Fórmula 1
R
GP de Eifel
09 out
Próximo evento em
20 dias
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
34 dias
04 dez
Próximo evento em
76 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
83 dias

Wolff diz que Mercedes não pode contar com vitória desde o início: "A corrida não acaba até a bandeira quadriculada"

compartilhar
comentários
Wolff diz que Mercedes não pode contar com vitória desde o início: "A corrida não acaba até a bandeira quadriculada"
Por:
, Editor

Toto Wolff revelou que a Mercedes considerou parar Hamilton na volta final, mas optou por mantê-lo na pista

A Mercedes estava a caminho de mais uma dobradinha tranquila no GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1, quando Valtteri Bottas e Lewis Hamilton tiveram problemas nos pneus nas últimas voltas, custando os pontos ao finlandês. E, para a Mercedes, essa é a prova de que a equipe não pode contar com a vitória desde o início.

A falha de Bottas, a três voltas do fim, fez o finlandês terminar apenas em 11º, sem conseguir ultrapassar Sebastian Vettel na volta final, enquanto Hamilton conseguiu levar o carro pelos metros finais, garantindo seu terceiro triunfo em 2020.

Leia também:

Apesar do domínio da Mercedes no início da temporada e vantagem no ritmo de corrida sobre o resto do grid, o chefe da equipe, Toto Wolff, sempre alertou que a equipe não pode tomar tudo por certo.

Wolff disse que as falhas do domingo eram prova de que a Mercedes não pode contar com a vitória, dizendo que poderia ter sofrido um abandono duplo.

"Eu sei que recebo muitas críticas quando aponto que problemas acontecem, que uma vez que você acha que tudo está indo bem e que só está andando em direção ao por do sol, essas coisas acontecem", disse.

"Poderíamos ter perdido os dois carros hoje, sem pontos, e aí a vantagem no mundial teria sumido em um segundo. Ainda teríamos o carro mais rápido de SIlverstone, mas sem pontuar".

"É por isso que sempre lembro que o campeonato não acaba até que seja impossível para que alguém nos alcance e a corrida não acaba até a bandeira quadriculada. Sobre isso, sim, não fico feliz que minhas previsões se tornam realidade de vez em quando".

"Mas é isso que eu amo no esporte a motor, é muito imprevisível até o fim".

Hamilton conseguiu manter a liderança devido a parada de Max Verstappen na penúltima volta, abrindo uma vantagem de 30 segundos no momento que seu pneu estourou.

Wolff revelou que a Mercedes considerou parar Hamilton devido a distância para Verstappen, mas não achou que seus pneus estavam em condições similares a de Bottas no início da volta final.

"Parar ou não parar? Essa foi exatamente a discussão que tivemos no pitwall. Tínhamos uma boa distância para Max, mas era apenas uma volta, então decidimos não parar e tudo parecia bem naquele momento".

"O pneu de Lewis estava em condições melhores que o de Valtteri. E tudo ainda parecia aleatório. E aí tudo aconteceu e, do nada, tivemos as imagens de Sainz e, momentos depois, de Lewis com o furo".

"Olhando agora, uma parada teria sido melhor mas, no final, não sabemos a causa do furo. Pode ter sido detrito, o pneu novo teria uma integridade maior, mais borracha e teria sobrevivido aos detritos".

"Aprendemos com isso e, se tivermos distância, provavelmente vamos parar se o pneu estiver nessas condições".

PÓDIO: Hamilton vence com três rodas em GP da Grã-Bretanha maluco

PODCAST: Bastidores do futuro do GP do Brasil e os ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

 

Racing Point ainda não tem data para retorno de Pérez: "Não sabemos se a quarentena é de sete ou dez dias"

Artigo anterior

Racing Point ainda não tem data para retorno de Pérez: "Não sabemos se a quarentena é de sete ou dez dias"

Próximo artigo

Grosjean se defende de críticas de pilotagem agressiva: "Max usa muito isso nas corridas, então pensei por que não?"

Grosjean se defende de críticas de pilotagem agressiva: "Max usa muito isso nas corridas, então pensei por que não?"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes
Autor Luke Smith