F1: Quando Verstappen pode conquistar o bicampeonato?

Após exibição totalmente dominante do holandês no GP da Bélgica do último fim de semana, a questão não é se, mas quando o holandês conquistará seu segundo título mundial

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, lifts the trophy

Zak Mauger / Motorsport Images

Depois de ver Max Verstappen sair do 14º lugar direito para a vitória no GP da Bélgica, o chefe da Mercedes de Fórmula 1, Toto Wolff, sugeriu que "estamos em uma situação em que o campeonato será concluído na Europa, provavelmente." Embora tecnicamente não seja possível, o comentário hiperbólico de Wolff talvez tenha sido um fator do quão destruidor o ritmo de Verstappen foi para a competição.

Leia também:

Depois que Charles Leclerc e a Ferrari o mantiveram por perto de forma honesta no primeiro terço da temporada, Verstappen agora está deslanchando no campeonato, privando de oxigênio o que restava de batalha no campeonato 2022, e, em troca, vem o colocando em suporte vital.

Com apenas 216 pontos em disputa nas oito últimas corridas da temporada, incluindo uma sprint no Brasil, Verstappen agora tem uma vantagem de 93 pontos sobre seu concorrente mais próximo, Sergio Pérez, e 98 em cima de Leclerc, fazendo com que o show da última corrida em 2021 seja completamente implausível em 2022. Tudo o que Verstappen precisa são de quatro vitórias para fechar o negócio.

Verstappen conquistar o título o quanto antes poderia acontecer logo, em Singapura, com cinco corridas restantes, mas para isso precisaria ganhar todas as três seguintes - Zandvoort, Monza e Singapura - com Pérez e Leclerc não marcando nenhum ponto. 

Verstappen embrulhando o título logo que lhe fosse conveniente poderia acontecer assim que Singapura, com cinco corridas restantes, mas então ele precisa vencer as próximas três corridas em Zandvoort, Monza e Cingapura com Perez e Leclerc não marcando um único ponto. Para simplificar, vamos assumir que o vencedor também leva o ponto de bônus para a volta mais rápida e então as situações parecem ser as seguintes.

Cenário 1: Verstappen ganha, competidores não marcam pontos x4

Situação depois BEL NED ITA SIN JPN USA MEX BRA ABD
Pontos restantes 216 190 164 138 112 86 60 26  
Verstappen 284 310 336 362          
Déficit  de Pérez 93 119 145 171          
Déficit de Leclerc 98 124 150 176          

Essa é a projeção mas extrema, então vamos ver o que é plausível. Em Spa, Verstappen conquistou sua nona vitória em 2022 e o segundo cenário apresenta a Red Bull com o carro mais rápido do restante da temporada.

Se Verstappen continuar sua sequência e conquistar o máximo de 26 pontos em Zandvoort, Monza e Singapura e Pérez terminar em segundo em cada corrida, isso levaria o holandês a uma vantagem de 117 pontos com 138 restantes.

Após a corrida seguinte, em Suzuka, o número de pontos em disputa diminui para apenas 112. Pérez teria que superar seu companheiro de equipe pelo menos uma vez, e por mais do que uma diferença entre o primeiro e segundo, para evitar que Verstappen fosse campeão no Japão.

Cenário 2: Verstappen vence, Peréz segundo lugar, Leclerc terceiro 4x

Situação depois BEL NED ITA SIN JPN USA MEX BRA ABD
Pontos restantes 216 190 164 138 112 86 60 26  
Verstappen 284 310 336 362 388        
Déficit de Pérez 93 101 109 117 125        
Déficit de Leclerc 98 109 120 131 142        

A lógica acima, obviamente, também se aplica a Leclerc, que tem mais chances de tirar pontos de Verstappen devido ao papel coadjuvante do mexicano. Para prolongar a espera até Austin, Pérez e Leclerc precisam deixar Suzuka com uma diferença menor que 112 pontos. Pérez não pode perder mais que 18 pontos nas próximas quatro corridas e Leclerc apenas 23, tendo em mente que em pontos iguais a contagem de vitórias de Verstappen, o levará ao limite.

Para que o campeonato dure até o México, os dois pilotos devem começar logo a superar Verstappen em vem de ceder mais terreno. Pérez tem que recuperar oito pontos, Leclerc 13. Além do México, há apenas 60 pontos em disputa no Brasil e Abu Dhabi, então, salvo uma reviravolta dramática, não parece viável que os rivais do holandês durem essa distância.

Dado o domínio de Verstappen e Red Bull, nossa projeção é que Suzuka será o cenário mais provável da segunda coroação do holandês. Se Leclerc e Ferrari puderem encontrar algum ritmo para virar a maré, ou se Verstappen tiver alguns problemas, o Circuito das Américas de Austin poderá realizar sua primeira decisão do título desde 2015.

Mas, apesar da liderança quase intransponível de Verstappen, o chefe da Red Bull, Christian Horner, não será levado à complacência.

"Acho que, no que diz respeito às tabelas do campeonato, elas obviamente parecem muito saudáveis", disse Horner na noite de domingo.

"Mas as coisas podem mudar muito, muito rapidamente. Vimos isso: acho que estávamos 46 pontos atrás quando deixamos a Austrália e em algumas corridas conseguimos reverter.

“Nossa prerrogativa está em cada corrida, uma de cada vez e as tabelas do campeonato cuidarão de si mesmas, então queremos apenas manter esse momento em andamento”.

A 'treta' entre Alonso e Hamilton em Spa

Podcast #192 – Sequência de corridas decidirá campeonato da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Após 'treta' em Spa, Hamilton manda 'presente' a Alonso; entenda
Próximo artigo F1: Wolff se mete no 'rolo' Alonso x Hamilton, com direito a 'presente' de Lewis

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil