Análise técnica: veja o que a Mercedes escondeu sobre seu novo carro de F1 para 2021

Assoalho do W12 foi coberto na apresentação do novo modelo da equipe alemã

Análise técnica: veja o que a Mercedes escondeu sobre seu novo carro de F1 para 2021

A Mercedes dominou o cenário da Fórmula 1 nos últimos sete anos, o que torna o novo W12 o carro mais importante no movimentado ciclo de lançamento, já que é a referência para os outros se avaliarem.

O novo modelo da equipe para a temporada de 2021 é uma transição substancial do carro que ganhou o campeonato duplo do ano passado.

Leia também:

Com duas fichas de desenvolvimento à sua disposição, é uma oportunidade de repensar as áreas do monoposto que são afetadas pelos novos regulamentos e renovar a carroceria do carro.

A apresentação da Mercedes nos deixou com algumas dúvidas, já que não houve menção de onde a equipe gastou suas duas fichas de desenvolvimento e o assoalho foi coberto para evitar que as outras equipes pudessem decifrar sua intenção.

No entanto, o W12 está repleto de soluções novas e retrabalhadas que merecem nossa atenção, então vamos investigar o que há de novo na Mercedes.

Aperitivos

Mercedes AMG F1 W12 front details

Mercedes AMG F1 W12 front details

Photo by: Daimler AG

A asa dianteira é praticamente uma transição de 2020, mas ainda vale a pena notar o quão longe está a inclinação da placa final enquanto a equipe busca obter o máximo de fluxo de ar possível movendo-se através e ao redor do pneu dianteiro (seta azul).

Os dutos de freio dianteiro foram aumentados significativamente para 2021, com sua largura total aumentada e o design em forma de L da última temporada invertido (seta vermelha). Isso é indicativo do desejo da equipe de empurrar mais o fluxo de ar para fora do carro, sendo coletado por esta entrada que serve uma função predominantemente aerodinâmica.

Mercedes AMG F1 W11 brake disc

Mercedes AMG F1 W11 brake disc

Photo by: Giorgio Piola

Isso é auxiliado pelo projeto de todo o conjunto de freio, que dispensa o fluxo de ar coletado pela entrada para fora da face da roda por meio de vários métodos.

Mais abaixo no carro, temos as modificações usuais feitas na área à frente dos sidepods, com uma altura revisada para o elemento mais à frente no conjunto de bargeboards (seta azul, abaixo), enquanto o resto do conjunto se transformou de acordo com as novas inclinações aerodinâmicas do monoposto.

Mercedes AMG F1 W12 bargeboards and deflectors

Mercedes AMG F1 W12 bargeboards and deflectors

Photo by: Daimler AG

O elemento principal do defletor lateral agora parece estar fixado ao assoalho mais uma vez, já que a equipe teve que repensar totalmente aquela região para acomodar os novos regulamentos que proíbem orifícios totalmente fechados no assoalho do carro.

Na imagem lançada pela equipe há um pequeno canard montado no chassi atrás da perna traseira do braço da suspensão superior (seta vermelha) que não estava presente no carro físico - uma novidade que vimos na abordagem de duplo lançamento da Mercedes no passado.

Este canard adicionará alguma ajuda ao trabalho aerodinâmico feito pelo braço à sua frente, com os designers tomando todo o cuidado para influenciar o fluxo de ar de forma a melhorar o desempenho geral da máquina.

O prato principal

Mercedes AMG F1 W12

Mercedes AMG F1 W12

Photo by: Daimler AG

O W12 representa mais um passo a frente para a Mercedes no que diz respeito ao design de seus sidepods e a tampa do motor, com a carroceria recolhida para abraçar todos os seus tendões e deixando para trás o que James Allison descreveu como uma "protuberância sexy".

Esta bolha da carroceria, como eu prefiro chamá-la, parece confirmar os rumores que foram ouvidos em relação à HPP introduzindo um novo arranjo de entrada para a mais recente unidade de força, já que a carroceria se agarra à nova Mercedes-AMG F1 M12 E Performance de uma forma muito específica nesta região.

Esta não é a única transformação pela qual a unidade de força passou, já que em sua busca por maior eficiência térmica um novo design de turbo compressor foi introduzido, enquanto problemas com a estrutura de alumínio do bloco do motor na temporada passada viram uma mudança nesta temporada.

Também foram realizados trabalhos para melhorar a resiliência do Sistema de Recuperação de Energia devido ao calendário de 23 corridas, com ênfase especial no processo de fabricação do MGU-K dada a frequência de falhas no decorrer do ano passado.

Mercedes AMG F1 W12 rear end

Mercedes AMG F1 W12 rear end

Photo by: Daimler AG

Ferrari SF71H floor channels

Ferrari SF71H floor channels

Photo by: Giorgio Piola

O formato geral dos sidepods segue uma tendência geral que as equipes vêm adotando, que cria uma seção em rampa no diafragma e permite que o fluxo de ar caia da carroceria para o assoalho antes de chegar à região da carenagem semelhante a uma garrafa. No W12, isso é auxiliado pelas saídas de resfriamento de cintura alta, mas foram feitas excepcionalmente apertadas no caso da Mercedes, com contornos mais semelhantes às bolhas perto da linha central do carro e uma grande linha de corte aparente na refrigeração superfície superior das saídas para ajudar a extrair ainda mais desempenho aerodinâmico.

No entanto, torna-se particularmente interessante no design da seção do assoalho abaixo, já que a Mercedes parece ter um arranjo em forma de trincheira que expande essa seção e estimula o fluxo de ar a seguir seus contornos para a região da carenagem semelhante a uma garrafa mais expansiva do carro (flecha vermelha). É uma ideia que vimos antes, com a Ferrari, seu protagonista mais recente, tendo voltado a usar uma solução semelhante na temporada passada.

E para sobremesa…

Mercedes W12 wing mirror mounts

Mercedes W12 wing mirror mounts

Photo by: Mercedes AMG

Mercedes AMG F1 W12 halo fin

Mercedes AMG F1 W12 halo fin

Photo by: Daimler AG

Fomos presenteados quando a equipe lançou um vídeo de Valtteri Bottas em seu assento. Ele mostrou uma nova montagem de espelho que apresenta um acabamento serrilhado que terá uma influência pequena, mas benéfica no fluxo de ar que passa.

As imagens vistas do W12 nesse ínterim também revelam que a equipe prestou atenção à área ao lado do halo, adicionando uma pequena barbatana que ajuda a redirecionar o fluxo de ar no caminho para os sidepods.

Hora da dica ...

Em resumo, o W12 parece ser uma reformulação organizada de um clássico, com a equipe já revelando várias dicas de design interessantes, enquanto mantém algumas de suas decisões mais importantes pra si. Afinal, eles não querem dar aos rivais uma vantagem inicial em entendê-los e apressar soluções semelhantes em seus carros a tempo para a primeira corrida da temporada.

Será interessante descobrir onde a Mercedes decidiu gastar sua alocação de fichas de desenvolvimento, já que não há nenhuma diferença perceptível no modelo para contabilizá-los neste momento. Se eu fosse um homem de apostas - o que eu sou - esperaria que a Mercedes apresentasse um novo bico em um futuro não tão distante.

ALPINE 2021: Conheça o carro AZUL que marca a volta de ALONSO à F1 e as novidades da antiga RENAULT

PODCAST: Como seria a transmissão dos sonhos da F1 no Brasil?

 

compartilhar
comentários
Vettel detona ideia de corridas curtas aos sábados na F1: “É mais um remendo do que correção”
Artigo anterior

Vettel detona ideia de corridas curtas aos sábados na F1: “É mais um remendo do que correção”

Próximo artigo

Aston Martin define meta de cinco anos para ganhar título da F1

Aston Martin define meta de cinco anos para ganhar título da F1
Carregar comentários