Fórmula 1 2017
Assunto

Fórmula 1 2017

Mercedes e Red Bull brigam sobre teste no Bahrein

Time alemão, capitaneado por Niki Lauda, e a Red Bull, liderada por Christian Horner, estão em lados diferentes na possível mudança de um dos testes de pré-temporada de Barcelona para o Bahrein

Mercedes e Red Bull brigam sobre teste no Bahrein
(L to R): Niki Lauda, Mercedes Non-Executive Chairman with Paul Hembery, Pirelli Motorsport Director
(L to R): Christian Horner, Red Bull Racing Team Principal and Toto Wolff, Mercedes AMG F1 Shareholder and Executive Director in the FIA Press Conference
Christian Horner, Red Bull Racing, Sporting Director
Niki Lauda, Mercedes Non-Executive Chairman
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Worn Pirelli tyres
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Max Verstappen, Red Bull Racing RB12
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 Hybrid
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing

A Fórmula 1 discute a mudança de um dos testes de pré-temporada de 2017 de Barcelona para a Malásia. Há dois defensores fortes de cada lado: a Mercedes, favorável à mudança, e a Red Bull do lado dos opositores.

Uma mudança de sede para fora da Europa só pode ser realizada se a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e a maioria das equipes entrarem em um consenso. Por isso, Niki Lauda, que lidera as negociações por parte da Mercedes, redigiu a carta enviada para a FIA na sexta-feira. 

Ao lado da Mercedes, estão Ferrari, McLaren, Force India, Renault Haas e Manor. Red Bull, Williams, Toro Rosso e Sauber não assinaram a carta capitaneada por Niki Lauda, diretor não-executivo da equipe germânica.

Para Horner, que lidera o lado dos opositores, o time alemão tem outros motivos para testar em Sakhir além dos pneus - o dirigente acredita que a Mercedes quer testar o carro e os sistemas de refrigeração no clima quente do Oriente Médio, o que Lauda nega.

O austríaco alega que atua como parte neutra na questão, auxiliando a Pirelli. Lauda afirma que foi escolhido pessoalmente pelo CEO da fabricante de pneus, Marco Tronchetti Provera, para resolver a questão com a FIA e com as equipes

"A Pirelli simplesmente me pediu, por acreditarem ser eu o 'único cara neutro e sensível no paddock' e pela necessidade deles de um teste em condições climáticas normais, o que nos leva ao Bahrein", disse Lauda ao Motorsport.com.

“Por que precisamos disso? Duas semanas antes da corrida na Austrália, é o último teste de pneus com carros que realmente estarão na pista, com mais downforce. Se não tivermos o teste no Bahrein, não saberemos o que pode acontecer. Precisamos entender se o pneu que introduziremos em Melbourne será um desastre para podermos reagir em Xangai", afirmou.

“Se não fizermos isso direito, com uma temperatura maior, podemos ter problemas nas primeiras quatro corridas - o que não queremos. Agora, temos essa oposição da Red Bull, o que não entendo nem um pouco. Ele diz que não pode ir ao Bahrein porque precisa testar o carro até o último instante e o voo para Sakhir leva muito tempo", acrescentou.

“Precisamos de seis assinaturas (para a mudança), eu consegui sete. A melhor situação no momento, com toda a confusão política e os egos correndo por todos os lados, é que tenhamos dois testes, em lugares diferentes. O que está acontecendo aqui? Barcelona e Bahrein ao mesmo tempo. Eu não entendo isso", disse.

“Temos um carro que venceu os dois últimos mundiais, sem problemas com o sistema de refrigeração. Então o sr. Horner pode ficar tranquilo, pois sabemos o nível de refrigeração de que precisamos para cada prova do ano", ressaltou.

Horner, por outro lado, alega que Lauda não procurou a Red Bull em nenhum momento para falar sobre a carta, pois o austríaco já sabia que teria uma resposta negativa e que já tinha as assinaturas necessárias. Além disso, o chefe do time de Milton Keynes duvida da neutralidade de Lauda na questão com a Pirelli.

“Niki fez um grande trabalho andando por aí. Infelizmente, ele se esqueceu de nos mostrar a carta. Eu não sei se Niki tem uma casa de veraneio no Bahrein, mas me parece que ele está desesperado para passar duas semanas lá", disse Horner ao Motorsport.com.

“Quando Niki Lauda tem sido neutro, sendo diretor não-executivo da Mercedes e, em particular, no departamento de motores? Como em 2014, eles estavam particularmente interessados em testar os sistemas de refrigeração. Isso pouco tem a ver com os pneus", rebateu.

“Para mim, é uma questão que precisa ser decidida pelo Grupo de Estratégia. Há um mês, decidimos que os testes seriam em Barcelona e todos estavam felizes. De repente, essa mudança de opinião pedindo um teste no Bahrein. Os custos associados a isso são enormes", ponderou.

O principal problema de dividir em dois locais uma das sessões de quatro dias é o fato de que a FIA sempre experimenta os novos sistemas de medição nos carros - utilizados nas corridas durante todo o ano - para verificar se tudo funciona corretamente.

A FIA não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo e não pode se dar ao luxo de esperar até Melbourne para verificar se os sistemas funcionam corretamente, então este é mais um elemento que complica uma já delicada situação. Por isso, Lauda sugeriu que a FIA simplesmente faça a primeira sessão em Barcelona, como programado anteriormente, e a segunda seja transferida para Sakhir.

compartilhar
comentários
Em TL3 'pela metade', Rosberg domina; Massa é 6º
Artigo anterior

Em TL3 'pela metade', Rosberg domina; Massa é 6º

Próximo artigo

Rosberg crava pole em boa disputa com Hamilton no Japão

Rosberg crava pole em boa disputa com Hamilton no Japão
Carregar comentários