F1: “Sem ser arrogante, mas Norris e Albon não eram melhores que eu", disse de Vries em 2019

Campeão da Fórmula E 2021 conseguiu vaga no grid da F1 2023, mas está sofrendo na AlphaTauri; em meio à má fase, internautas 'desenterram' entrevista velha

Nyck de Vries, AlphaTauri

Novato da AlphaTauri na Fórmula 1 2023, Nyck de Vries tem tido um começo de temporada difícil, inclusive tendo sua saída especulada para um eventual retorno do australiano Daniel Ricciardo ao grid. Agora, uma entrevista dada pelo holandês em 2019 volta a gerar polêmica.

Na época, de Vries era piloto da Fórmula 2, da qual posteriormente seria campeão naquele ano. “Não quero ser arrogante, mas [Lando] Norris e [Alexander] Albon não eram melhores do que eu", afirmou ao jornal Friesch Dagblad, da Holanda.

O editor recomenda:

Na ocasião da entrevista, de Vries partia para sua campanha vitoriosa na F2, enquanto Norris e Albon já estavam na F1. A intenção do holandês foi comparar seu histórico na F2 até então com o que os outros pilotos haviam feito na categoria de acesso à elite global do esporte a motor.

"Norris venceu apenas uma corrida, Albon venceu quatro e eu venci três. Mas isso é passado. Este ano (2019) quero partir para o campeonato com a ART”, explicou, fazendo referência à sua equipe na F2.

Entretanto, a declaração 'não envelheceu bem' e os fãs agora a repercutem nas redes sociais justamente em meio às dificuldades de Nyck na F1. Por outro lado, Norris e Albon estão consolidados na categoria máxima do automobilismo mundial.

O britânico Lando corre pela McLaren desde 2019 e é o líder da equipe, sendo frequentemente especulado como um possível substituto do compatriota Lewis Hamilton na Mercedes após a aposentadoria do heptacampeão mundial.

O anglo-tailandês Albon, por sua vez, teve uma carreira com mais 'altos e baixos': começou bem na então Toro Rosso, atual AlphaTauri, e foi promovido à Red Bull a partir do GP da Bélgica de 2019 em substituição ao francês Pierre Gasly, que sofria na comparação com o holandês Max Verstappen.

Alex começou razoavelmente bem na Red Bull, inclusive 'flertando' com um pódio no GP do Brasil de 2019, quando teve suas esperanças destruídas após sofrer um toque de Hamilton. Em 2020, novo incidente com Lewis na Áustria e, posteriormente, queda acentuada de rendimento e consistência.

Ele, então, foi substituído pelo mexicano Sergio Pérez para 2021, quando ficou no 'banco de reservas' de Red Bull e AlphaTauri. De todo modo, Albon voltou à titularidade em 2022 na Williams, pela qual vem se apresentando bem desde então.

Curiosamente, a etapa da F1 que Albon 'perdeu' no ano passado, em decorrência de apendicite, foi o estopim para a chegada de Nyck à categoria. De Vries substituiu Alex no GP da Itália e fez uma grande corrida em Monza, entrando no radar das equipes do grid.

Foi aí que a AlphaTauri mirou no holandês, que também era cotado na própria Williams como potencial substituto de Nicholas Latifi. O canadense acabou substituído pelo norte-americano Logan Sargeant, já que Nyck foi para a AlphaTauri como novo companheiro do japonês Yuki Tsunoda.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Como Red Bull 'voadora' fez Pirelli 'mudar' os pneus de 2023
Próximo artigo Jordan 'esquece' Jos Verstappen e diz que Max herdou talento da mãe

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil