McLaren explica problema de Vandoorne em Abu Dhabi

Problemas de pilotagem de Stoffel Vandoorne no GP de Abu Dhabi foram causados por um pedaço de fita preso no difusor da McLaren

McLaren explica problema de Vandoorne em Abu Dhabi
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32
Carregar reprodutor de áudio

Stoffel Vandoorne se queixou de um problema de direção desde o início da corrida em Abu Dhabi e foi ouvido no rádio discutindo com a equipe maneiras de resolver isso.

Após a corrida, ele disse que sua MCL32 havia se comportado "como um carro de rali", e assumiu que teria algum tipo de dano. Ele terminou em 12º dos 18 pilotos que terminaram a corrida.

No entanto, quando a equipe recebeu o carro de volta no parque fechado, uma inspeção revelou que um pedaço de fita preta, de um tipo diferente usada pela equipe, estava presa no difusor, o que obviamente teria afetado a carga aerodinâmica.

"Acreditamos que Stoffel passou toda a sua corrida com um grande pedaço de fita preso no difusor," disse o engenheiro Vandoorne Tom Stallard para o Motorsport.com.

"Era o tipo de fita de duas polegadas que é muito pegajosa usada por equipes de carros de turismo e outras categorias para substituir o para-choque dianteiro. No final da corrida, houve um pedaço de 20 centímetros ainda preso no lado esquerdo do difusor".

"Durante a corrida, acreditamos que este pedaço de fita era muito maior. Acreditamos que a perda de downforce foi equivalente à abertura do DRS, mas durante toda a volta e sem perda de arrasto".

"Além disso, a perda no difusor era simétrica no início, mas, eventualmente, a fita estava só no lado esquerdo".

"Por volta da volta 22, o difusor se recuperou parcialmente e o ritmo de Stoffel melhorou. Acreditamos que neste momento a fita se prendeu em ambos os lados, mas depois quebrou e ficou só na esquerda. Suponho que a peça original deveria ter cerca de 50 cm de comprimento."

Um dos rivais de Vandoorne deu à McLaren mais provas: "Pierre Gasly, quem estava atrás de Stoffel na primeira parte da corrida, disse que o carro virava demais e podia ver algo batendo no difusor".

"Com isso em mente, eu acho Stoffel fez um excelente trabalho, não só para manter seu carro na pista, mas também para reter seis carros atrás dele", concluiu o engenheiro.

compartilhar
comentários
Brawn: Antigo logo da F1 “não é icônico nem memorável”
Artigo anterior

Brawn: Antigo logo da F1 “não é icônico nem memorável”

Próximo artigo

Hamilton admite dilema com sua permanência na Fórmula 1

Hamilton admite dilema com sua permanência na Fórmula 1