F1 confirma cancelamento do GP da China de 2023

Categoria agora busca opções para ocupar lugar vago o calendário, Azerbaijão e Portimão aparecem como opções

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W10, and Valtteri Bottas, Mercedes AMG W10, lead the field away for the start of the formation lap

A Fórmula 1 confirmou o cancelamento do GP da China de 2023 devido às restrições do Covid-19 e agora, a categoria trabalha para procurar opções para uma corrida de substituição.

Leia também:

A F1 não corre na China desde 2019 devido às restrições de viagens do país, uma vez que continua a seguir uma política de Covid-zero, que recentemente gerou protestos em várias cidades importantes. O GP da China estava previsto no calendário de 2023 para 16 de abril, mas sempre condicionado ao relaxamento das restrições a tempo da categoria entrar no país e realizar a prova sem problemas.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, a F1 anunciou que a China não seguiria em frente no próximo ano, mas confirmou que está avaliando outras opções como uma rodada de substituição.

“A Fórmula 1 pode confirmar, após diálogo com o promotor e as autoridades relevantes, que o GP da China de 2023 não acontecerá devido às dificuldades contínuas apresentadas pela situação do COVID-19”, diz o comunicado. A Fórmula 1 está avaliando opções alternativas para substituir a vaga no calendário de 2023 e fornecerá uma atualização sobre isso no devido tempo”.

 

O cancelamento da China deixa um intervalo de quatro semanas no calendário entre o GP da Austrália em 2 de abril e o GP do Azerbaijão em 30 de abril. A F1 esperava trazer o Azerbaijão para reduzir a diferença, apenas para as autoridades de Baku insistirem em manter a data acordada no calendário durante as conversas com o chefe da F1, Stefano Domenicali.

Ele agora deixou a F1 olhando para outras corridas que poderiam entrar no calendário como um substituto para a China, que manteria o cronograma em seu máximo de 24 eventos no próximo ano. Uma opção poderia ser um retorno a Portimão, que sediou o GP de Portugal como corrida substituta em 2020 e 2021, quando a pandemia de Covid-19 forçou cancelamentos generalizados no calendário.

Mas nenhuma decisão firme foi tomada e não é esperada por pelo menos por algumas semanas, com várias outras pistas também interessadas em ocupar o espaço. Embora seja provável que uma corrida europeia ocupe a vaga, um desafio que a F1 enfrenta é organizar o deslocamento entre os aeroportos da Austrália e do Azerbaijão e os vários custos envolvidos.

VÍDEO: Ricciardo será sombra para Pérez na Red Bull?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #206 – Saída de Binotto resolve os problemas da Ferrari?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior 'Brasileira' Aurelia Nobels vence seletiva da FIA que visa colocar mulheres na F1
Próximo artigo Bernie Ecclestone: "A F1 deveria agradecer a Max Verstappen"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil