F1: Magnussen ficou com receio de causar acidente com líderes do GP da Turquia, diz chefe da Haas

compartilhar
comentários
F1: Magnussen ficou com receio de causar acidente com líderes do GP da Turquia, diz chefe da Haas
Por:
Co-autor: Oleg Karpov

Gunther Steiner diz que piloto reclamou mais de uma vez da baixa visibilidade traseira enquanto era retardatário

O chefe da Haas na Fórmula 1, Gunther Steiner, explicou que Kevin Magnussen queria ter abandonado o GP da Turquia porque temia que a baixa visibilidade traseira pudesse desencadear um acidente com carros mais rápidos.

Magnussen estava tendo dificuldades com a baixa visibilidade traseira por causa dos espelhos sujos e estava preocupado em prejudicar os carros mais rápidos.

Leia também:

Ele recebeu do engenheiro informações detalhadas sobre a aproximação do tráfego, como costuma acontecer nos treinos ou nas sessões de qualificação, quando existe a ameaça de penalidade de impedimento.

O dinamarquês ainda perdeu muito tempo nos boxes quando lhe disseram para parar após uma suspeita de saída insegura, e teve que ser puxado de volta e ter pneus novos colocados antes que pudesse retornar à pista.

Depois que o atraso nos boxes o colocou na frente de carros mais rápidos, ele manifestou sua frustração com a baixa visibilidade, afirmando mais de uma vez que era "perigoso".

A certa altura, Magnussen disse: "Você tem me ouvido? Não consigo ver nada", acrescentando mais tarde: "Cara, não consigo ver porra nenhuma ..."

Quando seu engenheiro disse que entendia, Magnussen respondeu: "Alguém aí não entende."

 

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

A equipe o manteve na pista esperando que um eventual abandono de vários carros pudesse beneficiá-lo, e também porque seu bom ritmo fez com que ninguém se aproximasse.

Porém, com Lando Norris prestes a alcançá-lo, ele foi chamado aos boxes para abandonar na penúltima volta. O piloto acabou o GP em 17º, três voltas atrás do vencedor Lewis Hamilton.

"A dificuldade era que ele não conseguia ver nada que estava atrás, por causa dos espelhos", disse Steiner. “Acho que estavam sujos e com todo o spray não dá para ver nada na parte traseira.”

"E estar em meio a bandeiras azuis é muito difícil se você não vê na parte de trás, e ele não queria prejudicar a corrida de ninguém”.

“Ele começou a dizer isso a cerca de 12 voltas do fim. E uma corrida como essa nunca se sabe se na frente há um caos acontecendo."

“Depois que o grupo dos líderes passou, o cenário estava bem sob controle. Monitoramos o tempo e dissemos que ninguém vinha por pelo menos 10 segundos, e ele manteve os 10 segundos acima.

“Então decidimos mantê-lo na pista, e o carro estava indo bem. Quer dizer, as chances de uma oportunidade eram muito pequenas, mas você não pode simplesmente desistir.”

"Mas falamos com ele depois e explicamos a situação para ele. Nessas corridas, o caos pode acontecer com um grupo de seis carros, cada um fica de fora e de repente você está em uma posição melhor e é beneficiado."

Veja como a sujeira do GP da Turquia revelou os 'segredos' aerodinâmicos dos carros da Fórmula 1

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

 

Diretor da Renault coloca Ricciardo e mais três nomes em "outro patamar" na F1

Artigo anterior

Diretor da Renault coloca Ricciardo e mais três nomes em "outro patamar" na F1

Próximo artigo

Diretor da F1 diz que ‘desempregado’ Pérez é piloto que maximiza resultados

Diretor da F1 diz que ‘desempregado’ Pérez é piloto que maximiza resultados
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Kevin Magnussen
Autor Adam Cooper