F1: Rosberg compara Hamilton e Schumacher e diz que inglês é mais político

Ex-companheiro dos dois heptacampeões fala do estilo de cada um deles e responde se gostaria de ver inglês como único recordista de títulos

F1: Rosberg compara Hamilton e Schumacher e diz que inglês é mais político

Na temporada de Fórmula 1 de 2020, Lewis Hamilton conseguiu igualar o recorde de títulos de Michael Schumacher. Em 2021, o piloto da Mercedes tem a chance de se tornar o único recordista com sua oitava coroa se conseguir bater Max Verstappen.

O piloto da Red Bull é o primeiro candidato desde Nico Rosberg a desafiar o inglês seriamente, acostumado ao sucesso na batalha pelo campeonato mundial. Em 2016, Nico Rosberg derrotou Hamilton no duelo interno pelo título.

Leia também:

Em sua carreira na Fórmula 1, o alemão dividiu a box da Mercedes com Hamilton (quatro anos) e Schumacher (três anos).

Os pontos fortes de Schumacher e Hamilton

"Michael foi muito completo como piloto porque cobria todas as áreas", disse Rosberg em uma entrevista à Sky Sports, ao descrever a condição física de seu compatriota como "brilhante".

Schumacher também foi um verdadeiro "jogador de equipe". No sentido de que “motiva toda a equipe e faz com que o apoiem, conhece todos os nomes, convida-os para passear de bicicleta e assim vai, apesar de ser heptacampeão mundial e ter 800 milhões no banco", disse Rosberg.

“Lewis é um talento natural extremo”, disse ele ao iniciar a comparação. "Do ponto de vista do talento, ele é provavelmente o melhor de todos os tempos. E realmente se baseia nisso, esse instinto é fenomenal nele."

Nesse contexto, Rosberg também identifica a maior diferença entre os dois pilotos.

“Uma grande diferença é que Lewis detesta testes e Michael faria testes todos os dias, apesar de ser heptacampeão mundial. Mas porque ele também sabe que sempre se aprende um pouco."

"É apenas diligência, paixão... Certamente há uma grande diferença", disse o campeão mundial de 2016. "Mas também há guerra psicológica no final."

Ele ilustra isso com uma brincadeira que muitos fãs da Fórmula 1 já conhecem: "Em Mônaco, havia apenas um banheiro na garagem e Michael foi dez minutos antes e se trancou dentro. Ele sabe que nós, pilotos, temos que ir ao banheiro antes entrar no carro, antes da classificação."

"Então ele trancou a porta. Eu estava do lado de fora batendo e batendo e ninguém estava respondendo, então eu estava em pânico. No final, eu tive que fazer em um canto. Lewis pode fazer isso também, mas ele está focado o dia todo", disse Rosberg.

Rosberg: Hamilton "age com muita inteligência"

No entanto, ele tem um exemplo preparado: "Na classificação eu consegui a pole position uma vez e havia uma bandeira amarela na minha volta. Então ele (Hamilton) foi direto para os comissários após o quali, embora eu seja seu companheiro de equipe, e disse eles tiveram que olhar para mim novamente porque eu tinha conseguido a volta rápida sob a bandeira amarela.”

"Ele comentou 'Estou aqui para esclarecer se tenho permissão para fazer isso na próxima vez na classificação.' Depois disso, eles me ligaram rapidamente. Eu tive que ir até os comissários só porque ele estava lá."

Rosberg considera este outro ponto forte de Hamilton: "O que ele também faz muito bem é toda a questão política, com a mídia. Ele age de forma muito, muito inteligente. E também na pista, quando ele entra nas zonas cinzentas, de alguma forma é nunca realmente culpa dele. É sempre culpa do oponente."

Finalmente, quando questionado sobre quem ele prefere como companheiro de equipe, Hamilton ou Schumacher, o ex-piloto da F1 admite com um sorriso: "Nenhum!"

"Era difícil com Michael porque ele tinha acabado de ganhar uma corrida e não tinha ganhado nada. Nas primeiras reuniões de estratégia, sua estratégia era discutida com ele e minha estratégia também era discutida com ele, embora eu estivesse ao lado dele. Com Lewis, era apenas uma luta, uma luta em todos os níveis e o tempo todo."

Embora Rosberg tenha se aposentado como piloto ativo, após sua vitória sobre Hamilton, o britânico continua na pista, então a dúvida surge: você concederia ao seu antigo rival o oitavo título?

"Não, estou tão conectado emocionalmente para dizer que Michael realmente merecia ter o recorde."

"Lewis também merece, e se ele pode conseguir, é uma coisa boa", disse Rosberg. "Vejo que ele está cada vez melhor, muito rápido, pelo que posso estar ainda mais orgulhoso por tê-lo vencido naquela altura com o mesmo carro."

F1: Entenda como CALENDÁRIO de 2022 se tornou o mais INSANO e DESAFIADOR para equipes e pilotos

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #138 – Red Bull não sabe o que fazer contra Mercedes após GP da Turquia?

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Após ausência por acidente de bicicleta, Newey já teria identificado falhas na Turquia
Artigo anterior

F1: Após ausência por acidente de bicicleta, Newey já teria identificado falhas na Turquia

Próximo artigo

F1: Petronas desmente rumores de fim de parceria com Mercedes

F1: Petronas desmente rumores de fim de parceria com Mercedes
Carregar comentários