Fórmula 1
R
GP da Austrália
12 mar
-
15 mar
Próximo evento em
45 dias
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
52 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
66 dias
16 abr
-
19 abr
Próximo evento em
80 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
94 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
101 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
115 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
129 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
136 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
150 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
157 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
171 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
185 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
213 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
220 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
234 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
241 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
255 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
269 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
276 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
290 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
304 dias

Mercedes: cenário “imprevisto” originou ordem de equipe

compartilhar
comentários
Mercedes: cenário “imprevisto” originou ordem de equipe
Por:
30 de set de 2018 14:21

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que sua equipe enfrentou um cenário que não havia previsto antes do GP da Rússia, além de explicar as razões por trás da ordem de equipe.

Valtteri Bottas havia feito a pole position e liderado a prova em seu início, mas recebeu ordem para deixar Lewis Hamilton passar – já que a equipe estava preocupada com a ameaça de Sebastian Vettel, que vinha atrás.

Wolff estava visivelmente incomodado com a decisão, e disse que a equipe precisaria refletir sobre o que aconteceu após se deparar com uma situação que não havia previsto antes da prova, na discussão das estratégias.

“Você quer controlar tudo e há um milhão de cenários sobre os quais discutimos pela manhã, mas tivemos um outro na corrida”, disse Wolff à emissora inglesa Sky Sports F1.

“Então, precisamos dar um passo atrás após Sochi, voltar para casa, analisar e ver o que aprendemos de um dia como hoje.”

Leia também:

Apesar de Wolff admitir que teria preferido não impor ordens, ele disse que a equipe não podia desperdiçar a oportunidade de coletar o máximo de pontos possíveis para Hamilton.

“Somos todos competidores no coração, e o que queremos ver são corridas francas, que o homem mais rápido vença”, disse.

“Então, somos um bando de caras racionais, e discutimos as coisas pela manhã e tudo aconteceu de forma diferente na corrida. Foi isso o que aconteceu hoje.”

“Deveríamos estar nas nuvens com a dobradinha, e, fundamentalmente, estamos. Mas também sentimos que isso foi contra Valtteri. Teria sido uma vitória para ele, e nós mudamos isso.”

Ele acrescentou: “É um balde de água fria para o piloto e para a equipe. Mas há uma dura realidade em um dia em que podemos estender a liderança por mais sete pontos, em um campeonato que tem sido muito duro e muito difícil em alguns momentos. E temos de aceitar, e foi o que fizemos hoje.”

Wolff também acrescentou que a “bagunça” foi desengatilhada pelo fato de Hamilton ter sofrido bolhas em seus pneus por ter tido de passar Vettel na pista.

“Fomos uma volta atrasados com Lewis, e perdemos a posição para Sebastian”, disse. “Isso desengatilhou o que, digamos, foi uma bagunça, porque saímos atrás de Sebastian.”

“Lewis precisava atacar, e isso causou a bolha. E foi dessa bolha que precisávamos proteger quando Seb estava lhe atacando.”

Próximo artigo
Alonso espera McLaren “um pouco melhor” a partir do Japão

Artigo anterior

Alonso espera McLaren “um pouco melhor” a partir do Japão

Próximo artigo

Não tinha ritmo para superar Magnussen, admite Pérez

Não tinha ritmo para superar Magnussen, admite Pérez
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes Compre Agora
Autor Jonathan Noble