Brown vê oportunidade com teto orçamentário na F1: “Atinge nosso ponto ideal"

Zak Brown acredita que nova era da F1 ajudará a McLaren na disputa contra as principais equipes do grid

Brown vê oportunidade com teto orçamentário na F1: “Atinge nosso ponto ideal"

Em uma tentativa de tornar o campeonato mais competitivo, 2021 será a primeira temporada na história da Fórmula 1 em que os gastos da equipe são regulamentados, limitando-os a um limite de custo de $145 milhões (aproximadamente R$780 milhões).

A McLaren teve uma ascensão constante na categoria nos últimos anos, terminando na terceira posição no campeonato de construtores do ano passado, e está procurando aproveitar o teto orçamentário para se tornar ainda mais competitiva no futuro.

Leia também:

O CEO da escuderia britânica, Zak Brown, acredita que as mudanças na F1 afetariam os pontos fortes da equipe, além de deixar as equipes mais equiparadas.

“A nova era da F1 atinge nosso ponto ideal”, disse Brown em entrevista ao Motorsport.com. 

“Com o limite de orçamento, tivemos que reduzir um pouco o nosso gasto, mas não ao mesmo nível que os outros três que estavam gastando significativamente mais que nós.”

“A distribuição da receita não fez grande diferença para nós, mas vai deixar o esporte mais competitivo. Agora temos a capacidade de ser uma grande equipe, porque estamos operando no limite do orçamento, isso também trouxe mais competição por trás”, avaliou.

“Agora temos mais chances de pegar os caras na nossa frente, mas precisamos prestar atenção.”

Mercedes, Ferrari e Red Bull foram obrigadas a cortar seus gastos significativamente, mas a maioria das outras equipes já está operando sob o novo limite.

Brown se mostrou animado com o fato de que a maior parte do grid estará lutando em um campo de jogo mais nivelado, criando mais oportunidades para resultados surpresa e maior variação na frente do pelotão.

“Efetivamente, você tem seis ou sete equipes que vão funcionar dentro do limite do orçamento”, disse ele.

“A AlphaTauri é muito bem financiada. Eles meio que mantêm a cabeça baixa, mas não acho que essa equipe esteja com falta de recursos. Claramente, Lawrence Stroll está investindo muito dinheiro. Você então tem a Renault, que eu acho que está no nosso nível.”

“Você tem sete times que eu acho que estão jogando com o mesmo tamanho de bastão, e eu acho isso ótimo. Não só acho que temos uma chance maior de ficar em primeiro ou segundo no futuro, acho que é uma corrida em equipe de sete carros.”

“Eu realmente não acho que você pode descartar ninguém. Mas, novamente, isso é bom para o esporte. Espero que a gente chegue a um campeonato do tipo IndyCar, onde suas grandes equipes ainda são as que ganham os campeonatos, mas as outras equipes ganham corridas”, concluiu.

 

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

 

GROSJEAN correrá na INDY em 2021 e GP de F1 em SÃO PAULO pode ser INVESTIGADO em CPI

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

compartilhar
comentários
Brawn vê Hamilton com valor "inestimável" para a F1 e defende permanência na Mercedes

Artigo anterior

Brawn vê Hamilton com valor "inestimável" para a F1 e defende permanência na Mercedes

Próximo artigo

F1: CEO da Renault espera ver Alpine no pódio e "ganhando uma corrida ou mais" em 2022

F1: CEO da Renault espera ver Alpine no pódio e "ganhando uma corrida ou mais" em 2022
Carregar comentários