Novo chefe quer levar McLaren de volta a Le Mans

Zak Brown vê importância histórica para a McLaren na tradicional corrida francesa: “Adoraria nos ver em Le Mans”

Novo chefe quer levar McLaren de volta a Le Mans
Carregar reprodutor de áudio

Novo chefe da McLaren, Zak Brown quer levar a marca de volta a Le Mans. A McLaren ganhou as 24 Horas em 1995, com JJ Lehto, Masanori Sekiya e Yannick Dalmas no F1 GTR. Seu programa de fábrica continuou até o final de 1997, com a última aparição da McLaren na prova datando de 1998.

Brown explicou que um retorno a Le Mans para a marca de Woking caberia a sua função de promover a marca após sua nomeação como diretor executivo do McLaren Technology Group, que incorpora a divisão de carros.

"Ganhamos Le Mans e a corrida está em nossa história, e parte do meu trabalho é decidir onde a marca McLaren deve competir", disse ele à publicação irmã do Motorsport.com, a Autosport.

"Voltar a Le Mans é algo que nós identificamos e estamos discutindo. Pessoalmente, adoraria nos ver em Le Mans, e eu não sou o único com essas opiniões."

A decisão final sobre um retorno às 24 Horas seria feita pela McLaren Automotive e seu chefe de operações, Mike Flewitt.

Ele disse que um regresso a Le Mans provavelmente viria pela categoria GTE, mas quando perguntado se a McLaren poderia construir um carro LMP1 na tentativa de repetir seu triunfo geral, ele respondeu: "nunca diga nunca".

Brown disse que um programa GTE envolvendo uma entrada no Mundial de Endurance "levaria vários anos para ser montado".

Os comentários de Brown vêm após a nomeação de um novo chefe de motorsport para equipe, o ex-Strakka Dan Walmsley, que atuará na divisão de operações especiais da McLaren Automotive.

Brown disse que ainda irá determinar se o desenvolvimento do carro de GTE será feito internamente ou pela McLaren GT, companhia independente que produz os GT3 e GT4 da montadora desde 2011.

Chefe da McLaren GT, Andrew Kirkaldy enfatizou repetidamente que sua empresa precisaria do apoio da McLaren para desenvolver um carro para a divisão GTE, dominada por fábricas, diferentemente de seus programas de clientes GT3 e GT4.

"Houve discussões, mas não posso dizer muito", disse ele. "A esperança é que estaremos envolvidos."

A McLaren GT tem contratos em andamento que cobrem a vida do 650S GT3 e dos pilotos do 570S GT4.

Uma versão GTE do MP4/12C GT3 estava nos planos em 2012, com o desenvolvimento planejado para 2013. Porém, o programa foi arquivado depois que a FIA e o promotor de WEC, o Automobile Club de l'Ouest, lançaram uma oferta mal sucedida de equalizar os regulamentos da GTE e da GT3.

compartilhar
comentários
Com estreia de Barrichello, Le Mans tem 60 carros para 2017
Artigo anterior

Com estreia de Barrichello, Le Mans tem 60 carros para 2017

Próximo artigo

Hulkenberg não pretende voltar a Le Mans em 2017

Hulkenberg não pretende voltar a Le Mans em 2017
Carregar comentários