Entrevista

Processo de 2008: Massa desmente presidente da FIA, responde sobre dividir título com Hamilton e compara caso a Abu Dhabi-2021

Piloto de São Paulo contesta versão do mandatário do órgão, diz se já falou com rival britânico sobre 2008 e compara com última grande polêmica da categoria

Felipe Massa, emocionado, bate orgulhosamente no peito a insígnia do Prancing Horse ao comemorar a vitória e uma temporada bem disputada diante de sua torcida.

Em meio à empreitada jurídica de Felipe Massa na busca por justiça após fatos novos sobre a temporada 2008 da Fórmula 1 virem à tona, o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Mohammed ben Sulayem, disse que falou sobre o caso com o piloto, mas o brasileiro revelou ao Motorsport.com que, na verdade, o mandatário do órgão não respondeu às mensagens enviadas pelo paulista ao dirigente.

O editor recomenda:

No GP do Catar de F1, ben Sulayem afirmou à Reuters que 'encorajou' Massa a tomar as providências que achasse necessárias após ser contatado pelo brasileiro sobre o caso. "Eu respondi dizendo: 'Depende de você, faça o que achar certo para você, mas a FIA terá de se proteger'. Temos nossas regras desportivas, nossos estatutos que dizem que após determinado período depois de um evento, não se pode [fazer nada]", disse Mohammed.

"Mas as pessoas podem desafiar isso... [O livro de regras da FIA] não é o livro de Deus", completou o presidente da entidade. Porém, em entrevista exclusiva ao Motorsport.com, Massa afirmou que, ainda que tenha contatado ben Sulayem para explicar seu lado no polêmico caso, não obteve resposta do 'cartola' dos Emirados Árabes Unidos: "Fiquei até um pouco surpreso [com a fala de ben Sulayem] porque não teve essa conversa com ele".

"A gente nunca conversou sobre o caso. No final, eu não tive uma conversa com ele: mandei uma mensagem explicando o caso e dizendo que estava à disposição para a gente conversar, e ele nunca me respondeu. Nunca teve essa conversa", explicou Felipe.

"Nossos advogados sabem disso, só isso que eu tenho a dizer..."

O ex-Ferrari ponderou: "Eu espero e acredito que a FIA tenha que defender o esporte: não é [sobre] se defender, e sim defender o que é justo e o que é o correto pelo esporte em geral, acho que esse é o ponto principal".

Questionado sobre as palavras do mandatário da FIA mencionando o "livro de Deus", o paulistano respondeu de maneira direta: "Nossos advogados sabem disso, só isso que eu tenho a dizer...".

2008 e 2021

Na esteira de declarações recentes do chefe da Mercedes F1, Toto Wolff, que admitiu observar o caso de Massa com atenção para aproveitar quaisquer brechas para também judicializar o GP de Abu Dhabi no qual Lewis Hamilton acabou perdendo o título para o rival holandês Max Verstappen em 2021, Felipe foi enfático. "São coisas completamente diferentes", salientou ele, que vê a fala do austríaco como prova da importância de 2008.

"Uma coisa é uma manipulação do esporte e outra coisa é um erro arbitral, né? Tipo um juiz (de futebol) fazer besteira..", disse Massa sobre a polêmica envolvendo seu antigo rival inglês, que acabou ficando com a taça de 2008 quando ainda corria pela McLaren.

Divisão do título de 2008 com Hamilton?

"O mais importante é a gente ter a justiça feita da maneira certa... Na verdade, o correto, o trabalho [de meus advogados], é [pelo] cancelamento da corrida [de Singapura-2008]. Entendo que a gente está 15 anos depois, mas a justiça tem que ser feita da maneira certa e é por isso que a gente vai lutar", começou a elaborar Massa antes de responder de forma mais específica à pergunta sobre dividir a taça com o piloto britânico.

"Se a justiça for feita e a gente achar que realmente o correto é isso (divisão do título com Hamilton), até porque (a divisão já) aconteceu em outros esportes, é algo para ser analisado. Mas vamos atrás da justiça e do troféu, esse é o ponto principal", ressaltou ele.

"O mais importante é o trabalho que a gente está fazendo em cima da FIA e em cima da F1, que são as duas potências que tomaram conta dessa situação e desse caso. A gente entende também que é a mesma empresa, mas são pessoas diferentes em relação às pessoas da época, espero que as pessoas de hoje mostrem que as coisas são diferentes", seguiu Massa.

"Espero que as pessoas que tomam conta hoje, tanto na FIA quanto na FOM (Formula One Management), enxerguem que esse tipo de situação é inaceitável e que não podem virar as costas para um caso como esse. Espero que realmente eles limpem aquilo...".

Falou com Hamilton sobre o caso?

"Não, nunca. Eu nunca falei com Hamilton [sobre isso] e, na verdade, vejo que as pessoas têm muito receio de comentar sobre o caso...", afirmou Felipe à reportagem no Velocitta, onde ele disputa etapa da Stock Car com a equipe Lubrax | Podium.

"Mas tenho muito apoio, para falar a verdade... de muita gente que não pode falar. E muito apoio das pessoas na rua, do meu país e de outros países também", finalizou ele, que também passou por Sauber e Williams na elite global do esporte a motor.

F1: Confira debate sobre o primeiro dia de treinos do GP do México

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #253 – Desclassificação de Hamilton nos EUA 'salva pele' de Pérez na Red Bull?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Saward revela bastidores da última negociação entre Red Bull e Norris, já para 2024; saiba mais
Próximo artigo F1: Quem pode se dar bem no GP do México?

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil