Ericsson: vencer uma corrida em 2019 é “meta realista”

compartilhar
comentários
Ericsson: vencer uma corrida em 2019 é “meta realista”
Por:
22 de jan de 2019 13:28

Sueco destaca adaptação à nova categoria e diz que quer andar no pelotão da frente ao máximo em sua temporada de estreia na Indy

Marcus Ericsson, ex-piloto da F1, acredita que uma vitória em sua temporada de estreia na Indy é uma meta realista devido à força da equipe Arrow Schmidt Peterson Motorsports e sua compatibilidade com seu companheiro de equipe, James Hinchcliffe.

Ericsson, que correu pela Sauber nos últimos quatro anos, completou apenas dois dias de testes com a Indy até agora, ambos em Sebring, mas afirmou que conseguiu aprender durante todas as voltas com o carro.

Ele disse ao Motorsport.com: “Meu segundo teste foi muito bom. Dei continuidade à experiência que tive em dezembro. Foi mais questão de passar por acertos diferentes novamente, tentar coisas diferentes antes de irmos a St. Petersburgo [local da abertura da temporada].”

“Estou tentando construir uma referência sobre o que cada mudança faz com o carro e seu equilíbrio. Essa é a ideia básica – para eu ter uma referência na minha cabeça e também para a equipe ter uma referência sobre como eu reajo a mudanças no acerto e o que eu tendo a gostar e a não gostar. Passamos por muitas coisas diferentes.”

“Mas nas últimas horas eu realmente comecei a entrar no ritmo e tivemos um ótimo encerramento de teste. Saí de lá com uma ótima sensação.”

Ericsson, que obteve a primeira de suas três vitórias na GP2 em sua temporada de estreia, afirmou que quer repetir o feito na Indy.

“Vencer uma corrida é a meta, com certeza. Tem e ser”, disse. “Tenho um enorme respeito pelos caras de ponta na categoria, que estão aqui há bastante tempo, e têm experiência em correr nesse tipo de pista, com esse tipo de carro. Então, sei que será um grande desafio para mim.”

“Mas tenho uma ótima equipe por trás, e com a Arrow aumentando seu envolvimento, isso ajudará a equipe a dar mais um passo. Então, realmente sinto que temos a possibilidade de vencer.”

“De qualquer forma, acho que você sempre tem de mirar alto para alcançar algo, e eu estabeleci essa meta pessoal: vencer uma corrida e lutar o máximo que posso na frente. É uma meta dura, mas é alcançável, acho.”

Próximo artigo
Chilton e Kimball garantem permanência na Indy pela Carlin em 2019

Artigo anterior

Chilton e Kimball garantem permanência na Indy pela Carlin em 2019

Próximo artigo

Harvey é confirmado em 10 corridas com a MSR em 2019

Harvey é confirmado em 10 corridas com a MSR em 2019
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Pilotos James Hinchcliffe , Marcus Ericsson
Equipes Schmidt Peterson Motorsports
Autor David Malsher