Últimas notícias
Monopostos S5000: Sandown

Barrichello conta bastidores e revela papel de Burti na ida para corrida na Austrália

Rubinho conta que o comentarista da Globo foi acionado para costurar participação na categoria australiana de monopostos

Rubens Barrichello and Luciano Burti

Depois de fazer seu retorno aos monopostos após hiato de sete anos, o brasileiro Rubens Barrichello falou sobre os bastidores de sua participação na S5000 e revelou ao Motorsport.com quem fez a ponte para que ele disputasse a prova australiana no último fim de semana. Trata-se de Luciano Burti, ex-piloto de Prost e Jaguar na Fórmula 1 e comentarista da categoria máxima do automobilismo mundial na Rede Globo.

Embora intermediada pelos organizadores do novo campeonato da Austrália, a confirmação de Rubinho na etapa inaugural da S5000 começou a ser costurada por Burti, que também competiu na Stock Car, na qual Barrichello venceu a última etapa, no Velopark (RS). O comentarista, que disputou 14 GPs na F1 entre 2000 e 2001, além de ter sido piloto de testes da Ferrari entre 2002 e 2004, foi quem fez a primeira ligação para que o conterrâneo se aventurasse na Oceania.

Leia também:

O contato entre os brasileiros foi incentivado pelo agente Greg 'Pee Wee' Siddle, que foi encarregado de encontrar um piloto importante para a estreia da S5000 pelo gerente da categoria, Chris Lambden. "Pee Wee ligou para Burti, que fez o primeiro contato comigo", disse Barrichello ao Motorsport.com. "Pee Wee então me ligou. Ele me falou sobre essa nova categoria e eu quis saber mais sobre o campeonato, o carro, a potência e assim por diante”.

Acompanhe ao vivo a Fórmula Indy e Fórmula 2 grátis no DAZN! Clique aqui e crie sua conta gratuitamente!

“Minha única preocupação era que meu filho [Dudu Barrichello] estaria correndo em Laguna Seca [pela USF2000, categoria norte-americana de acesso à Indy] no mesmo fim de semana, então pensei: 'devo fazê-lo ou não?'. Eu posso abrir a porta para meu filho, mas ele tem que fazer isso sozinho. Então eu disse 'ok, vou deixá-lo e me divertir um pouco'”, contou Rubinho que chegou em segundo na corrida da S5000 em Sandown (veja fotos da etapa abaixo).

Rubens Barrichello na Austrália
Rubens Barrichello, Team BRM, Ricky Capo, Modena Engineering
Rubens Barrichello, Team BRM
Rubens Barrichello na corrida da S5000
Barrichello na S5000
Detalhe de Rubinho na prova australiana
Rubens Barrichello, da BRM
Rubens Barrichello, Team BRM S5000
Treino de Rubens Barrichello, Team BRM S5000
Rubens Barrichello passa pela grama
Rubens Barrichello entra no carro da S5000
Rubnes Barrichello no pitlane
Rubens Barrichello em testes da S5000
Detalhe do capacete de Rubinho
14

E o gerente da categoria australiana rasgou elogios ao piloto brasileiro. "Não demorou muito para fazermos o acordo. Ele correu no domingo anterior pela Stock Car, venceu e, em seguida, foi direto ao aeroporto. Honestamente, acho que nunca lidei com um cara mais profissional e simpático. Ele foi simplesmente brilhante”, disse Lambden sobre Rubinho, cuja carreira você relembra abaixo:

1993: Jordan, 18º no campeonato (2 pts). Barrichello esteve na F1 entre 1993 e 2011, com 326 participações e 322 largadas. É o recordista absoluto na história da categoria.
1994: Jordan, 6º no campeonato (19 pts). Com passagens por Jordan, Stewart, Ferrari, Honda, Brawn e Williams, Barrichello conquistou 11 vitórias na carreira - é o 27º na história, empatado com Felipe Massa e Jacques Villeneuve.
1995: Jordan, 11º no campeonato (11 pts).
1996: Jordan, 8º no campeonato (14 pts)
1997: Stewart, 13º no campeonato (6 pts)
1998: Stewart, 12º no campeonato (4 pts)
1999: Stewart, 7º no campeonato (21 pts)
2000: Ferrari, 4º no campeonato (62 pts). A primeira vitória na F1 veio na Alemanha, em 2000. Largando de 18º, Barrichello conseguiu a terceira maior recuperação da história da categoria, ficando atrás apenas de John Watson (22º - EUA, 1983) e Bill Vukovich (19º - Indy 500, 1954).
2001: Ferrari, 3º no campeonato (56 pts)
2002: Ferrari, vice-campeão (77 pts)
2003: Ferrari, 4º no campeonato (65 pts)
2004: Ferrari, vice-campeão (114 pts)
2005: Ferrari, 8º no campeonato (38 pts). O brasileiro foi 68 vezes ao pódio.
2006: Honda, 7º no campeonato (30 pts)
2007: Honda, 20º no campeonato (0 pts)
2008: Honda, 14º no campeonato (11 pts)
2009: Brawn, 3º no campeonato (77 pts). Foram 21 poles na F1.
A última vitória de Barrichello na F1 foi no GP da Itália de 2009.
Desde então, o Brasil não esteve mais no topo do pódio.
2010: Williams, 10º no campeonato (47 pts)
2011: Williams, 17º no campeonato (4 pts)
2012 (Indy): KV, 12º no campeonato (289 pts)
2013 (Stock Car): Full Time, 8º no campeonato (120 pts)
2014 (Stock Car): Full Time, campeão (234 pts)
2015 (Stock Car): Full Time, 4º no campeonato (188 pts)
2016 (Stock Car): Full Time, vice-campeão (295 pts)
2017 (Stock Car): Full Time, 5º no campeonato (251 pts)
2018 (Stock Car): Full Time, 4º no campeonato (242 pts)
2019 (Stock Car): Full Time, 4º no campeonato (206 pts)*
*Campeonato em andamento
29

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Barrichello vai ao pódio em corrida de 'sobrevivência' da S5000 na Austrália
Próximo artigo 'Fator Barrichello' turbina audiência de categoria australiana e organizadores querem mais estrelas no grid

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil