Todt: "Le Mans foi especial para mim antes mesmo da Peugeot"

Presidente da FIA diz ao Motorsport.com que as 24 Horas de Le Mans ajudou a moldar seu desejo de se envolver no automobilismo

Todt: "Le Mans foi especial para mim antes mesmo da Peugeot"
Carregar reprodutor de áudio

Falando com James Allen, juntamente com o chefe da ACO, Pierre Fillon, o presidente da FIA, Jean Todt revelou que veio a Le Mans quando jovem, o que o fez disparar sua motivação para o esporte.

Ele viria a ganhar o evento como chefe de equipe com a Peugeot Sport, na década de 1990. 

"Le Mans é muito especial", disse Todt. "Tem sido um grande produto há 110 anos. Muitas memórias, grandes lutas , marcas incríveis, Ferrari, Ford, Mercedes, Jaguar - você construiu a história com estes ingredientes incríveis."

"A corrida é especial para mim porque, antes de ter a minha carta de motorista, eu costumava vir a Le Mans. O único autógrafo na minha vida que já pedi foi em Le Mans, com Dan Gurney, que se tornou um amigo."

"Claro, a última participação foi quando eu era o chefe de equipe da Peugeot em 1993, quando fizemos 1-2-3. Foi a minha última corrida antes de me juntar à Ferrari na F1, por isso é uma memória especial para mim."

Veja a entrevista completa no vídeo abaixo (em inglês):

Esporte pode ajudar na segurança nas estradas

Antes do evento, Todt tirou uma foto oficial para a Action for Road Safety, junto ao astro de Hollywood Brad Pitt.

Ele acredita que as corridas de carros - como em Le Mans - podem ajudar a moldar o futuro na melhoria da tecnologia na segurança nas estradas, bem como a utilização de seus pilotos como modelos.

Todt acrescentou: "há muito progresso feito pela segurança em todos os níveis e em todas as categorias do automobilismo. Le Mans sempre esteve na liderança disso, no design, na pista, nos equipamentos para os pilotos, para os oficiais que a tornam mais segura etc.  Precisamos usar o que aprendemos no automobilismo para a estrada. Nós simplesmente não podemos aceitar que 1,3 milhões de pessoas morram nas estradas a cada ano, com 15 milhões de feridos."

"Devemos usar este laboratório para os carros de estrada. E temos que incentivar todos os nossos campeões a participarem de ações de segurança rodoviária e serem exemplos para os motoristas."

compartilhar
comentários
Di Grassi: Audi tem "muita lição de casa" após Le Mans
Artigo anterior

Di Grassi: Audi tem "muita lição de casa" após Le Mans

Próximo artigo

Derani lamenta problemas em Le Mans: “decepcionante”

Derani lamenta problemas em Le Mans: “decepcionante”