Últimas notícias

Chefe da Haas não se opõe à ideia de corridas com grid invertido

Gunther Steiner disse que era preciso fazer experimentos na Fórmula 1, já que as regras de 2021 não vão resolver tudo

Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19, leads Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19, Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo Racing C38, Lance Stroll, Racing Point RP19, Daniel Ricciardo, Renault F1 Team R.S.19, Pierre Gasly, Toro Rosso STR14, Daniil Kvyat, Toro Rosso STR14, and George Russell, Williams Racing FW42, at the start

O chefe de equipe da Haas, Gunther Steiner, disse que a Fórmula 1 experimentar formatos de corrida em 2020 vale a pena, porque os novos regulamentos de 2021 não serão a solução para todos os problemas da categoria.

Uma das principais polêmicas recentes é a ideia de fazer corridas de classificação com o grid invertido. "Às vezes você tem que experimentar. Como você descobre se funciona ou não se você não tenta?", refletiu o dirigente italiano.

Leia também:

"Quero dizer, podemos fazer simulações - se fizermos, acabamos [dizendo] 'não vamos fazer', porque há um risco envolvido. Toda mudança envolve um risco, ninguém quer mudar. Então eu apoio, com a ressalva de que, se não funcionar, sejamos honestos e não continuemos”.

Outro aspecto preponderante em pauta é o limite orçamentário para as equipes. A ideia é evitar que os times do pelotão da frente gastem muito mais com o desenvolvimento dos carros do que as escuderias médias.

Quer assistir F2, F3 e Indy de graça? Se inscreva no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

Entretanto, os valores discutidos, que ficam na casa dos 175 milhões de dólares, desagradam as equipes do pelotão intermediário, com a Renault dizendo que a quantia é alta e poderia fazer com que todos gastassem mais.

Steiner também falou sobre o assunto. “Todo mundo está trabalhando nessa ideia, mas acho que a única maneira de fazê-la seria um limite de orçamento ainda mais reduzido, o que é muito difícil de fazer para as grandes equipes”, ponderou o chefe da Haas, que recentemente rompeu com sua patrocinadora máster, a Rich Energy, e está com o carro 'pelado'. Veja:

Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19, leads Nico Hulkenberg, Renault F1 Team R.S. 19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19
Romain Grosjean, Haas F1 Team
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19, suffers a spin
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19, suffers a spin
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-19
17

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Williams planeja asa dianteira “experimental” para GP do Japão
Próximo artigo Com Werhlein, equipe espanhola quer entrar na Fórmula 1 em 2021

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil