Espargaro: "Estou bem longe do nível em que deveria estar"

Piloto espanhol admite não estar nada satisfeito com seu desempenho, mas garante trabalho forte no restante da temporada mesmo com saída da Suzuki confirmada

Espargaro: "Estou bem longe do nível em que deveria estar"
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki Ecstar MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki Ecstar MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP
Aleix Espargaro, Team Suzuki MotoGP and Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Carregar reprodutor de áudio

Algumas semanas atrás, Aleix Espargaro anunciou sua saída da Suzuki para a Aprilia na temporada de 2017 da MotoGP. Mesmo assim, o espanhol garantiu que sua partida não irá afetar o objetivo de tentar conseguir bons resultados para a equipe japonesa nas etapas que ainda restam deste ano.

Após metade da temporada, ele é o 11º colocado, com 51 pontos, 119 a menos do que o líder, Marc Marquez, e 32 atrás de seu companheiro de equipe, Maverick Vinales. Até agora o melhor resultado de Espargaro foi a quinta colocação, obtida tanto em Austin como em Jerez.

"Não estou nada satisfeito com minha performance até agora. Estou longe do nível em que deveria estar. Tenho trabalhado forte tanto dentro como fora da pista para finalizar o ano muito melhor do que isso", disse Espargaro ao Motorsport.com.

Para o piloto de Barcelona, 2016 não tem sido um ano fácil, ainda mais do ponto de vista motivacional. Sua prioridade era ficar na Suzuki, mas a equipe japonesa decidiu ter uma dupla nova de pilotos para 2017. Em Mugello, a Suzuki anunciou a saída de Vinales para a Yamaha e a chegada de Andrea Iannone da Ducati. Foi um duro golpe para Espargaro, que admitiu ter ficado sabendo de sua saída pela imprensa. Mais tarde, em Assen, a Suzuki anunciou ter assinado com Alex Rins e, no mesmo domingo, após a corrida, a Aprilia confirmou o acordo com Espargaro.

"São muitos fatores juntos e não quero usar desculpas. A moto é competitiva, assim como Maverick". 

"Outras circunstâncias influenciaram, então não estou 100% motivado, mas quando a gente sobre na moto e trabalha, tudo se resume a ser competitivo ou não. E estou trabalhando mais duro do que nunca com a equipe, fisicamente inclusive".  

compartilhar
comentários
VÍDEO: último episódio da série sobre Valentino Rossi
Artigo anterior

VÍDEO: último episódio da série sobre Valentino Rossi

Próximo artigo

Dovizioso: "não estou obcecado por vencer uma corrida"

Dovizioso: "não estou obcecado por vencer uma corrida"