Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
14 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
42 dias

Chefe da Mercedes nega que equipe faça "jogo psicológico" na F1

compartilhar
comentários
Chefe da Mercedes nega que equipe faça "jogo psicológico" na F1
Por:
Co-autor: Jonathan Noble
10 de jul de 2019 13:00

Toto Wolff pondera que a escuderia tem "profundo ceticismo" sobre seu próprio desempenho na elite do automobilismo

Chefe de equipe da Mercedes, o austríaco Toto Wolff disse que a mentalidade que ajudou o time germânico a dominar a Fórmula 1 não tem nada a ver com ideias alternativas e frases de efeito em outdoors. Ele também negou que faça "jogo psicológico" para esconder o potencial das 'Flechas de Prata'.

Leia também:

A escuderia prata tem sido a força dominante da elite do automobilismo mundial desde o início da era híbrida em 2014, vencendo os campeonatos de pilotos e construtores a cada ano desde a introdução das novas unidades motrizes.

Atualmente, a equipe lidera a classificação de 2019 com 135 pontos de vantagem para a Ferrari. Entre os pilotos, Lewis Hamilton está confortavelmente no topo da classificação, à frente do companheiro Valtteri Bottas.

A Mercedes é vista como uma das melhores equipes que a Fórmula 1 já teve. Para Wolff, parte do segredo para o sucesso de sua escuderia tem sido a continuidade. Segundo o austríaco, isso se deve ao fato de que o time se tornou um lugar muito atraente para se trabalhar.

"Eu sei que eles recebem ofertas porque me dizem", comentou Wolff, mencionando os funcionários e detalhando como mantém sua equipe intacta. "Mas acho que conseguimos criar um ambiente onde você realmente desfruta do seu trabalho”.

"É um bom lugar. Não há política. Eu tenho tolerância zero para política interna. Podemos fazer política para fora, quando vemos regulamentos, por exemplo. Mas zero tolerância para a política interna".

“Há muita honestidade com o outro. Nós apontamos o problema, mas não culpamos a pessoa. Se alguém cometer um erro, tentamos entender o porquê e faremos o possível para evitá-lo no futuro. Além disso, tentamos desenvolver as pessoas, temos que cuidar do humano e de seus objetivos”, ponderou o chefão das ‘Flechas de Prata’.

"É simples assim. Nós realmente nos preocupamos com o outro. Não é um tipo de frase que lemos em algum lugar em um outdoor. É a mentalidade que funciona nesta equipe: e se traduz em todas as áreas da organização”.

Wolff também comentou as alegações de que a Mercedes costuma esconder seu potencial. Segundo o dirigente austríaco, a mentalidade cautelosa da equipe é legítima, e não um "jogo psicológico".

“Temos um profundo ceticismo sobre se nossos níveis de desempenho são suficientes para vencer. É realmente uma atitude e um respeito pelo desempenho dos outros, que podem nos superar a qualquer momento. Termos isso em mente faz com que mantenhamos os pés no chão”.

Próximo artigo
McLaren: Limite de gastos é “único modo” de voltarmos ao topo da F1

Artigo anterior

McLaren: Limite de gastos é “único modo” de voltarmos ao topo da F1

Próximo artigo

F1 confirma permanência de Silverstone no calendário até 2024

F1 confirma permanência de Silverstone no calendário até 2024
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes Compre Agora
Autor Pablo Elizalde