Pilotos russos poderão competir internacionalmente, mas apenas sob bandeira da FIA

Reunião extraordinária do Conselho Mundial de Automobilismo definiu os parâmetros para equipes e pilotos russos e bielorussos, além de oficializar o cancelamento do GP da Rússia

Pilotos russos poderão competir internacionalmente, mas apenas sob bandeira da FIA
Carregar reprodutor de áudio

Pilotos russos e bielorrussos poderão continuar a competir em corridas internacionais, mas sob bandeira neutra. A decisão foi tomada pela FIA em reunião extraordinária do Conselho Mundial de Automobilismo, nesta terça-feira (1º). 

Nikita Mazepin, que temia uma proibição por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, não está automaticamente vetado, com sua situação definida na Haas nos próximos dias. Além dele, a Fórmula 1 tem na Alpine o piloto reserva Daniil Kvyat, a Ferrari Robert Shwartzman e na Fórmula 3 Alexander Smolyar.

Mas as equipes de origem russa não poderão competir em competições com chancela da FIA.

 

Leia também:

A reunião também serviu para oficializar o cancelamento do GP da Rússia, que ocorreria em setembro de 2022 por "força maior".

Diz o comunicado: "Nenhuma competição internacional será realizada na Rússia e na Bielorrússia, até novo aviso. Nenhuma bandeira, símbolo ou hino da Rússia/Bielorrússia será usado em competições internacionais, até novo aviso.

"Nenhuma equipe nacional russa/bielorrussa poderá participar de competições internacionais[por exemplo, até novo aviso.

"Pilotos russos/bielorrussos, competidores individuais e oficiais poderão participar de competições internacionais apenas em sua capacidade neutra e sob a 'bandeira da FIA', sujeitos a compromisso específico e adesão aos princípios de paz e neutralidade política da FIA, até novo aviso.

"Nenhum símbolo nacional russo/bielorrusso, cores, bandeiras [uniforme, equipamento e carro] devem ser exibidos ou hinos devem ser tocados em competições internacionais, até novo aviso."

Na F1, em particular, a decisão permite que Nikita Mazepin continue pilotando pela Haas nesta temporada.

Ben Sulayem, presidente da FIA, disse: “Como você sabe, a FIA está observando os desenvolvimentos na Ucrânia com tristeza e choque e espero uma solução rápida e pacífica para a situação atual.

"Condenamos a invasão russa da Ucrânia e nossos pensamentos estão com todos aqueles que sofrem como resultado dos eventos na Ucrânia.

"Gostaria de enfatizar que a FIA, juntamente com nossos promotores, agiu proativamente sobre este assunto na semana passada e se comunicou de acordo com a Fórmula 1, Fórmula 2, WTCR e a International Drifting Cup.

“Uma versão atualizada dos diferentes calendários internacionais da FIA será apresentada na reunião do WMSC no Bahrein para aprovação.”

F1 2022: PIETRO FITTIPALDI de volta ao grid? HAMILTON lidera e ALONSO vê carro pegar FOGO na Espanha

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #163 - Rico Penteado destrincha carros de 2022 da F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

compartilhar
comentários
ANÁLISE: O que os testes de Barcelona revelaram sobre os carros da F1 2022?
Artigo anterior

ANÁLISE: O que os testes de Barcelona revelaram sobre os carros da F1 2022?

Próximo artigo

F1: Por que motor da Ferrari está no centro de nova polêmica entre Mercedes e Red Bull?

F1: Por que motor da Ferrari está no centro de nova polêmica entre Mercedes e Red Bull?