Vergne é dúvida para prova em Paris após toque com Nelsinho

Jean-Éric Vergne sofreu contusão na mão em acidente com Nelsinho Piquet no ePrix de Mônaco e teme ficar de fora do ePrix de Paris, que acontece no próximo sábado

Vergne é dúvida para prova em Paris após toque com Nelsinho
Carregar reprodutor de áudio

Jean-Éric Vergne abandonou o ePrix de Mônaco, realizado no último sábado, após um toque com Nelsinho Piquet na 22ª volta da prova.

O francês tentou ultrapassar o brasileiro por fora na saída da curva 3, mas Piquet não recuou e Vergne insistiu. Com o resultado, os dois fizeram contato e o piloto da Techeetah bateu no guard-rail, abandonando a prova.

Vergne reclamou da postura de Piquet e revelou que não conseguia mexer a mão direita de maneira natural e que um raio-x seria necessário para averiguar o estado da mão, colocando-o como dúvida para o ePrix de Paris, marcado para o próximo sábado.

“Ele destruiu minha corrida aqui e talvez a próxima, em Paris", disse Vergne ao Motorsport.com. Farei de tudo para estar em forma para a corrida em Paris, mas quando você está contundido nunca se sabe o que acontece dentro do corpo."

 

Questionado sobre o acidente, Vergne respondeu: "Não se trata da minha perspectiva, trata-se do que aconteceu, é fato. Não estou exagerando."

“Eu o superei na freada e ele simplesmente usou meu carro para se apoiar e contornar a curva. Recebi dois toques fortes no meio da curva e estávamos lado a lado na saída. Ele me espremeu na saída e terminei batendo no guard-rail, machucando minha mão", contou.

Vergne disse ainda que a batida custou "o pódio, sem dúvida", e acrescentou:  “Não nos falamos. Espero que ele se arrependa, pois ele não pode esconder. Não estou sendo tendencioso, está bem claro o que aconteceu.

Piquet, por sua vez, disse que sabia que Vergne pensaria que havia sido algo intencional, mas o brasileiro garante que foi um incidente de corrida.

“Vergne é um piloto normalmente agressivo, um cara forte. Ele não espera por oportunidades, ele gosta de ir até o limite", disse Piquet.

“Pensei que ele recuaria, pois eu não permitiria que ele me ultrapassasse por fora ali, então ele veio até mim. Nossos carros se tocaram e ficamos presos um ao outro até o toque dele no muro. Tive sorte de sair ileso dali."

“Foi uma pena, incomoda-me que tenha acontecido com ele, não gosto deste tipo de situação. Não gosto de sentimentos ruins e tenho certeza de que ele está chateado e pensa que fiz de propósito, mas apenas estava defendendo minha posição", completou.

 
compartilhar
comentários
Di Grassi lamenta falta de pontos de ultrapassagem em Mônaco
Artigo anterior

Di Grassi lamenta falta de pontos de ultrapassagem em Mônaco

Próximo artigo

Fórmula E: Pilotos pedem traçado da F1 para ePrix de Mônaco

Fórmula E: Pilotos pedem traçado da F1 para ePrix de Mônaco