F1 - Alfa Romeo critica repressão da FIA às asas flexíveis: "Uma piada"

Jogada da FIA para impor testes mais rígidos no GP da França surgiu da preocupação de que escuderias tenham ido longe demais

F1 - Alfa Romeo critica repressão da FIA às asas flexíveis: "Uma piada"

O chefe da Alfa Romeo, Fred Vasseur, criticou a repressão da FIA às equipes que exploram as 'asas flexíveis' e classificou a situação como uma 'piada', após alegar que vai custar à sua escuderia uma fortuna em redesenhos.

A FIA irá introduzir novos testes antes do GP da França de Fórmula 1 para garantir que as asas traseiras não estejam flexionando muito e dando a alguns times uma vantagem nas retas.

Leia também:

Questionado sobre a atitude da federação, Vasseur disse que o novo procedimento de teste mudou efetivamente os regulamentos e prejudica as equipes que cumpriram integralmente as regras conforme foram escritas. 

O dirigente francês acha injusto com as escuderias pequenas como a Alfa Romeo e disse não entender por que introduzir uma mudança tão cara no meio da temporada

“Teremos tempo para fazer isso [trocar a asa], mas vai nos custar uma fortuna”, disse.

“Estamos todos lutando para tentar economizar dinheiro, para falar, para reduzir o fato de ter uma pessoa na pista, e aí temos esse tipo de coisa que ... é só uma piada. Uma piada para mim.”

Questionado sobre o impacto no tempo de volta, ele disse: “Honestamente, será marginal."

“Fizemos duas jogadas consecutivas e a diferença não foi grande. Mas não é sobre isso a minha preocupação. Na próxima semana mudaremos o peso do carro também? Porque uma equipe não é capaz de atingir o limite... ”

O chefe da Alfa Romeo acredita que a FIA agiu injustamente, visto que várias equipes que cumpriam integralmente as regras enfrentarão mudanças caras.

“Tínhamos a regulação com o máximo de deformação e carga, e acho que nós [da Alfa Romeo] não somos mais espertos que os outros”, disse.

“Todo mundo estava aderindo ao limite, e a FIA decidiu mudar o limite. É um pouco surpreendente, mas eles mudaram a carga e a deformação no decorrer da temporada."

“Não é a introdução de um novo teste [que é o problema], ou uma nova maneira de fazer o teste, é que eles mudaram um valor. E é a primeira vez que vemos algo assim."

“Porque, se você está no limite, se você fez um bom trabalho, tem que produzir asas novas. Em termos de redução de custos, é um esforço enorme, enorme, enorme. ”

Ele acrescentou: “O negócio dos engenheiros da F1 e dos designers é projetar peças no limite do regulamento."

“Se você mudar o regulamento no decorrer da temporada, terá que projetar novas peças e as equipes que estão dizendo que não serão afetadas, são uma piada.”

O chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, estimou que a saga das asas custará às equipes que forem forçadas a trocar de asas em torno de US $ 500.000 ( aproximadamente 2,642 milhões de reais). 

F1 2021 - Ferrari surpreende e é a mais rápida em Mônaco: destaques dos treinos livres | SEXTA-LIVRE

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #105 – O GP de Mônaco ainda é o ponto alto da F1?

 

compartilhar
comentários
F1: Entenda o que são asas flexíveis e como comentário da Mercedes abriu "Caixa de Pandora" no paddock

Artigo anterior

F1: Entenda o que são asas flexíveis e como comentário da Mercedes abriu "Caixa de Pandora" no paddock

Próximo artigo

Hamilton diz que F1 virou "clube dos bilionários" e que hoje não teria chance de chegar à categoria

Hamilton diz que F1 virou "clube dos bilionários" e que hoje não teria chance de chegar à categoria
Carregar comentários