Hamilton não planeja boicote ao GP da Bélgica após protestos nos EUA

Mesmo assim, hexacampeão mundial diz que apoia todas as ações ocorridas nos Estados Unidos nesta semana

Hamilton não planeja boicote ao GP da Bélgica após protestos nos EUA
Carregar reprodutor de áudio

Lewis Hamilton diz que não tem planos de boicotar o GP da Bélgica após a ação de atletas nos Estados Unidos nos últimos dias, depois do caso de Jacob Blake.

Vários atletas negros nos Estados Unidos lideraram boicotes a eventos esportivos nesta semana depois que Blake foi baleado por um policial em Kenosha, Wisconsin, no domingo.

Leia também:

Isso gerou uma nova onda de protestos em todo o mundo em meio ao ativismo contínuo contra o racismo e a injustiça racial.

Partidas na NBA, WNBA, Major League Baseball e Major League Soccer foram adiadas na quarta-feira após boicotes, desencadeados pela equipe de basquete Milwaukee Bucks se recusando a deixar seu vestiário.

A tenista Naomi Osaka desistiu de um grande torneio em Nova York marcado para quinta-feira, com Hamilton - o único piloto negro da F1 - escrevendo no Instagram que estava "muito orgulhoso" de sua decisão.

Questionado se ele estava considerando desistir do GP da Bélgica neste fim de semana em protesto, Hamilton disse que não tinha planos de fazer isso no momento, mas se manteve unido aos que estão agindo.

“É incrível o que muitos nos Estados Unidos estão fazendo em seus esportes, até os comentaristas, por exemplo”, disse Hamilton.

“Tantas pessoas estão ao lado dos jogadores e realmente pressionando por mudanças. É uma pena que isso seja necessário para obter uma reação.”

“Mas isso é na América, e eu não sei se realmente se eu fizer alguma coisa aqui terá algum efeito particular. Estamos na Bélgica, não estamos nos Estados Unidos.”

“Não falei com ninguém sobre isso, mas estou muito orgulhoso de tantos por aí. Eu estou unificado com eles, tentando fazer o que posso aqui.”

“Não sei como a gente não vai fazer na corrida ... ainda vamos continuar.”

“Mas ainda tentarei falar com a Fórmula 1 para ver o que mais podemos fazer, para continuar a aumentar a conscientização, continuar a ajudar a impulsionar.”

“Naturalmente eu acho que como esporte, acho que todos nós precisamos estar alinhados. Todos nós precisamos apoiar uns aos outros, embora seja um esporte diferente.”

Hamilton tem sido a figura principal da F1 em suas mensagens antirracismo, tendo convocado a categoria para melhorar seu impulso de diversidade nos últimos meses.

A F1 fez gestos pré-corrida condenando o racismo em cada GP desta temporada, onde a maioria dos pilotos optou por se ajoelhar.

Raio-X de Hamilton: veja a metamorfose e as histórias inéditas do maior piloto da F1 na atualidade

PODCAST: A liderança de Hamilton pode transformá-lo em uma influência maior que Senna fora da F1?

 

 

compartilhar
comentários
Marko volta a fechar portas da Red Bull para Vettel: "Não podemos jogar tudo fora só porque ele não tem mais contrato"
Artigo anterior

Marko volta a fechar portas da Red Bull para Vettel: "Não podemos jogar tudo fora só porque ele não tem mais contrato"

Próximo artigo

F1: Novos donos da Williams estão fazendo "revisão completa" da equipe

F1: Novos donos da Williams estão fazendo "revisão completa" da equipe