Fórmula 1 GP da França

Hamilton ainda tem "muita lenha para queimar" após atingir marca de 300 GPs na F1

Mas britânico ficou surpreso com expectativa de Toto Wolff de que ele chegará a 400 corridas

Lewis Hamilton, Mercedes-AMG, 2nd position, sprays Champagne on the podium

No fim de semana em Paul Ricard, Lewis Hamilton se tornou apenas o sexto piloto na história a atingir a marca de 300 GPs disputados na Fórmula 1. E aos 37 anos, sendo o segundo mais velho do grid, muitos questionam se sua aposentadoria está chegando. Mas o britânico da Mercedes diz que "ainda tem muita lenha para queimar", e que está gostando mais do que nunca da F1.

Atrás apenas de Alonso em termos de idade, Hamilton vinha minimizando as possibilidades de ainda estar correndo quando chegasse aos 40 anos. Mas Toto Wolff, chefe da Mercedes, sugeriu no fim de semana que discussões recentes como o piloto sobre o futuro da parceria cobria um período de 5 a 10 anos, acrescentando: "Acho que ele pode chegar a 400 [corridas]!".

Leia também:

Em Paul Ricard, Hamilton teve seu melhor resultado da temporada, terminando em segundo atrás do rival de 2021 Max Verstappen, ficando à frente de George Russell, terceiro. Questionado na coletiva após a corrida sobre a possibilidade de atingir a marca de 400 corridas, ele respondeu: "São muitas corridas!".

"Primeiro, quero dizer que estou grato por chegar até aqui. Mas ainda me sinto bem, sinto que ainda tenho muita lenha para queimar. Estou gostando do que estou fazendo. Estou muito orgulhoso e gosto de chegar todos os dias para trabalhar com esse grupo incrível de pessoas".

"Estou gostando de trabalhar com o esporte mais do que nunca. Temos ótimas pessoas chegando, e temos boas conversas sobre nossa direção como esporte".

Lewis Hamilton, Mercedes W13, 2nd position, crosses the line

Lewis Hamilton, Mercedes W13, 2nd position, crosses the line

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Há anos, Hamilton se tornou a principal voz na F1 para maior diversidade e inclusão, com o auxílio de sua iniciativa Missão 44 e a ONG Ignite, em parceria com a Mercedes. Após perder por pouco o octa em 2021, Hamilton vem sofrendo para igualar o ritmo de anos anteriores, devido à perda de rendimento da Mercedes frente a Ferrari e Red Bull.

O acordo atual de Hamilton com a Mercedes expira no fim da próxima temporada, mas ele vem deixando claro que quer aguardar o retorno da equipe à luta por vitórias.

"Claro, eu quero voltar a vencer, e isso vai levar algum tempo, mas tenho certeza que sentaremos em algum momento para falar do futuro. Mas, novamente, com nossa equipe, quero seguir construindo. É uma coisa correr, mas é outra também seguir fazendo mais do lado de fora, e acho que eu e a Mercedes sempre podemos fazer mais, e faremos".

VÍDEO: Leclerc? Pérez? Quem foi o pior do GP da França?

 

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #187 – Marko está certo ao colocar Verstappen como “a maior história de sucesso da Red Bull”?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 2022: Uma evolução ao invés de uma revolução; confira análise
Próximo artigo F1: Wolff alfineta Horner e Binotto por se colocarem contra mudança da regra do assoalho

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil