McLaren admite "tensão máxima" com Honda

compartilhar
comentários
McLaren admite "tensão máxima" com Honda
Por:

Mesmo assim, diretor da escuderia não pensa em romper com fabricante japonesa

Eric Boullier, Racing Director, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32 rear diffuser and rear wing detail
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32, leads Esteban Ocon, Force India VJM10
Surrounded by a media scrum, Eric Boullier, Racing Director, McLaren, is interviewed by Will Buxton
Eric Boullier, Racing Director, McLaren, is interviewed by the media

Stoffel Vandoorne perdeu tempo de pista valioso durante a sessão desta terça-feira (07) em Barcelona, após mais uma mudança de motor causado por um problema elétrico.

Com a Honda ainda buscando respostas a uma falha que arruinou sua primeira semana de funcionamento, o tempo agora está se esgotando antes do GP da Austrália.

Quando perguntado pelo Motorsport.com sobre quão tenso esses problemas estavam sobre a relação entre McLaren e Honda, o diretor de corridas, Eric Boullier disse: "Tensão máxima. Estamos na F1, estamos correndo."

"Então a pressão é enorme e, obviamente, colocamos isso sobre todo o nosso relacionamento com a Honda, e o mesmo da parte deles."

"Nós não podemos dar um passo errado, precisamos ser capazes de entregar o melhor carro, então é de ambos os lados."

Problema repetido

A Honda sofreu três problemas com o motor ao longo dos testes: um causado pelo tanque de óleo, outro relacionado às válvulas e a questão elétrica de hoje.

Boullier sugeriu, entretanto, que havia um fator comum em dois dos problemas, o que pelo menos trouxe esperança de acelerar o entendimento para encontrar uma solução.

"A princípio pode parecer que são problemas diferentes, mas pelo menos dois deles eram os mesmos", explicou Boullier. "Assim pode ser corrigido a tempo."

"A única coisa é que estamos rodando com a mesma especificação da semana passada, então obviamente isso não significa que haja mudanças neste bloco ou quaisquer modificações."

"Acho que a próxima especificação terá esse problema parcialmente resolvido."

Nenhuma grande preocupação ainda

Apesar de não rodar tanto quanto os rivais, Boullier disse que os dramas da equipe ainda não eram uma grande preocupação, embora resta à Honda chegar resolver essas questões rapidamente.

"Ainda não estou muito preocupado, digamos. Gostaríamos de ter dado mais voltas, para testar mais peças, mas as poucas que fizemos foram boas."

"Para o resto, obviamente eu deixo isso nas mãos da Honda para ter certeza de que eles investiguem e tratem corretamente. Temos que confiar em nosso parceiro e acreditamos que eles vão fazer isso."

Enquanto o desmantelamento do sistema de token da F1 significa que há mais espaço para a Honda fazer grandes mudanças de seus motores, ainda há um número limitado de especificações de unidades de energia que podem ser usadas durante a temporada.

Perguntado se isso significava grandes dificuldades durante o primeiro trimestre da temporada, Boullier disse: "Com base nesses testes, podemos esperar ter algumas mudanças de motor."

Sem divórcio

Embora Boullier disse que os membros da diretoria da McLaren deixaram claro seus sentimentos à portas fechadas em Woking, ele insistiu que não se pensava em cortar o relacionamento com a Honda.

"Não. Temos um contrato", disse Boullier. "Nem sequer pensamos nisso, porque há um contrato entre nós, um contrato de longo prazo e queremos cumpri-lo."

Massa diz que Williams precisa evitar novos acidentes

Artigo anterior

Massa diz que Williams precisa evitar novos acidentes

Próximo artigo

Análise técnica: as mudanças aerodinâmicas da Mercedes

Análise técnica: as mudanças aerodinâmicas da Mercedes
Carregar comentários