MotoGP GP da Holanda

MotoGP: Pramac confirma fim da parceria com Ducati e acordo com Yamaha a partir de 2025

Com isso, VR46 deve assumir "herança" da Pramac, recebendo as motos de fábrica da Ducati em 2025

Franco Morbidelli, Pramac Racing
A Pramac confirmou nesta sexta-feira sua separação da Ducati no final da atual temporada da MotoGP, para se tornar uma equipe satélite da Yamaha em 2025.
Conforme revelado pelo Motorsport.com na quinta-feira, a equipe italiana encerrará um relacionamento que começou há quase duas décadas, em 2005, para assinar um novo contrato plurianual com a Yamaha.
Leia também:
A Pramac parece estar mais forte do que nunca este ano com duas GP24 de fábrica, com Jorge Martín liderando o Mundial com uma vantagem de 18 pontos antes do GP da Holanda deste fim de semana em Assen.
Mas, apesar do desempenho competitivo na pista, uma série de outros desentendimentos com a Ducati levou a equipe de Paolo Campinoti a não aproveitar a opção que tinha de renovar seu contrato com a Ducati. 
Campinoti havia detectado um interesse crescente da Ducati na estrutura da VR46, e a marca italiana chegou a levantar a possibilidade de a Pramac ceder uma moto oficial para a equipe de Valentino Rossi, o que desencadeou uma guerra interna - e a eventual separação entre as duas partes.
A separação, no entanto, significa que a Yamaha terá mais uma vez uma equipe satélite em seu nome, o ponto culminante dos esforços do chefe de equipe Lin Jarvis, que deve se aposentar de seu cargo no final de 2024.
Colocar mais duas Yamaha M1 no grid de 2025 era o próximo objetivo principal de Jarvis, depois de ter convencido o campeão de 2021, Fabio Quartararo, a permanecer com a fabricante japonesa em um novo contrato plurianual. 
Espera-se que a Pramac seja um grande impulso para a Yamaha em sua busca para retornar ao topo do grid, pois terá mais recursos para desenvolver a M1.
Jorge Martin, Pramac Racing

Jorge Martin, Pramac Racing

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

A marca pretende fornecer quatro motos idênticas para suas duas equipes na próxima temporada, oferecendo paridade de equipamentos à Pramac como parte do contrato. Isso marca uma mudança de filosofia para a marca, que antes se concentrava em fazer negócios em vez de melhorar a competitividade de suas motos com equipes satélites.
Ainda não está claro quais serão os dois pilotos da Pramac no próximo ano, pois Martíin já anunciou sua decisão de se juntar à Aprilia no próximo ano.  A formação do mercado de pilotos causada pela Ducati, que contratou Marc Márquez para ser parceiro de Francesco Bagnaia em sua equipe oficial no próximo ano, não deixa muitas alternativas de alta qualidade.
Mas, do grid atual, Fabio di Giannantonio, da VR46, e Miguel Oliveira, da Trackhouse, parecem ser as escolhas mais lógicas. O futuro do piloto da Yamaha, Álex Rins, também não está claro até o momento. 
Outro candidato muito comentado recentemente é a estrela do Mundial de Superbike, Toprak Razgatlioglu, embora o piloto turco esteja vinculado à BMW até 2026 e precisaria encontrar uma maneira de rescindir seu contrato.
A Pramac também poderia considerar a promoção de jovens pilotos, portanto, Sergio Garcia ou Alonso Lopez da Moto2 não podem ser descartados.
Como consequência do acordo entre a Pramac e a Yamaha, a VR46 herdará automaticamente sua posição atual e contará com o apoio da fábrica a partir do próximo ano.
Marco Bezzecchi, VR46 Racing Team

Marco Bezzecchi, equipe VR46 Racing

Foto de: Gold and Goose / Motorsport Images

Em princípio, a equipe deve receber duas motos idênticas às dos pilotos da equipe de fábrica, Márquez e Bagnaia, além de suporte técnico completo. A VR46 também não decidiu sua formação, embora um dos pilotos deva ser Fermin Aldeguer, que assinou contrato com a Ducati no início do ano e foi originalmente colocado na Pramac.
O outro piloto, devido à familiaridade com a Ducati, poderia ser Franco Morbidelli, atual companheiro de equipe de Martin na Pramac.

ROSSI na F1, AGOSTINI mulherengo, Marc, DEDO DO MEIO e +: CAUSOS de Fausto Macieira, MotoGP em ASSEN

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Histórias com Valentino Rossi, Giacomo Agostini e cia: 'causos' de Fausto Macieira e MotoGP em Assen

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE

Motorsport Business #13 – Como manter LEGADO de AYRTON SENNA com ANA SIMÕES, da Senna Brands

.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior MotoGP: Em meio à ida de Marc para a Ducati, Álex Márquez segue na Gresini em 2025
Próximo artigo MotoGP: Bagnaia lidera sexta-feira do GP da Holanda com novo recorde de Assen

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil