F1: Brawn compara situação de Hamilton com retorno de Schumacher à Mercedes

Assim como fez Schumacher na Mercedes, Hamilton está tendo que assumir o papel de líder para encontrar soluções para os problemas da equipe. O britânico, que perdeu por pouco seu oitavo título mundial em 2021 e está distante de conquistá-lo em 2022, segundo Ross Brawn, tem a capacidade vencer mais campeonatos

Lewis Hamilton, Mercedes

Alessio Morgese

Juntamente como Michael Schumacher, Lewis Hamilton detém o recorde de mais títulos de campeonatos de Fórmula 1. No final da temporada 2021 em Abu Dhabi, o britânico praticamente tinha o oitavo campeonato nas mãos, mas Max Verstappen conseguiu conquistar seu primeiro campeonato. Este ano, parece que Verstappen pode ser campeão novamente, e Hamilton não tem chance na temporada 2022.

Leia também:

Ross Brawn vê este ano como um desafio para Hamilton, mas está confiante na resiliência do piloto da Mercedes. Falando ao F1-insider.com, Brawn disse:

"Lewis está no 'outono' de sua carreira. Mas isso não significa que ele terminou. Ele está em um carro com o qual não pode vencer. Ele gasta muita energia tentando mudar isso. Para ele, desta vez é uma espécie de teste de caráter. Pode ser que seu companheiro de equipe George Russell esteja com mais fome nas corridas por causa disso".

De acordo com Brawn, assim como Schumacher já foi, Hamilton é capaz de assumir um papel de liderança dentro da equipe e reconstruir a Mercedes.

"A situação de Lewis pode ser comparada um pouco ao retorno de Michael à Mercedes. Como piloto, você sempre tem que decidir se quer ser parte da solução ou parte do problema. Michael redefiniu seu papel na época, ele fez parte da solução e ajudou a construir a equipe que conquistou oito títulos consecutivos de construtores. Ele se sacrificou, por assim dizer, pelo futuro da equipe e foi fundamental para estabelecer as bases para seu sucesso.

"Michael foi subestimado na época. Ele ainda era muito rápido. Ele mostrou isso em 2012 com a pole position em Mônaco. Você não pode conseguir se não tiver mais essa habilidade especial. Assim como Lewis com George Russell, Michael teve um jovem companheiro de equipe que foi Nico Rosberg, que era incrivelmente bom. Nico também foi subestimado na época. Todos pensavam que ele era apenas uma segunda escolha, mas ele era muito ambicioso e depois se tornou campeão mundial contra Lewis."

"Lewis estará de volta, tenho certeza disso. Assim como sua equipe. Acredito que esse período os torna mais fortes. Sei disso por experiência própria", concluiu.

BEBEDEIRA e ZOEIRA: Rubinho e Massa citam Kimi, Schumi e Alonso como PARÇAS. Mas quem são os CHATOS?

Podcast #196 - Após recorde, qual Alonso ficará para a história da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Alpine ainda tem seis candidatos para vaga em 2023
Próximo artigo F1: De Vries está "no aquecimento" e pode substituir Albon no GP de Singapura

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil