Fórmula 1 GP de Miami

F1: McLaren se defende de críticas após visita de Trump no GP de Miami

Vencedor da etapa, Norris também falou sobre o encontro com o ex-presidente, que considerou ser um 'amuleto da sorte' para o piloto britânico

Donald Trump, 45th President of the United States, Zak Brown, CEO, McLaren Racing

Foto de: Steven Tee / Motorsport Images

Após críticas nas redes sociais, a McLaren veio à público explicar que uma visita do ex-presidente americano Donald Trump aos boxes da equipe no GP de Miami de Fórmula 1 não representa uma forma de apoio à campanha do político, que disputa o pleito presidencial novamente neste ano contra Joe Biden.

Em meio à campanha para a eleição de novembro deste ano, Trump, que também enfrenta problemas legais com a justiça de Nova York, fez uma polêmica aparição no paddock de Miami no domingo, tendo sido visto em conversas com importantes nomes do esporte.

Leia também:

O ex-presidente também publicou fotos nos boxes da McLaren e em conversas com o CEO Zak Brown, enquanto vários fãs nas arquibancadas entoavam cantos de apoio. Mas a natureza controversa de Trump também levantou debates sobre porquê a F1 e a McLaren haviam dado a ele uma plataforma internacional de mídia, com o time britânico explicando que a decisão não tinha motivação política.

Em um comunicado, a equipe disse: "A McLaren é uma organização apolítica. Porém, reconhecemos e respeitamos o Gabinete do Presidente dos Estados Unidos. Então, quando o pedido foi feito para a visita à nossa garagem no dia da corrida, aceitamos o pedido junto com o presidente da FIA e os CEOs da Liberty Media e da F1".

"Ficamos honrados pelo fato da McLaren Racing ter sido escolhida como a representante da F1, o que nos deu a oportunidade de mostrar a engenharia de ponta que trazemos para o automobilismo".

Lando Norris, McLaren F1 Team, 1st position, is congratulated by Donald Trump

Lando Norris, McLaren F1 Team, 1st position, is congratulated by Donald Trump

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

A visita de Trump à McLaren coincidiu com a primeira vitória da equipe desde o GP da Itália de 2021, marcando também o primeiro triunfo de Lando Norris. Falando após a corrida, o britânico disse que o ex-presidente o parabenizou - chamando-o de "amuleto da sorte".

Falando sobre ter Trump nos boxes, Norris disse: "Não vi ele lá, para ser honesto. Estava ocupado me preparando para a corrida. Mas ele me viu depois e veio me parabenizar. Então diria que é uma honra, porque quando você tem uma pessoa dessas, deve ser uma honra, porque eles tiram tempo de suas vidas para mostrar respeito pelo que você fez".

"Ele brincou que foi meu amuleto da sorte pela vitória. Então não sei se ele virá para mais corridas agora. Mas sim, há várias pessoas especiais ou legais que estiveram aqui neste fim de semana. Donald é uma pessoa que é preciso respeitar de várias formas".

"E sim, para qualquer um que reconhece o que você pode fazer, reconhecer a ética do seu trabalho, sou grato por isso. Então foi um momento legal".

NORRIS vence 1ª, mas RBR está AMEAÇADA em 2024? Wolff IRONIZA chefão taurino, a F1 pós-Miami e mais

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

PÓDIO CAST #9 - Tudo sobre as novas regras da MotoGP para 2027 e a prévia do GP da França

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Artigo anterior F1: Marko estaria disposto a fazer ‘sacrifício’ para saída de Verstappen da Red Bull
Próximo artigo F1: Horner faz aposta para futuro de Newey

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil