Brasileiros ex-F1 não descartam tetra de Hamilton

compartilhar
comentários
Brasileiros ex-F1 não descartam tetra de Hamilton

Luciano Burti, Antonio Pizzonia e Ricardo Zonta comentam se o britânico tem alguma chance de reverter a situação do campeonato, mesmo com a história jogando contra

Pit stop simulation for Jaguar
Luciano Burti and Eddie Irvine unveiling the Jaguar
Luciano Burti
Ricardo Zonta
Ricardo Zonta
Antonio Pizzonia
Mark Webber and Antonio Pizzonia pose with the new Jaguar R4
Mark Webber and Antonio Pizzonia pose with the James Bond 007 XK-R during a photoshoot at the Jaguar Racing headquarters in Milton Keynes
Podium: winner Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team, third place Kimi Raikkonen, Ferrari
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team with fans
Podium: Vladimir Putin, Russian Federation President, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team
Podium: second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team

Nico Rosberg começou o campeonato mundial de 2016 com tudo, vencendo as quatro primeiras etapas, na Austrália, Bahrein, China e Rússia. Dentro da história da F1, um piloto que conseguiu tal feito jamais deixou o título escapar no fim do ano. Cabe agora ao tricampeão Lewis Hamilton quebrar a escrita, começando pelo GP da Espanha, que será realizado no próximo fim de semana.

O Motorsport.com Brasil falou com três pilotos brasileiros que já estiveram na F1 e conhecem a categoria de perto. Ricardo Zonta, Luciano Burti e Antonio Pizzonia comentaram quais são as chances que Hamilton tem de mudar a história.

"O título está em aberto, faltam 17 provas e tem muita coisa pela frente ainda, muita coisa para mudar e acho que a chance do Hamilton é grande", disse Luciano Burti. "Ele ainda é o melhor piloto, pode não estar no melhor momento, mas ele é mais completo."

"A história mostra que quem venceu as quatro primeiras provas foi o campeão, mas é sempre bom lembrar que o campeonato era bem mais curto do que é hoje, ou seja, ainda tem muito chão pela frente", alerta Antonio Pizzonia.

Quem também lembrou das diferenças dos campeonatos de ontem e de hoje foi Ricardo Zonta.

"O campeonato também é mais longo hoje em dia e isso permite que o inglês ainda possa reagir, principalmente se a Ferrari não incomodar a Mercedes nos próximos GPs"

Fator Rosberg

Os três são unanimes em destacar a boa fase do piloto alemão, mas não desprezam a capacidade do tricampeão.

"Sem dúvida, o Rosberg se transformou no grande favorito ao titulo da F1 em 2016. Temos que lembrar que ele vem sendo imbatível desde o final do ano passado", disse Zonta. "Mas também não descarto a chance de reação do Hamilton, que não por acaso é um dos melhores pilotos de sua geração e tricampeão mundial", completou o piloto.

Burti acrescenta sua torcida, de maneira que a F1 fique mais equilibrada em se tratando de números, mesmo sabendo que Hamilton é mais piloto.

"O alemão está em alta, mas se analisarmos a capacidade, eu ainda boto mais fé no Hamilton. Vou torcer para o Rosberg, mas o negócio está em aberto ainda, não dá para falarmos em título. Apesar do Rosberg estar na frente, ele precisa fazer muita coisa."

Já Pizzonia, condiciona o sucesso do filho de Keke Rosberg ao psicológico após alguma reação de Hamilton.

"É óbvio que o Rosberg tem uma vantagem muito grande, mas ao mesmo tempo, tem um companheiro de equipe extremamente forte também."

"O Rosberg vem numa balada muito boa. Se ele tiver cabeça e, mesmo que o Hamilton comece a andar mais rápido, souber administrar isso, terá grandes chances de ser campeão. Na minha opinião, é o favorito."

Confira volta virtual em pista de rua da F1 no Azerbaijão

Artigo anterior

Confira volta virtual em pista de rua da F1 no Azerbaijão

Próximo artigo

Presidente espera que Ferrari comece a vencer na Espanha

Presidente espera que Ferrari comece a vencer na Espanha
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Luciano Burti , Antonio Pizzonia , Ricardo Zonta , Lewis Hamilton , Nico Rosberg