Magnussen afirma que nunca foi criticado diretamente

Dinamarquês minimiza críticas de pessoas ligadas à Renault e McLaren

Magnussen afirma que nunca foi criticado diretamente
Kevin Magnussen, Renault Sport F1 Team RS16
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team
Carregar reprodutor de áudio

Kevin Magnussen saiu da Renault após uma única temporada. O diretor da escuderia, Cyril Abiteboul, disse à mídia francesa recentemente que ele não tinha disciplina e compromisso.

Fontes consultadas da Renault e da McLaren - sua ex-equipe - questionam sobre sua ética. Quando perguntado sobre este assunto, o dinamarquês respondeu: "eu ouvi coisas deste tipo antes, mas nunca da equipe."

"Às vezes você tem alguém que dá uma opinião pessoal à imprensa e aquilo se transforma na opinião oficial de toda a equipe."

"Mas é apenas uma pessoa, então eu não levo isso a sério."

Magnussen passou um ano na McLaren em 2014, mas perdeu a batalha com Jenson Button para manter seu lugar ao lado de Fernando Alonso.

Ele passou 2015 como piloto reserva da equipe britânica e, em seguida, se juntou à Renault para a temporada 2016, substituindo Pastor Maldonado.

Quando perguntado sobre as razões de seus trabalhos na McLaren e na Renault não terem dado certo, Magnussen disse: "tive muito azar. Com a Renault, não deu certo e nos separamos."

"Estou em um lugar melhor agora, então estou olhando para a frente."

"Com a McLaren, eu queria continuar e eles também, mas por razões políticas, não aconteceu."

"Essa é uma situação diferente do que aconteceu aqui. Eu queria ir para a Haas e Haas me queria."

"Eu não tenho nada contra a Renault ou a McLaren, esta é a Fórmula 1, é um negócio difícil, essas coisas acontecem sem sentimentos ruins."

Motivação

Magnussen se juntou à equipe norte-americana em um acordo de vários anos e tem conforto da confiança do proprietário, Gene Haas, e o diretor da equipe, Gunther Steiner.

"É uma sensação diferente, chegar a uma equipe que quer você, porque eles acreditam que você pode dar o que querem", disse ele.

"Não é segredo que isso te motiva e não não vejo a hora da temporada começar."

"Tive um longo relacionamento com a McLaren e eles também me escolheram muito cedo. Eles mostraram um grande compromisso também."

"No ano passado, com a Renault, foi um negócio muito em cima da hora, eles perderam um piloto porque ficou sem patrocinador, então foi assim que funcionou lá."

"Esta é uma história muito diferente, é voltar a competir de verdade e o ponto principal é o desempenho, e não de coisas comerciais."

compartilhar
comentários
Mesmo voltando, Massa não devolve presente dado por Williams
Artigo anterior

Mesmo voltando, Massa não devolve presente dado por Williams

Próximo artigo

Sainz: tenho que ganhar quatro quilos para o campeonato

Sainz: tenho que ganhar quatro quilos para o campeonato
Carregar comentários