F1: Fora do Q3, Vettel diz que Leclerc está em “outra classe”

compartilhar
comentários
F1: Fora do Q3, Vettel diz que Leclerc está em “outra classe”
Por:

Piloto alemão foi o 15º colocado no Q2 e não conseguiu explicar os motivos das dificuldades na classsificação deste sábado

Sebastian Vettel disse que seu companheiro de equipe na Ferrari, Charles Leclerc, está em uma classe ‘diferente’, depois de outro resultado frustrante na classificação para o GP de Portugal de Fórmula 1

Enquanto Leclerc cravou o quarto lugar no grid e confirmou a evolução recente da Ferrari, Vettel enfrentou dificuldades para trocar seus pneus no Q2 e terminou na 15ª colocação. 

Leia também:

Falando à Sky Germany sobre a diferença entre ele e Leclerc, Vettel disse que seu companheiro de equipe estava a quilômetros de distância. “Não é apenas superar, é como uma classe diferente”, disse o tetracampeão. “Eu tento tudo que posso. Acho que as voltas que dei, e estou satisfeito com elas, ainda são muito lentas. No momento, não há nada mais que eu possa fazer do que obter o possível para mim”. 

Vettel tentou passar ao Q3 com o pneu médio, mas seus esforços foram em vão. Embora seu ritmo com os pneus macios no Q1 teria sido o suficiente para conseguir, ele ainda acha que fez a coisa certa ao tentar com os compostos médios. 

“Na verdade, tive uma sensação muito boa depois da primeira tentativa”, disse ele. “Mas na segunda volta, os pneus não aqueceram. Travei uma roda na Curva 3 e, com isso, a volta já estava comprometida”. 

O alemão disse que não tinha resposta para o motivo de ter tido essas dificuldades, considerando o quão bem se sentiu com o resultado da primeira volta com pneus médios. 

“Não sei porque é que tenho tanta dificuldade em colocar os pneus até atingirem a temperatura. Como eu disse, o carro estava bem na primeira vez que o experimentei”. 

“Achei que com os médios poderia facilmente repetir o tempo do Q1. Esse era o alvo, mas não foi tão fácil”. 

Vettel disse que também havia relutância em ir para os pneus macios porque ele sentiu-os granular nos treinos livres. 

“Tenho lutado um pouco com os pneus macios durante todo o final de semana,” disse ele. “Para mim, os pneus afrouxaram rapidamente e tivemos granulação”. 

“O pneu médio parecia ser mais durável. Na primeira tentativa tive uma boa sensação e foi uma boa volta. Então pensei que o tempo deveria ser fácil. Mas não consegui fazer os pneus funcionarem”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Neste fim de semana, a F1 visita Portimão, para o GP de Portugal. E uma equipe que vem se destacando na temporada 2020 é a Renault, que vem mostrando muita consistência, com Daniel Ricciardo entre os seis primeiros nas últimas quatro provas. Pode ser uma boa aposta para o fim de semana hein?  Quer saber mais? Confira o ThePlayer.com e não perca nada!

Q4: Assista ao debate sobre o treino classificatório para o GP de Portugal de F1, com Lucas Foresti

PODCAST: O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

 

F1: Pai de Petrov é assassinado com tiro na Rússia após piloto atuar como comissário na classificação do GP de Portugal

Artigo anterior

F1: Pai de Petrov é assassinado com tiro na Rússia após piloto atuar como comissário na classificação do GP de Portugal

Próximo artigo

F1: Hamilton explica escolha ‘improvável’ de pneus médios para pole position

F1: Hamilton explica escolha ‘improvável’ de pneus médios para pole position
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble