F1: Regulamento mostra que disputas polêmicas em Silverstone foram legais

Os duelos por posições no GP da Grã-Bretanha foram ferozes, o que alimentou longo debate após a corrida. Afinal, por qual razão ninguém foi punido?

F1: Regulamento mostra que disputas polêmicas em Silverstone foram legais
Carregar reprodutor de áudio

As batalhas emocionantes por posição no GP da Inglaterra de Fórmula 1 encantaram os fãs, mas, digamos, tiveram pitadas controversas – de fato, alguns movimentos de ataque e defesa foram bastante agressivos, em especial aquelas em que os pilotos pareciam ter sido espremidos para fora da pista.

Houve vários exemplos ao longo da corrida de pilotos estarem do lado de fora de seus rivais, mas se encontrando sem espaço na saída. Mick Schumacher foi forçado por Max Verstappen na saída de Brooklands enquanto tentava contornar o lado de fora do campeão mundial em sua batalha no final.

O editor recomenda:

Circunstâncias quase idênticas à primeira volta da relargada, quando Charles Leclerc tentou fazer uma ultrapassagem semelhante em Verstappen e se viu sem espaço, decolando pela zebra.

Algumas voltas antes do incidente Verstappen/Schumacher, Lewis Hamilton tinha saído pior e por fora enquanto o rival da Red Bull, Sergio Perez, mergulhava por dentro na Village e tomou toda a largura da pista na saída da curva na briga pelo segundo lugar.

Na mesma curva na volta inicial da largada original, momentos antes da bandeira vermelha ser acionada, Hamilton fez o mesmo com Leclerc, forçando o piloto da Ferrari a evitar uma colisão.

Todos esses incidentes foram suficientes para provocar o debate, visto que todos os lances foram “notados” pelos comissários, sem que nenhuma ação adicional fosse necessária.

Charles Leclerc, Ferrari F1-75, Carlos Sainz, Ferrari F1-75, Lewis Hamilton, Mercedes W13, Sergio Perez, Red Bull Racing RB18

Charles Leclerc, Ferrari F1-75, Carlos Sainz, Ferrari F1-75, Lewis Hamilton, Mercedes W13, Sergio Perez, Red Bull Racing RB18

Photo by: James Sutton / Motorsport Images

 

No entanto, o ISC por si só nunca foi suficiente para cobrir todas as nuances da F1 e, no início deste ano, o diretor de corridas da categoria, Niels Wittich, ofereceu alguma clareza sobre o assunto para equipes e pilotos sobre o que é e não é permitido.

E o fator-chave para julgar os direitos e os erros dos carros que têm direito a uma curva foi claramente definido neste documento "Diretrizes de Padrões de Condução" que foi enviado. Embora as definições sejam "não vinculantes", elas são as que os comissários levam em conta ao decidir se um incidente é digno de punição ou não.

A coisa difícil em cada um dos lances polêmicos do GP da Inglaterra é entender o ponto em que o carro passou a ter a preferência na pista para que este não possa mais ser espremido.

E embora tenha havido há muito tempo essa visão ampla de apenas precisar de uma "parte significativa" do carro ao lado para que a pista seja sua, as coisas são realmente definidas muito mais especificamente do que isso.

Os momentos Schumacher/Verstappen, Leclerc/Hamilton e Leclerc/Verstappen, de um piloto que ultrapassa por fora, essencialmente exige que o competidor que anseia a manobra esteja à frente do rival após o apex da curva.

O documento observa: "ao considerar o que é uma 'porção significativa' para uma ultrapassagem na parte externa de uma curva, entre os vários fatores que serão analisados pelos comissários ao exercer sua descrição, será considerado se o carro de ultrapassagem está à frente do outro carro no apex da curva. O carro que está sendo ultrapassado deve ser capaz de fazer a curva enquanto permanece dentro dos limites da pista."

Em todos os três casos, o piloto “atacante” do lado de fora pode ter conseguido uma boa parte do carro ao lado, mas em nenhum momento eles estão à frente no apex. Assim, desde que o “defensor” se mantivesse dentro dos limites de pista na saída (o que aconteceu em todos os casos), suas ações cumpriram integralmente as regras.

Em termos do momento Perez/Hamilton, onde a Red Bull apertou a Mercedes depois de ir para o interior, as exigências são ligeiramente diferentes. Um carro passando por dentro, a interpretação da 'parte significativa' baseia-se em: "se os pneus dianteiros do carro de ultrapassagem estiverem ao lado do outro carro".

E foi exatamente isso que Perez fez com seu movimento de frenagem tardio para roubar o lugar de Hamilton no momento em que eles estavam no apex. Assim, enquanto a mudança foi concluída de forma "segura e controlada", e Perez ficou dentro dos limites da pista em todos os momentos, o traçado era todo dele desde o apex.

Lewis Hamilton, Mercedes W13, Sergio Perez, Red Bull Racing RB18

Lewis Hamilton, Mercedes W13, Sergio Perez, Red Bull Racing RB18

Photo by: James Sutton / Motorsport Images

As regras de corrida podem parecer encorajar os pilotos a serem um pouco mais implacáveis com seus rivais na saída das curvas do que no passado, mas por enquanto é assim que os pilotos da FIA e da F-1 estão felizes em aceitar.

Como Verstappen disse sobre a luta de Schumacher: "Foi uma batalha boa, mas justa, eu acho".

VÍDEO: Rico Penteado fala da genialidade de Alonso e revela drama de Petrov em 2010

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #184 - Felipe Kieling, da Band, revela como foi substituir Mariana Becker na cobertura da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 
 
 
 
 
 
 
compartilhar
comentários
F1: Marko vê Verstappen como "referência em todos os quesitos"
Artigo anterior

F1: Marko vê Verstappen como "referência em todos os quesitos"

Próximo artigo

F1 - Villeneuve: "Leclerc falou como se já fosse primeiro piloto da Ferrari, mas ele não é"

F1 - Villeneuve: "Leclerc falou como se já fosse primeiro piloto da Ferrari, mas ele não é"