F1: Mercedes foi a "criadora dos próprios problemas" na Áustria

Andrew Shovlin explicou como que a classificação ruim no sábado impactou a performance do domingo e os problemas que a equipe teve com o pneu C5

F1: Mercedes foi a "criadora dos próprios problemas" na Áustria
Carregar reprodutor de áudio

Para o diretor de engenharia de pista da Mercedes, Andrew Shovlin, a equipe alemã tornou-se "a criadora dos próprios problemas" após uma péssima performance na classificação, que acabou com qualquer chance real de desafiar o atual líder da Fórmula 1 Max Verstappen.

No domingo, Verstappen conquistou a quinta vitória consecutiva da Red Bull, dominando novamente o GP da Áustria e estendendo para 32 pontos a vantagem para Lewis Hamilton no Mundial de Pilotos.

Leia também:

O heptacampeão acredita que perdeu um "segundo lugar fácil" após sofrer com danos na traseira de seu carro, fazendo com que perdesse posições para Valtteri Bottas e Lando Norris, terminando em quarto.

E enquanto o segundo e quarto lugares representam uma evolução em comparação aos resultados da classificação, com Hamilton e Bottas saindo em quarto e quinto, Shovlin disse que a equipe não está feliz com o resultado.

"Acho que ficaríamos satisfeitos com um segundo e terceiro que, realisticamente, é o melhor que poderíamos ter feito", disse. "Fomos os criadores dos nosso próprios problemas com a péssima classificação ontem. Isso tornou muito, muito difícil sequer pensar em desafiar Max".

"Na realidade, seu ritmo era forte demais, a ponto de que, mesmo se Lewis tivesse começado a corrida atrás dele, não acho que teríamos desafiado".

"O carro não estava trabalhando bem e ainda tivemos os danos no carro de Lewis, com alguma deterioração de peças de aerodinâmica na traseira do carro, e isso lhe custou performance, o que foi o culpado pela queda de segundo para quarto".

"No geral, é um pouco frustrante, tanto do ponto de vista da performance quanto do fato de que tivemos que tentar manter o carro inteiro".

No sábado, a Mercedes viu ambas as Red Bulls se classificarem à sua frente, além da McLaren de Norris, que passou a maior parte do primeiro stint à frente de Hamilton e Bottas.

No momento em que Hamilton chegou ao segundo lugar, ultrapassando Norris na volta 20, a diferença para Verstappen já era de mais de nove segundos.

As dificuldades na classificação vieram apesar de uma boa exibição na sexta, com Hamilton comandando uma dobradinha da Mercedes no TL2.

Shovlin explicou que o uso do composto mais macio na Áustria, o C5, não trabalhou a favor da Mercedes no sábado como aconteceu na sexta, oferecendo uma performance menor em condições mais quentes.

"No geral, não fomos particularmente fortes aqui. Isso não é tão evidente com a diferença para a Red Bull quanto a pressão que recebemos da McLaren. E Lando fez um ótimo trabalho".

"Para alguns, essa pista não ajuda o carro, e não tivemos evoluções reais em nenhuma das duas corridas aqui. Então parece algo mais de longo prazo que precisa ser analisado".

"E no sábado o composto C5 não estava nos ajudando muito com as condições mais quentes do sábado em comparação à sexta. E isso é outro ponto. Não é que tenhamos feito algo de errado, mas quando você olha para a ordem a performance, é preciso reconhecer que há algo que estamos fazendo que não é certo".

F1 AO VIVO: PASSEIO de Verstappen, SOFRIMENTO de Lewis, POLÊMICA com Norris e ZICA de Pérez | PÓDIO

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Mercedes jogou a toalha para 2021 após derrota na Estíria?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - Norris: Pontos na superlicença deveriam ser reservados a atos que são "verdadeiramente perigosos"
Artigo anterior

F1 - Norris: Pontos na superlicença deveriam ser reservados a atos que são "verdadeiramente perigosos"

Próximo artigo

F1: Red Bull defende que motor de 2025 seja uma "folha em branco", abandonando modelo atual

F1: Red Bull defende que motor de 2025 seja uma "folha em branco", abandonando modelo atual
Carregar comentários