Brawn indica que F1 precisará de mais um ano para acabar com divisão "inaceitável" do grid

Ex-diretor esportivo, no entanto, destacou que mudanças implementadas já deram primeiros frutos

Start action

O ex-diretor esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn acredita que levará mais um ano para saber se os esforços da principal categoria do automobilismo em acabar com sua divisão "inaceitável" no grid foram um sucesso.

Leia também:

Visando uma igualdade na categoria, a Liberty Media, proprietária da F1, fez um esforço para garantir que as equipes mais 'gastadoras' ficassem mais próximas das escuderia menores. E, para isso, além de introduzir novos carros, um limite de custo foi adicionado, uma reformulação da estrutura de prêmios em dinheiro foi feita e a restrição de testes aerodinâmicos que dão mais tempo de desenvolvimento aos esquadrões mais lentos foi adotada.

Todas essas mudanças foram motivadas pela grande preocupação, vários anos atrás, de que as três primeiras equipes acabassem em uma 'liga própria' bloqueando consistentemente todos os lugares do pódio.

Falando no fim de 2018, quando apenas dois pódios apresentaram pilotos fora das equipes que compunham o top 3, Brawn disse: "Dois pódios de um total de 123 [nas duas temporadas] é inaceitável, especialmente quando vem com uma divisão técnica e financeira cada vez maior.

“É um problema que estamos enfrentando junto com a FIA e as equipes, porque o futuro da Fórmula 1 depende disso. Existem várias soluções na mesa e todos devemos aceitar que não podemos continuar assim por muito mais tempo."

Mas, embora as regras de 2022 tenham melhorado as corridas, elas falharam em oferecer a competição mais acirrada que se esperava. Lando Norris, da McLaren, foi o único piloto fora da Red Bull, Mercedes e Ferrari a terminar no pódio ao conquistar o terceiro lugar no GP da Emilia Romanha.

Falando exclusivamente ao Motorsport.com, Brawn disse que não foi uma surpresa que as equipes de ponta tenham feito um trabalho melhor no início de uma nova era de regras - e alegou que espera que as coisas melhorem em 2023.

“Acho que precisamos de mais uma temporada”, disse ele sobre a falta de oportunidade para as escuderias de meio-fundo do grid. “Acho que, quando você tem esses novos regulamentos, há equipes que se superam.

The Red Bull Racing trophy delegate, Sergio Perez, Red Bull Racing, 2nd position, Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, Lando Norris, McLaren, 3rd position

The Red Bull Racing trophy delegate, Sergio Perez, Red Bull Racing, 2nd position, Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, Lando Norris, McLaren, 3rd position

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

“Na temporada de 2009, que foi um novo conjunto de regras, duas ou três equipes estavam no topo do regulamento e o restante lutou – até mesmo alguns dos grandes times. Então, acho que precisamos de mais uma temporada.

“Não tenho certeza do que faremos se continuar assim, porque acho que colocamos uma série de iniciativas – o limite de custo, os carros e as pistas com as quais tentamos ajudar, o formato das corridas. Tudo agora está sintonizado para tentar manter a integridade do esporte, mas aproximá-lo. Temos as restrições aerodinâmicas que agora dependem de onde você termina o campeonato."

Legado do limite orçamentário

Embora o limite de custo tenha nivelado o montante de gastos que as equipes podem ter durante o ano, Brawn ainda pensa que os melhores times têm um legado em relação ao benefício. Isso significa que a melhor infraestrutura e o conhecimento mais avançado que eles tinham no passado continuarão a render dividendos a curto prazo.

No entanto, ele tem certeza de que, com o tempo, essas velhas vantagens serão apagadas e o grid vai se aproximar: “Se você tem uma fábrica totalmente equipada com todas as instalações e um enorme banco de dados de informações, não podemos tirar isso de você”, disse Brawn. “Mas houve compromissos e concessões feitas.

“Há algumas equipes que querem construir túneis de vento que não os possuem e houve concessões quanto aos subsídios de capital para permitir que eles se atualizem. Então, acho que a FIA - e nós a encorajamos - tem sido bastante sensata.

“Do jeito que as coisas estavam, os times grandes continuariam se afastando dos times pequenos. Então, pelo menos nós estabilizamos isso. Não acho que haja alguma maneira agora de um grande time se destacar em qualquer coisa como costumava ser. E uma equipe menor e inteligente deve ser capaz de alcançá-la.”

Ross Brawn, Managing Director of Motorsports, FOM, with George Russell, Mercedes AMG

Ross Brawn, Managing Director of Motorsports, FOM, with George Russell, Mercedes AMG

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Ele acrescentou: “Vai levar algum tempo. Seria irreal esperar que um interruptor fosse acionado, mas acho que está indo na direção certa. Outra coisa que não podemos esquecer é que tornamos essas pequenas equipes economicamente sustentáveis.

“Acho que com a força da Fórmula 1, essas equipes estão se beneficiando das corridas extras, dos novos contratos de transmissão, dos novos contratos de patrocínio, de seus próprios contratos de patrocínio – eles estão se tornando autofinanciados agora e isso é um grande fator.

“Como eles têm essa estabilidade e sustentabilidade econômica, isso significa que eles podem fazer todas as coisas certas.”

Veja teaser da série documental sobre Bernie Ecclestone

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: bi da Stock Car redefine tamanho de Barrichello?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Aston Martin é a primeira equipe a anunciar data de lançamento do carro de 2023
Próximo artigo F1: FIA apresenta mais detalhes sobre planos para 'otimizar' corridas na chuva

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil