FIA nega pedido da Ferrari de ter Sainz em teste de novos pilotos

Diretor de corridas da F1, Michael Masi, enviou nota às equipes informando que não haveria mudanças nas restrições do teste

FIA nega pedido da Ferrari de ter Sainz em teste de novos pilotos

As esperanças da Ferrari de dar a Carlos Sainz uma experiência antecipada na Ferrari no teste de jovens pilotos de Abu Dhabi foram frustradas, depois que a FIA recusou o pedido.

A sessão de um dia que ocorre na terça-feira após o final da temporada de Abu Dhabi foi originalmente destinada apenas para jovens pilotos.

Leia também:

As regras em torno do teste declararam que ela só estaria aberta a pilotos que tivessem competido em não mais do que dois GPs, "a menos que aprovado de outra forma pela FIA".

A potencial de isenção foi usada pela Renault para fazer lobby com sucesso junto ao órgão regulador do automobilismo para que fosse permitido comandar Fernando Alonso, que está retornando à F1 depois de duas temporadas.

A FIA aceitou que Alonso deveria receber uma aprovação especial por causa de sua longa ausência. Foi esclarecido que os pilotos que não tivessem competido em 2020 teriam permissão para fazer o teste mesmo que tivessem competido em mais de dois GPs na carreira.

Essa postura abriu as portas para Alonso entrar no teste, com a Red Bull também definida para ter o ex-piloto de F1 Sebastian Buemi.

Com a isenção concedida, e várias equipes rivais insatisfeitas com a situação, houve um novo impulso de outros times que terão novos pilotos no próximo ano para também poderem tê-los na pista.

A Ferrari, em particular, estava especialmente descontente com Alonso tendo uma chance no que deveria ser um teste de jovens pilotos, então solicitou permissão para Sainz entrar.

O chefe da equipe, Mattia Binotto, disse no GP de Sakhir que abordou a FIA para solicitar que os pilotos que estão mudando de equipe - como Sainz - também possam correr.

Com várias equipes também pedindo esclarecimentos sobre o assunto, o Motorsport.com apurou que o diretor de corridas da F1, Michael Masi, enviou uma nota às equipes na terça-feira informando que não haveria mudanças nas restrições do teste.

Masi deixou claro que a posição da FIA era que, para qualquer piloto que tivesse participado em mais de dois grandes prêmios, eles só teriam aprovação para correr no teste se 'não tivessem competido em nenhuma corrida de F1 durante a temporada de 2020.'

A decisão será um aborrecimento para a Ferrari, que está ansiosa para tentar dar a Sainz alguma experiência de seus carros e sistemas antes dos testes de pré-temporada na próxima temporada. Sua única opção agora será tentar fazer Sainz um teste particular em um carro de F1 de 2018 no início do próximo ano.

O limite de duas corridas significa que Jack Aitken, da Williams, ainda poderá correr no teste de Abu Dhabi, mesmo que faça sua segunda largada com a equipe de Grove no final da temporada.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Russell MANDA RECADO para Mercedes e Bottas: quer vaga na equipe alemã antes de 2022; entenda

PODCAST: 'Show' de Russell pode gerar problema para Mercedes?

 

compartilhar
comentários
TV: Confira os horários do GP de Abu Dhabi de F1

Artigo anterior

TV: Confira os horários do GP de Abu Dhabi de F1

Próximo artigo

ANÁLISE: Como a Liberty Media poderia ajudar Pérez a chegar à Red Bull

ANÁLISE: Como a Liberty Media poderia ajudar Pérez a chegar à Red Bull
Carregar comentários