F1: McLaren reclama de ‘puxadinho’ e colaboração entre Ferrari e Haas

Andreas Seidl, chefe da equipe britânica, quer que todos os funcionários da Haas trabalhem na fábrica da equipe americana, sem ajuda da escuderia italiana

F1: McLaren reclama de ‘puxadinho’ e colaboração entre Ferrari e Haas
Carregar reprodutor de áudio

A introdução de um novo teto orçamentário mais exigente trouxe à tona dúvidas sobre os limites da cooperação entre as diferentes equipes no grid da Fórmula 1.

Não é segredo dizer que a Haas usou algumas peças da Ferrari nos últimos anos, mas agora sua colaboração parece ter dado um passo adiante, com alguns funcionários da equipe italiana, que Mattia Binotto foi forçado a demitir devido a cortes, trabalhando para a Haas, mas ao mesmo tempo, permanecendo em Maranello.

Leia também:

Devido a esta decisão, a estrutura americana criou sua própria sede ou departamento na fábrica de Maranello, para realizar operações conjuntas com a Ferrari sob o mesmo teto, um dos motivos que disparou alarmes entre suas equipes rivais.

Além disso, a Haas é conhecida por ser a única equipe do grid que não fabrica seus próprios chassis: a Dallara faz isso por eles. No entanto, isso ficou em segundo plano na última temporada, pois os americanos estavam fora da disputa, mas agora estão de volta ao meio do grid e parece que a situação está começando a ficar irritante, especialmente para a McLaren.

"Quero que todos entendam que nossa posição não depende da velocidade de nossos rivais, se a Haas é rápida ou lenta", disse o chefe da McLaren, Andreas Seidl, após as três primeiras corridas da temporada.

"Nossos princípios não mudaram ao longo dos anos. E acreditamos que não importa quantas equipes existam na Fórmula 1, sejam 10, 11 ou 12, todos devem fabricar seus próprios carros. E isso significa que é impossível trocar informações entre várias equipes.

"Você pode usar as unidades de potência e caixas de câmbio de outras equipes, mas não deve compartilhar infraestrutura, em hipótese alguma, porque assim que duas equipes começam a trabalhar sob o mesmo teto, a troca de informações é inevitável."

“A FIA diz que é difícil policiar essas coisas. Então vamos proibir isso, já que é difícil de controlar. Em primeiro lugar, a equipe inferior tem uma grande oportunidade de conseguir resultados mais positivos. Em segundo lugar, a equipe líder também ganha uma vantagem ao trabalhar em conjunto 'com seus amigos'.

"Felizmente, neste momento estamos tendo um diálogo entre as equipes, a FIA ​​e a Fórmula 1. E estou convencido de que nos próximos anos chegaremos a um acordo para que a situação melhore", concluiu o comandante da McLaren.

Leclerc IMITA Rosberg, chega à MARCA DE CAMPEÃO e iguala ALONSO; já MAX tem taxa PIOR que LATIFI

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #173: Qual tamanho dos problemas de Verstappen e Red Bull?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

compartilhar
F1: Wolff reafirma que teste com Grosjean na Mercedes vai acontecer
Artigo anterior

F1: Wolff reafirma que teste com Grosjean na Mercedes vai acontecer

Próximo artigo

F1: Pirelli tem dificuldades em achar datas para testes em 2022

F1: Pirelli tem dificuldades em achar datas para testes em 2022