Fórmula 1 GP da Espanha

ANÁLISE: F1 2024 "volta ao normal" em Barcelona? Red Bull pode dominar?

No GP da Espanha deste fim de semana, a Red Bull parece pronta para recuperar o controle total depois de uma série de circuitos mais complicados

Max Verstappen, Red Bull Racing RB20, celebrates on track after winning the race

Foto de: Andy Hone / Motorsport Images

A temporada de 2024 da Fórmula 1 se tornou uma corrida de três ou até quatro cavalos nas últimas provas, mas a Red Bull está ansiosa para reafirmar seu domínio em circuitos que se adaptam melhor ao seu carro.
A McLaren e a Ferrari estavam diminuindo a distância para a Red Bull desde suas respectivas atualizações em Miami e Ímola. E, no Canadá, a Mercedes entrou na briga para torná-la uma batalha de quatro vias ao atingir um ponto ideal com suas próprias atualizações.
Leia também:
O aumento da disputa injetou nova vida à temporada após o passeio de Max Verstappen e da Red Bull em 2023.
Nas últimas quatro corridas, a margem do pole em relação ao segundo colocado - com variação na equipe que completou a primeira fila - foi de 0s141, 0s091, 0s154 e 0s000, este último cortesia do empate épico entre George Russell e Verstappen em Montreal.
As margens de vitória também diminuíram, chegando a menos de um segundo na emocionante Ímola, em que Verstappen precisou segurar Lando Norris e a McLaren após sofrer com seus pneus.
Mas o elefante na sala é que as últimas quatro corridas ocorreram em circuitos técnicos com muitas ondulações e lombadas que cutucavam o "calcanhar de Aquiles" da Red Bull.
Ambos os pilotos estavam claramente lutando contra o comportamento recalcitrante do carro, que afetou gravemente a confiança de Sergio Perez. Mas Verstappen ainda venceu duas das últimas quatro corridas, o que pode ser um sinal ameaçador para os circuitos tradicionais de Barcelona, Áustria e Silverstone, que formam a primeira rodada tripla de 2024.
Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, lifts the winner's trophy

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1ª posição, levanta o troféu de vencedor

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Charles Leclerc já advertiu que "a força da Red Bull será mais visível em uma pista como Barcelona", e Russell repetiu o alerta dos pilotos da Ferrari com palavras semelhantes.

Red Bull mantém confiança.

"Sim, essa corrida nos dará uma visão clara", disse o conselheiro da Red Bull, Helmut Marko, ao Motorsport.com. "Barcelona é uma pista de corrida tradicional e, portanto, nos dará uma boa indicação do que está por vir na Áustria, Silverstone e assim por diante. Achamos que Barcelona deve ser 'boa' para nós".
O chefe Christian Horner foi igualmente otimista depois que a Red Bull passou praticamente incólume pela sua sequência mais difícil nos circuitos não-tradicionais, com duas vitórias e poles.
"As últimas duas corridas foram mais agitadas para nós, mas ainda conseguimos vencer duas das últimas três corridas", disse Horner. "Fizemos a pole em Ímola e conseguimos igualar o tempo da pole [em Montreal] com um carro em que os dois pilotos estão sentindo as deficiências [do] carro".
Mas não há tanto consenso sobre quem será o rival mais próximo, porque as diferenças são tão pequenas que não dá para saber e são muito mais específicas de cada pista.
A McLaren pode se orgulhar de ter sido a mais consistente nas últimas semanas, marcando entre 27 e 30 pontos em cinco finais de semana consecutivos. Ela também vai para circuitos onde seu MCL38 deve ser forte, tendo sido uma força importante na segunda metade de 2023 em curvas de alta velocidade.
Grande parte de seu desempenho recente se deve à obtenção de mais desempenho em seções de baixa velocidade, mas a equipe espera que isso não tenha comprometido sua boa performance em alto downforce.
Oscar Piastri, McLaren MCL38

Oscar Piastri, McLaren MCL38

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

"Acho que ainda podemos manter a confiança", disse Oscar Pastri. "Eu não diria que somos fracos em alta velocidade, mas é que os outros provavelmente nos alcançaram. Estou bastante confiante de que estaremos em algum lugar na frente. A Red Bull provavelmente será um pouco mais forte do que tem sido, mas estaremos na briga".
A Ferrari mostrou em Montreal o quanto os erros de configuração podem ser punitivos, com os dois carros caindo no Q2. Seu fim de semana de horrores continuou no domingo, com Leclerc e Sainz abandonando.
Mas tudo indica que o show de horrores foi um caso isolado, e o chefe da equipe, Vasseur, certamente não deixaria que um fim de semana ruim interrompesse a recente trajetória ascendente da equipe.
"Teremos fins de semana bons e ruins, mas o importante é manter a mesma abordagem, continuar a nos desenvolver, continuar a resolver os problemas e não deixar a motivação cair", disse ele. "Não somos campeões mundiais depois de um bom fim de semana e não estamos perdidos depois de um fim de semana difícil. Estaremos de volta à Espanha e no mesmo ritmo".
A Mercedes talvez esteja enfrentando o mais importante fim de semana dos três, pois vai querer confirmar se sua nova asa dianteira pode ou não produzir ganhos semelhantes em um tipo de circuito completamente diferente, tendo também levado um assoalho atualizado para o Circuito de Barcelona.
"Eu realmente acho que nosso passo de desempenho é verdadeiro e real", disse Russell depois de estar na briga por uma vitória em Montreal".
George Russell, Mercedes-AMG F1 Team, 3rd position, Lando Norris, McLaren F1 Team, 2nd position, on the podium with Champagne

George Russell, Mercedes-AMG F1 Team, 3ª posição, Lando Norris, McLaren F1 Team, 2ª posição, no pódio com Champagne

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

"Acho que podemos estar na briga com a McLaren, espero que possamos continuar na briga com Max, e vamos ver com a Ferrari, pois eles obviamente tiveram um fim de semana de folga.
O diretor da equipe, Toto Wolff, acrescentou: "Desde Ímola, tomamos as medidas certas e colocamos no carro peças que estão funcionando. Parece que estamos aumentando o desempenho a cada fim de semana. Temos novas peças chegando em Barcelona que devem nos ajudar, então espero muito que possamos continuar essa trajetória positiva".
Quando perguntado sobre a melhora da Mercedes, Norris disse: "Se eles também forem mais rápidos nas próximas corridas e se juntarem à luta da Ferrari, da Red Bull e de nós, isso só tornará nossa vida mais emocionante e mais estressante", disse Norris.
"Agora provavelmente haverá oito carros brigando lá em cima, então é emocionante para nós e para todos que estão assistindo."
Ferrari, McLaren e Mercedes disputando até as férias de verão é certamente uma proposta empolgante. A grande questão, no entanto, é se a Red Bull estará ou não na frente de todos eles. E por quanto?

VERDADE OU MITO: Brasil-1991 é a MAIOR VITÓRIA de SENNA? Glórias de AYRTON em DEBATE | Podcast F1

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

VERDADE OU MITO: Brasil-1991 é a MAIOR VITÓRIA de SENNA? Glórias de AYRTON em DEBATE | Podcast F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Verstappen rebate acusação do chefe de Silverstone: "Olhe para si mesmo"
Próximo artigo F1: Horários, previsão do tempo e como assistir à sexta-feira de treinos livres para o GP do Espanha, em Barcelona

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil