançando para o que promete ser uma virada para a equipe em sua luta por títulos mundiais.

Quando tudo começou em Silverstone, Stroll explicou que queria que a nova fábrica da Aston Martin fosse “o inverso do que Ron Dennis fez” com o McLaren Technology Center em Woking: priorizando a função, não a estética.

A fábrica está sendo construída em três partes, a primeira das quais deve ser concluída em maio de 2023. Este será o prédio principal da equipe de corrida, onde o carro será projetado e de onde todas as principais operações serão realizadas. O segundo prédio abrigará o novo túnel de vento, que deve ser inaugurado no terceiro trimestre de 2024, antes que um terceiro prédio seja aberto como uma experiência para funcionários e espaço para eventos no local da fábrica existente. Os três edifícios serão ligados por pontes.

Embora ainda haja muito a ser feito antes de ser inaugurado, o edifício principal está tomando forma rapidamente. A equipe de corrida baseará suas operações no andar térreo e está fortemente envolvida em garantir que o projeto do edifício atenda às suas necessidades e que haja o fluxo correto entre todos os departamentos. Pequenos detalhes como a colocação de armários ou gavetas podem ter um grande impacto nos processos de trabalho, tornando importante que sejam considerados e implementados de acordo. É função sobre moda.

No andar de cima da fábrica haverá um escritório técnico em plano aberto, algo que o diretor técnico Dan Fallows, ex-Red Bull, acredita que pode ser propício para incentivar a criatividade quando se trata de design de carros. “Já estive em um escritório grande e aberto antes, com a capacidade de poder andar e conversar com as pessoas com muita facilidade”, disse ele. “Faz uma grande diferença em termos dessas interações, particularmente aquelas interações fortuitas em que você pode conversar com alguém sobre uma coisa e passar para muitas outras coisas. Muitas vezes acabam sendo as conversas mais criativas. Isso é o que estamos tentando construir, realmente.”

Correndo pelo coração da fábrica principal está uma 'rua' central de 160 metros de comprimento que manterá todo o edifício conectado, evitando os layouts labirínticos vistos em outras fábricas da F1. Elementos como a colocação das janelas voltadas para o norte para serem mais gentis nas telas dos computadores e impedir o ganho solar, também foram considerados tendo em mente a força de trabalho. O nível superior tem janelas que oferecem vistas do campo de Northamptonshire e, da varanda do escritório de Stroll, onde muitas das decisões desta equipe serão tomadas no futuro, uma vista da pista de corrida de Silverstone.

Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
Aston Martin Silverstone factory tour
40

Será a melhor fábrica da F1? É uma pergunta “fácil de responder”, de acordo com o chefe da equipe, Mike Krack: “Sim”.

Mas, por mais impressionante que a fábrica esteja se tornando, a verdadeira medida de seu sucesso virá do que ela produzir por meio dos futuros carros Aston Martin F1.

O AMR23 está programado para ser o último carro a ser projetado e produzido na fábrica existente, com a mudança na próxima primavera significando que o modelo 2024 sairá da nova instalação. Em 2025, o carro terá se beneficiado do uso do túnel de vento mais moderno da F1. A McLaren também está construindo um novo túnel de vento, o que significa que apenas duas equipes terão instalações construídas na última década.

“Não há dúvida de que será uma instalação de classe mundial, e ter acesso a isso 24 horas por dia, sete dias por semana, é obviamente muito importante”, disse Fallows. “À medida que melhoramos e nossos túneis de vento, a disponibilidade que temos das restrições de teste aerodinâmico diminui.”

“Mas ter suas próprias instalações significa que você também pode fazer outros experimentos, o que é inestimável, e algo que não temos necessariamente o luxo de fazer no momento em que compartilhamos o túnel com outra equipe.”

Colocar tudo sob o mesmo teto é um passo importante para a Aston Martin. Embora não pretenda abandonar sua abordagem de trabalhar com a Mercedes para sua unidade de potência e algumas peças listadas no futuro imediato, acreditando que não são grandes desvantagens, as coisas sob seu controle agora receberão grande atenção.

“Temos a capacidade quando tudo está no local, de podermos ser muito mais detalhados em termos de análise e detalhamento do processo de produção, analisando isso de uma forma que nos permite melhorar muito mais do que se você estivesse usando pessoas externas”, explicou Fallows. “Essa é provavelmente a principal diferença.”

Deve dar à Aston Martin o que precisa para dar o próximo passo à frente. Sua recuperação de um início de ano difícil deu confiança de que está no caminho certo para o próximo ano, embora Fallows tenha dito esperar algumas “diferenças significativas” no AMR23. A motivação oferecida à equipe pelo novo local em Silverstone também é algo que a equipe está aproveitando, realizando visitas regulares para mostrar a seus funcionários como os planos estão progredindo.

“Temos muito impulso”, diz Krack. “Você sente esse espírito quando vem aqui. Acho honestamente que temos motivos para acreditar que podemos continuar nesse caminho.”

Desembolsar cerca de £ 200 milhões em uma nova fábrica é a prova do compromisso de Lawrence Stroll em fazer o projeto Aston Martin F1 funcionar - o que significa que deve ter o longo prazo em mente.

Será a primeira instalação da equipe construída com o novo limite de orçamento da F1 em mente, o que significa que as eficiências criadas ao colocar tudo sob o mesmo teto são ainda mais valiosas. Se os desenvolvimentos puderem ser mais baratos e rápidos, sobrará mais tempo e dinheiro para produzir mais peças ou perseguir novas atualizações, o que levará a equipe adiante na pista.

“Você tem a capacidade de fazer tudo sozinho, mas também pode decidir comprar ou fabricar, e pode fazer as coisas mais rapidamente”, disse Krack. “Portanto, se você pode torná-los também mais baratos, isso significa que você pode fazer mais. Você pode ter uma ou duas atualizações a mais do que antes devido ao tempo e também por motivos financeiros que você não poderia fazer. Desse ponto de vista, acho que é um bom passo.”

Mas Krack sente que os ganhos mais significativos virão do lado humano das coisas, tendo tudo sob o mesmo teto. “Será muito diferente e muito mais fácil”, disse ele. “Desse ponto de vista, concordo plenamente com o uso da palavra ‘game changer’, para dinâmica de equipe e logística.”

Stroll deixou claro ao longo do planejamento e construção da fábrica que ele quer que tudo “pareça a Aston Martin”: deve ter uma certa seriedade, um compromisso com a qualidade e a busca pelo sucesso. À medida que o local se aproxima da conclusão e a equipe se prepara para se mudar no meio da próxima temporada, o ímpeto que está ganhando pode ser uma bola de neve.

À medida que a Aston Martin se prepara para dar o próximo passo e se juntar à elite da F1, sua nova fábrica será um momento importante - e pode muito bem servir como uma declaração de intenções para seus rivais.

Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
Aston Martin Silverstone factory rendering
10

VÍDEO: Ricciardo será sombra para Pérez na Red Bull?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate 'treta' entre Verstappen e Pérez no GP de São Paulo

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Binotto confirma saída do cargo de chefe da Ferrari
Próximo artigo F1: Brown acredita que Red Bull foi escolha certa para Ricciardo

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil