F1: Como uma corrida de uma volta conta pontos para o campeonato mundial

A atribuição de meio-pontos pela Fórmula 1 no GP da Bélgica com bandeira vermelha gerou muita intriga, com os carros parecendo não terem completado o mínimo exigido de duas voltas.

F1: Como uma corrida de uma volta conta pontos para o campeonato mundial

Como se sabe há muito tempo que os pilotos de Fórmula 1 precisam terminar pelo menos duas voltas para se distribuir metade dos pontos originais, o fato de o resultado do GP da Bélgica ter sido classificado após apenas uma volta deixou alguns questionamentos se a corrida de Spa tinha cumprido este requisito.

O sistema de pontos da F1 no caso de uma corrida encurtada é estabelecido no Regulamento Desportivo, onde estabelece as distâncias que devem ser percorridas para que os pontos sejam atribuídos.

Leia também:

O Artigo 6.5 afirma: "Se uma sessão de classificação ou uma corrida for suspensa nos termos do Artigo 50 e não puder ser reiniciada, nenhum ponto será concedido se o líder tiver completado duas voltas ou menos, meio ponto será concedido se o líder tiver completado mais de duas voltas, mas menos de 75% da sessão original ou distância da corrida e os pontos totais serão atribuídos se o líder completou 75% ou mais da sessão original ou distância de corrida. ”

Embora os carros de F1 tenham completado duas voltas completas atrás do safety car, antes que a bandeira vermelha saísse na volta três, a forma como os resultados são obtidos em caso de uma paralisação significa que eles não superaram esta marca na classificação final da corrida.

O Artigo 51.14 afirma: “Se a sessão de treino ou a corrida não puderem ser retomadas, os resultados serão obtidos no final da penúltima volta antes da volta a qual foi dado o sinal para suspender a sessão.”

Em termos simples, significa que, com a bandeira vermelha surgindo na terceira volta, os resultados são tirados do final da primeira volta.

Isso fez com que a corrida ultrapassasse o mínimo de duas voltas? Certamente há margem para interpretar que não, com uma perspectiva potencial de que a classificação final não corresponde à necessidade de os pilotos terem completado mais de duas voltas.

No entanto, a interpretação da FIA do Artigo 6.5 não está relacionada a quando o resultado final da corrida é declarado - é simplesmente se o líder completou ou não mais de duas voltas.

Max Verstappen, enquanto estava atrás do safety car, passou oficialmente pela linha de chegada que determina a contagem de voltas por três vezes.

Houve as duas voltas de 'corrida' atrás do safety car, mais a volta para os boxes após a bandeira vermelha que viu os pilotos cruzarem a linha de controle pela terceira vez para iniciar brevemente a quarta volta.

O diretor de corrida da F1, Michael Masi, deixou claro depois que as regras relacionadas a bandeiras vermelhas e aquelas relacionadas à atribuição de pontos não estão conectadas.

“Foram três voltas concluídas”, disse ele. “A terceira volta foi completada quando os carros cruzaram a linha de controle na pista rápida.

“E então a classificação por pontos é feita na penúltima volta antes da volta que o sinal foi dado. Portanto, há efetivamente dois pontos separados."

"Um é o que é feito para completar uma corrida. Um é o que acontece com base nos pontos do campeonato."

A última vez que a Fórmula 1 viu uma corrida ser terminada antes dos 75% foi o GP da Malásia de 2009, prova que teve apenas 31 das 56 voltas previstas realizadas.

F1 AO VIVO - FIASCO NA BÉLGICA: tudo sobre a corrida que NÃO ACONTECEU em Spa; Rico Penteado analisa

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

TELEMETRIA: Quem vai se dar bem na segunda metade da temporada de 2020 da F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Wolff comenta decisões da direção de prova e fala sobre dupla de 2022

Artigo anterior

F1: Wolff comenta decisões da direção de prova e fala sobre dupla de 2022

Próximo artigo

F1: Domenicali garante que não houve pressão comercial para começar GP da Bélgica

F1: Domenicali garante que não houve pressão comercial para começar GP da Bélgica
Carregar comentários