Engenheiro de Hamilton, 'Bono' não estará presente nos GPs do México e EUA

Conhecido por suas mensagens via rádio a cada GP, Peter Bonnington se ausentará das duas próximas corridas por questões de saúde, podendo voltar no Brasil

Engenheiro de Hamilton, 'Bono' não estará presente nos GPs do México e EUA
Carregar reprodutor de áudio

Peter Bonnington, engenheiro de corridas de Lewis Hamilton, não está presente na Cidade do México, pois ficou em sua casa no Reino Unido para se submeter a um procedimento médico pessoal.

Ele também perderá o GP dos Estados Unidos no próximo fim de semana, com a Mercedes esperando tê-lo de volta ao GP do Brasil em novembro.

Leia também:

Na ausência de Bonnington, seu papel será assumido pelo engenheiro de desempenho regular de Hamilton, Marcus Dudley.

Dom Riefstahl, que geralmente lidera a equipe de apoio na fábrica, está presente no México como engenheiro de desempenho de Hamilton.

Bonnington projetou Hamilton para todos os seus quatro títulos na F1 na Mercedes, pois os dois trabalham juntos desde que Hamilton se juntou à equipe em 2013.

Os dois têm um grande relacionamento, com o engenheiro ficando conhecido como “Bono” nas mensagens de rádio, em que sua voz está sempre presente.

Hamilton tem a chance de conquistar o sexto título de pilotos no México neste fim de semana. No entanto, ele precisa superar o companheiro de equipe, Valtteri Bottas, em 14 pontos, o que torna mais provável a conquista do campeonato na corrida do próximo fim de semana em Austin.

Quer ver Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e Superbike de graça? Inscreva-se no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

Suspensão frontal da Toro Rosso STR14
Suspensão frontal da Toro Rosso STR14
1/15
Vários tubos servem para transportar o fluxo de ar ao redor da dianteira e para os freios

Foto de: Simon Galloway / Motorsport Images

Cobertura do motor da Toro Rosso STR14
Cobertura do motor da Toro Rosso STR14
2/15
A Toro Rosso não apenas usará uma saída de refrigeração muito maior na parte traseira de seu carro no México, atendendo às demandas de altitude e da unidade de potência, mas também levou uma solução ampliada e em forma de T nas entradas de ar.

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Lateral da Ferrari SF90
Lateral da Ferrari SF90
3/15
As aletas dos elementos superiores servem para espelhar e direcionar o ar em relação às aletas das superfícies inferiores.

Foto de: Giorgio Piola

Suspensão traseira da Ferrari SF90
Suspensão traseira da Ferrari SF90
4/15
A área ao redor do pneu traseiro foi desenvolvida fortemente por equipes na história recente e, como podemos ver pela A Ferrari usa uma grande quantidade de aletas e asas para controlar a forma como o fluxo de ar é derramado no pneu traseiro e como colide com o fluxo do difusor traseiro. É interessante ver as fendas no assoalho para expulsar parte do fluxo para as laterais.

Foto de: Giorgio Piola

Asa trasiera da Ferrari SF90
Asa trasiera da Ferrari SF90
5/15
A equipe usará uma configuração de alta pressão aerodinâmica no México.

Foto de: Giorgio Piola

Racing Point RP19
Racing Point RP19
6/15
O grande apêndice em forma de torpedo na lateral do RP19 inclui uma câmera de imagem térmica que monitora o comportamento do pneu durante os treinos livres, fornecendo aos engenheiros dados vitais para trabalhar na qualificação e na corrida. O objetivo é limitar o impacto aerodinâmico em outras áreas do carro.

Foto de: Giorgio Piola

Racing Point RP19
Racing Point RP19
7/15
Este complemento em forma de lágrima no Racing Point RP19 não só oferece suporte para o capacete do piloto quando ele está no cockpit, mas também reduz as inconsistências aerodinâmicas nessa região.

Foto de: Giorgio Piola

Red Bull Racing RB15
Red Bull Racing RB15
8/15
O resfriamento é primordial no ar rarefeito do GP do México, então a Red Bull bolou mais resfriamento na transição em torno do halo.

Foto de: Giorgio Piola

Red Bull Racing RB15
Red Bull Racing RB15
9/15
Na parte traseira do carro, a Red Bull também optou por mais resfriamento, com saídas abertas em volta dos braços superiores da suspensão.

Foto de: Giorgio Piola

Red Bull Racing RB15
Red Bull Racing RB15
10/15
Esta foto lateral do RB15 mostra o tamanho dessas novas aberturas em torno da perna traseira do braço superior, enquanto a equipe também optou por um único elemento T-Wing, já que o arrasto é reduzido significativamente em altitude.

Foto de: Giorgio Piola

Williams Racing FW42
Williams Racing FW42
11/15
A nova asa (à esquerda) é proporcionalmente diferente em termos de abas superiores, com menos espaço para a seção ajustável.

Foto de: Giorgio Piola

Williams Racing FW42
Williams Racing FW42
12/15
Uma bela foto da asa dianteira da Williams, mais recente, por trás.

Foto de: Giorgio Piola

Williams Racing FW42
Williams Racing FW42
13/15
Uma visão geral do bargeboard, do defletor do painel lateral e dos outros apêndices laterais no Williams FW42.

Foto de: Giorgio Piola

Asa da Racing Point RP19
Asa da Racing Point RP19
14/15
Outro olhar sobre o bico revisado introduzido pela Racing Point no GP da Bélgica, que apresenta pilares de asa alongados com quatro fendas.

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

Asa da Racing Point RP19
Asa da Racing Point RP19
15/15
O novo design do bico também foi emparelhado com uma nova asa dianteira, com a seção externa da asa reprojetada para lidar com os pneus.

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

 

compartilhar
comentários
GALERIA: Veja o capacete de Norris para GP do México de Fórmula 1
Artigo anterior

GALERIA: Veja o capacete de Norris para GP do México de Fórmula 1

Próximo artigo

Veja como foi o segundo treino livre para o GP do México de F1

Veja como foi o segundo treino livre para o GP do México de F1