F1: Entenda por que espelho 'alado' da Mercedes incomodou paddock

E apesar de ter passado por despercebido, a Mercedes não é a única com soluções polêmicas do tipo

F1: Entenda por que espelho 'alado' da Mercedes incomodou paddock
Carregar reprodutor de áudio

Enquanto os sidepods da Mercedes chamaram mais a atenção nos testes e no GP do Bahrein de Fórmula 1, foram os espelhos da equipe alemã que renderam as maiores polêmicas. Isso porque os sidepods podem ser considerados agressivos demais, mas desde o começo foram vistos como legais dentro do regulamento.

Mas o mesmo não pode ser dito da forma como a Mercedes trouxe sua solução para o espalho no topo da área lateral de impacto, com os rivais questionando se isso não representaria uma 'área nebulosa' do regulamento.

Leia também:

O chefe da Ferrari, Mattia Binotto, é um que acredita que o design precisa ser melhor explicado, em meio a temores de que isso possa abrir uma cara corrida de desenvolvimento com as equipes buscando soluções de "foguetes".

Então, por que os espelhos da Mercedes causaram tanto incômodo no paddock da F1?

Para começo de conversa, é preciso deixar claro que isso não tem nada ver com a carenagem aerodinâmica em torno da Estrutura de Impacto Lateral (EIL) superior. Embora aparentemente em desacordo com os designs dos demais, esta solução não é menos eficaz do ponto de vista de segurança.

As EIL padronizadas foram introduzidas em 2014 e podem ser construídas de acordo com as especificações internas ou adquiridos através da Red Bull Technologies.

O design desta área fugiu do controle nos últimos anos e, por isso, um design de especificação foi introduzido como forma de evitar que as equipes gastassem desordenadamente em estruturas complexas que cumpram com suas demandas aerodinâmicas e que fossem aprovadas nos testes.

Isso significa que, como item padrão, não há mais a necessidade de um teste de verificação. As equipes precisam apenas garantir que a EIL está no limite da legalidade determinado pelo regulamento.

Virou moda colocar a parte superior da EIL em uma posição mais baixa desde a mudança no regulamento em 2017 (veja a inserção inferior direita com um exemplo do Mercedes W10, abaixo), pois pode ser encaixado separadamente da carenagem principal do sidepod, fornecendo proteção contra o fluxo gerado pelo pneu dianteiro, enquanto permite também a redução no tamanho da entrada.

Mercedes W13 sidepod comparison

Mercedes W13 sidepod comparison

Photo by: Giorgio Piola

O novo regulamento forçou todos a repensarem essa estratégia de design, já que eles precisam ficar pelo menos 50mm mais alto do que antes. No caso da Mercedes, rolou um simples posicionamento do EIL próximo do limite da legalidade, permitindo mais uma vez usar a carenagem como condicionador do fluxo de ar, influenciando o design do sidepod e da entrada.

O ponto de escrutínio no design da Mercedes está no design de seu "espelho de permanência" (seta azul), com o suporte mais externo dividido em múltiplas superfícies dentro da região permitida. Estes, sem dúvidas, servem a um propósito aerodinâmico, em vez de oferecer suporte estrutural.

E a chave aqui é uma exigência da FIA no regulamento, de que qualquer benefício aerodinâmico de componentes do espelho deve ser 'acidental' e não o objetivo principal. As normas são claramente fracas neste aspecto, já que várias equipes possuem suportes de condicionamento de fluxo que se estendem além do 'ombro' do sidepod, como é o caso com o espelho usado na configuração original do W13 (inserção superior direita, acima).

Além disso, a Mercedes não está sozinha nesta: outras equipes optaram por dividir seus espelhos de permanência em pequenas barbatanas geradores de vórtices. A AlphaTauri pode ter voado abaixo do radar, mas possui algo similar (imagem superior esquerda, abaixo).

Wing mirror comparison

Wing mirror comparison

Photo by: Giorgio Piola

A legalidade do espelho retrovisor de permanência na Mercedes e na AlphaTauri dependem da seguinte cláusula de continuidade presente no regulamento:

iii: Quando cortado por qualquer Plano-X, deve formar uma única seção medindo não mais que 50mm em Z e não mais que 10mm em Y.

Isso significa que, se você fizer um corte na seção do espelho, não deve haver mais de uma seção da carenagem que, como você pode ver na linha pontilhada da imagem principal, no plano X, não há interação entre as seções.

No entanto, se houvesse sobreposição, como mostrado na inserção como exemplo, isso seria considerado ilegal.

Mercedes W13 mirror stay legality

Mercedes W13 mirror stay legality

Photo by: Giorgio Piola

Será interessante ver como essa história se desenvolve ao longo da temporada, já que há claramente performance a ser descoberta a partir destas soluções, mesmo que alguns sintam que representem um extrapolar das regras.

Vitória de VERSTAPPEN? F1 promete ENQUADRAR produção de DRIVE TO SURVIVE após “fabricar rivalidades”

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #168 - 'Volta' da Ferrari incendeia ainda mais disputa da F1 em 2022?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Conheça as mudanças no circuito de Jeddah para o GP da Arábia Saudita
Artigo anterior

F1: Conheça as mudanças no circuito de Jeddah para o GP da Arábia Saudita

Próximo artigo

F1: Hamilton revela por que voltou a usar capacete amarelo, que marcou sua carreira

F1: Hamilton revela por que voltou a usar capacete amarelo, que marcou sua carreira