Fórmula 1
R
GP da Austrália
12 mar
-
15 mar
Próximo evento em
53 dias
19 mar
-
22 mar
Próximo evento em
60 dias
02 abr
-
05 abr
Próximo evento em
74 dias
16 abr
-
19 abr
Próximo evento em
88 dias
30 abr
-
03 mai
Próximo evento em
102 dias
07 mai
-
10 mai
Próximo evento em
109 dias
21 mai
-
24 mai
Próximo evento em
123 dias
R
GP do Azerbaijão
04 jun
-
07 jun
Próximo evento em
137 dias
11 jun
-
14 jun
Próximo evento em
144 dias
25 jun
-
28 jun
Próximo evento em
158 dias
R
GP da Áustria
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
165 dias
R
GP da Grã-Bretanha
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
179 dias
30 jul
-
02 ago
Próximo evento em
193 dias
R
GP da Bélgica
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
221 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
228 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
242 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
249 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
263 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
277 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
284 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
298 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
312 dias

Que fim levou a marca icônica que ‘vestiu’ Senna na Fórmula 1

compartilhar
comentários
Que fim levou a marca icônica que ‘vestiu’ Senna na Fórmula 1
Por:
, Editor
21 de mar de 2019 11:16

Banco Nacional ficou famoso por patrocinar Senna, faliu em 1995, mas ainda tem réplicas de bonés feitas da antiga marca até hoje a preços que chegam a R$ 120

As 41 vitórias e três títulos mundiais de Ayrton Senna, que completaria 59 anos se estivesse vivo nesta quinta-feira, se notabilizaram por cores que sempre são lembradas nas memórias dos brasileiros.

Leia também:

O vermelho e branco da McLaren, o amarelo do capacete e o logo do Banco Nacional nos bones e macacões do piloto, que faleceu em 1º de maior de 1994.

Muitos adultos do dia de hoje sequer sabem o que foi o Banco Nacional. E isso é normal, já que a empresa não existe mais.

Na verdade, o Banco Nacional deixou de existir em 1995, após anunciar sua falência.

Antes mesmo de Senna, a empresa foi a primeira patrocinadora do Jornal Nacional, da TV Globo. E em 1984, por exemplo, estampou o logo nas camisas de Fluminense e Vasco no Campeonato Brasileiro.

A marca acompanhou Senna durante sua carreira toda na Fórmula 1. O piloto estampava o logo da empresa no seu macacão na altura do estômago, enquanto os companheiros de equipe não tinham nada no local.

 

Era comum também ver Senna vestindo o boné do banco até mesmo no pódio, quando todos os outros pilotos colocavam a marca dos pneus na cabeça.

Curiosamente, após a morte de Senna, o Banco Nacional entrou em crise.

No mesmo ano da morte de Senna, em 1994, o Nacional sofreu intervenção do Banco Central, que criou o Proer (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional), injetando aproximadamente R$ 15 bilhões no banco.

Em novembro de 1995, sob a acusação de ter inflado seu próprio patrimônio com mais de 600 contas fictícias, o banco foi liquidado. Pouco mais da metade do valor do Proer foi recuperado pelo Banco Central.

 

Os ativos do Banco Nacional foram transferidos para o Unibanco e os passivos ficaram com o Banco Central do Brasil.

Ainda é fácil encontrar na internet pessoas vendendo réplicas do boné de Senna com o logo do Banco Nacional. Os preços chegam a até R$ 120.

Próximo artigo
Senna faria 59 anos se estivesse vivo; Relembre 20 momentos marcantes da carreira

Artigo anterior

Senna faria 59 anos se estivesse vivo; Relembre 20 momentos marcantes da carreira

Próximo artigo

Mercedes crê que Hamilton tenha quebrado assoalho em zebra

Mercedes crê que Hamilton tenha quebrado assoalho em zebra
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Ayrton Senna Compre Agora
Autor Gustavo Faldon