F1: Procedimento confuso com safety car no Bahrein faz Albon pedir revisão das regras

Últimos colocados da corrida no Sakhir ainda estavam longe do pelotão quando bandeira verde foi sinalizada após carro de segurança

Alex Albon, Williams FW44

O piloto da Williams Alexander Albon acha que as regras de safety car da Fórmula 1 podem precisar ser revisadas novamente após o GP do Bahrein, no qual a corrida foi reiniciada antes que os pilotos retardatários se reagrupassem no pelotão.

Na volta 46, o carro de segurança saiu à pista por conta de um incêndio na AlphaTauri de Pierre Gasly. Três voltas depois, o controle de corrida da FIA notificou os retardatários - de Aston Martin, McLaren e Williams - que eles poderiam ultrapassar o safety car e desfazer a volta atrás.

Leia também:

Como de costume, um giro depois dessa mensagem, o carro de segurança foi chamado aos boxes novamente, mas como os citados estavam apenas começando a se recuperar no setor final, isso lhes deu pouco mais de uma volta para alcançar a parte de trás do pelotão novamente, uma tarefa quase impossível.

Isso fez com que Lance Stroll, o líder entre os retardatários, cruzasse a linha de largada cerca de 20 segundos atrás do carro da frente.

Albon, que no momento estava oito segundos atrás do canadense em 15º, questionou se dar aos carros atrás uma janela tão limitada para recuperar o atraso era o caminho certo a seguir, já que os forçou a dirigir em condições de safety car.

Questionado pelo Motorsport.com se estava surpreso por não ter permissão para alcançar o grupo completamente, Albon respondeu: "Em primeiro lugar, em termos de segurança, acho que estava tudo bem, mas estávamos a todo vapor e com o safety car na pista".

"Não tenho certeza se é assim que queremos que seja, mas é claro que vamos pilotar o mais forte que pudermos para alcançar a volta do líder. Não sei se isso melhora ou não. Para mim, piorou, pois espalhou o pelotão, estávamos meio que em nossa corrida lá atrás, longe de todos os outros, então talvez seja algo para analisar."

Embora a regra envolvida faça parte do muito discutido Artigo 55.13 dos regulamentos esportivos da F1, que agora estipula que "todos" em vez de "quaisquer" carros com voltas devem se reagrupar, revisado após a controvérsia do GP de Abu Dhabi do ano passado, a cláusula à qual Albon está se referindo não é realmente nova.

É prática padrão que a mensagem de unlapping seja dada uma volta antes do giro final do safety car, embora, a critério do controle de corrida, o veículo possa ficar na pista por mais tempo caso seja necessário.

O artigo 55.13 diz: "A menos que o secretário do percurso considere que a presença do carro de segurança ainda é necessária, uma vez que a mensagem 'CARROS RETARDATÁRIOS PODEM AGORA ULTRAPASSAR' tenha sido enviada a todos os competidores usando o sistema de mensagens oficial, o safety car retornará à os boxes no final da volta seguinte."

Vitória de VERSTAPPEN? F1 promete ENQUADRAR produção de DRIVE TO SURVIVE após “fabricar rivalidades”

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #168 - 'Volta' da Ferrari incendeia ainda mais disputa da F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Podcast #168 – ‘Volta’ da Ferrari incendeia ainda mais disputa da F1 em 2022?
Próximo artigo ANÁLISE: Por que pistas clássicas de F1 como Spa e Silverstone não deveriam correr riscos

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil