Wolff: Mercedes "não deve se deixar levar" após destaque de Russell

Chefe da equipe alemã insistiu que bom desempenho do piloto da Williams não deve interferir em negociações da Mercedes

Wolff: Mercedes "não deve se deixar levar" após destaque de Russell
Carregar reprodutor de áudio

Chefe da Mercedes na Fórmula 1, Toto Wolff advertiu que a equipe "não deve se deixar levar" pelo espetacular final de semana de George Russell no GP de Sakhir. Wolff insistiu que Lewis Hamilton continua sendo a referência e enfatizou o papel que o heptacampeão mundial desempenhou na elevação da equipe e no desenvolvimento de seus carros desde que ingressou em 2013.

O desempenho impressionante de Russell - que perdeu uma provável vitória na corrida - inevitavelmente levou os observadores a sugerir que a Mercedes pode não precisar de Hamilton no futuro.

Leia também:

“Acho que Lewis Hamilton ganha muito, e muitos títulos, porque ele é o melhor piloto no melhor carro do momento”, disse Wolff. “E é por isso que temos uma influência positiva quando o carro funciona bem para fazer parte de seu sucesso, e temos uma influência negativa quando nosso carro não funciona”.

“Portanto, nunca é um piloto que faz toda a diferença e nunca é o carro que faz toda a diferença, é a combinação dos dois. Lewis ainda é a referência, ele é o melhor piloto”. 

“Ele provou isso com seus múltiplos recordes. E não devemos nos deixar levar nesta fase por uma pilotagem fenomenal de um novo garoto que tem um futuro brilhante na F1. Lewis ainda é a referência”.

Wolff acrescentou que tentou ajudar Russell, colocando um limite nas expectativas de seu primeiro encontro com a equipe. “Ao dizer que não esperamos nada melhor do que um top-5 ou top-4, eu queria tirar a pressão dele”, disse ele. “Porque a verdade é que ele não está em uma luta pelo campeonato”.

“Nossa equipe já fez isso, e se trata de aprender, trabalhar em um novo ambiente e ter um pouco mais de pressão. Acho que a pressão foi tão grande na sexta-feira que achamos que tirar um pouco mais seria bom. Acho que fomos confirmados [na corrida] sobre o potencial dele”.

Wolff insistiu que o desempenho de Russell não seria usado como uma alavanca nas negociações salariais com Hamilton. “São duas coisas diferentes. Lewis está com a equipe há oito anos, tivemos grande sucesso no passado. Ele é um membro da equipe”.

“E eu já disse antes de que não podemos deixar que os eventos deste final de semana interfiram ou alterem qualquer uma de nossas negociações”.

“Eu acho que não seria justo contra ele. E não seria justo contra nós, porque poderia ter acontecido ao contrário. E um final de semana de corrida onde George não estaria no ritmo”.

“E eu não acho que ele diria, ‘espere um minuto agora, isso é uma vantagem para mim’. Nosso relacionamento vai muito além disso”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

TELEMETRIA: Entenda IMPACTO de Russell na Mercedes e raio-x de GP de Abu Dhabi com Rico Penteado

PODCAST: 'Show' de Russell pode gerar problema para Mercedes?

 

compartilhar
comentários
F1: Bottas diz não sentiu "grande responsabilidade" para guiar Russell em Sakhir
Artigo anterior

F1: Bottas diz não sentiu "grande responsabilidade" para guiar Russell em Sakhir

Próximo artigo

Pódio de construtores e 'melhor do resto': o que está em jogo no GP de Abu Dhabi de F1?

Pódio de construtores e 'melhor do resto': o que está em jogo no GP de Abu Dhabi de F1?
Carregar comentários