Fórmula 1 GP da Emilia Romagna

F1 nega interesse por etapa em Chicago e mira expansão de GPs na Ásia

Mudança de visão da Liberty Media deve ter impacto nas etapas europeias para o futuro

Lance Stroll, Aston Martin AMR24 e Yuki Tsunoda, VCARB 01

Foto de: Mark Sutton / Motorsport Images

A Fórmula 1 negou os rumores de adicionar uma quarta corrida nos Estados Unidos, em Chicago, revelando que seu interesse atual está em expandir sua presença na Ásia, um movimento que deve impactar as provas europeias.

Desde que a Liberty Media, sediada nos Estados Unidos, assumiu o controle da F1 em 2017, uma de suas principais prioridades foi explorar o potencial da categoria nos Estados Unidos, acrescentando corridas em Miami e Las Vegas ao atual GP dos Estados Unidos, em Austin.

Leia também:

Na esteira do boom de popularidade da F1, um grande número de patrocinadores americanos se juntou à série, sendo a HP a mais recente a embarcar com a Ferrari. O primeiro GP de Las Vegas do ano passado, promovido pela própria F1, também foi um grande sucesso comercial, alimentando rumores de que a categoria estava interessada em adicionar um quarto evento no país.

Mas, segundo apurado pelo Motorsport.com, a Liberty Media está satisfeita com sua atual distribuição de corridas nas Américas, que também inclui eventos populares em Montreal, Cidade do México e São Paulo. Os rumores de uma nova corrida em Chicago foram firmemente descartados.

Em vez disso, a série está olhando para o Extremo Oriente como um mercado que ainda não foi atendido. O GP da Malásia saiu do calendário em 2017, deixando apenas Cingapura, Japão e China no calendário, enquanto os esforços para levar a F1 ao Vietnã não se concretizaram.

Mechanics make final preparations on the grid before the start

Mecânicos fazem os últimos preparativos no grid antes da largada

Foto de: Lionel Ng / Motorsport Images

A Tailândia parece ser a principal candidata a uma nova corrida no Sudeste Asiático, após conversas em abril entre o primeiro-ministro Srettha Thavisin e o CEO da F1, Stefano Domenicali. O governo tailandês está interessado em uma corrida de rua em Bangkok para impulsionar o turismo, e a Red Bull, de propriedade tailandesa, é considerada uma peça-chave nos bastidores para que a corrida aconteça.

Também houve conversas com a cidade portuária sul-coreana de Incheon sobre um retorno da F1 à península coreana a partir de 2026 ou 2027.

O que a busca da F1 pela Ásia significa para as corridas existentes

Mas, embora o interesse em novos eventos permaneça alto em todo o mundo, Domenicali enfatizou que não está pensando em expandir o calendário além do número atual de 24 corridas, com um número máximo de 25 fixado na versão atual do Pacto de Concórdia.

"Atualmente, acreditamos que um calendário de 24 corridas é o número ideal de eventos", disse Domenicali a analistas de Wall Street no início deste mês.

Em Ímola, falando à imprensa italiana, ele acrescentou: "Hoje, o número máximo de corridas que podem compor um calendário é 25 e, de minha parte, existe a vontade de manter esse número. Ir além disso significaria colocar em risco o momento que estamos vivendo".

"Estamos vendo um grande interesse de muitos países na F1, e isso obviamente representa uma oportunidade de desenvolvimento. Ao mesmo tempo, isso nos impõe a obrigação de fazer escolhas em termos de calendário".

"Estamos vendo um interesse crescente no Extremo Oriente e nos Estados Unidos, mas também um renascimento na Europa, muito provavelmente graças a Madri, que deu uma sacudida quando todos pensavam que ninguém no Velho Mundo estava interessado em fazer algo novo".

Sergio Perez, Red Bull Racing

Sergio Perez, Red Bull Racing

Foto de: Red Bull Content Pool

Parece claro que algo terá que ser feito, então, com várias corridas europeias ficando sem contrato após 2025, incluindo as corridas italianas em Imola e Monza, bem como o par Bélgica - Holanda.

Apesar da imensa popularidade de Max Verstappen, acredita-se que o rodízio entre Zandvoort e Spa ainda seja uma opção a partir de 2026, mesmo que os investimentos de Spa em suas instalações e na experiência dos torcedores tenham dado um impulso a esta última.

Monza também está investindo em sua infraestrutura envelhecida, enquanto Ímola - que, segundo consta, ainda espera recuperar sua edição cancelada de 2023 em 2026 - tem muito a recuperar. Domenicali reconheceu que seria um desafio para os dois clássicos locais italianos permanecerem.

"A Itália é fundamental para o calendário da F1, mas precisamos abordar questões importantes relacionadas aos recursos que o país pretende investir e à infraestrutura, porque precisamos mudar o ritmo, melhorando a segurança das pistas de corrida e os serviços oferecidos ao público", disse ele ao La Gazzetta dello Sport.

"No final de agosto, em Monza, faremos um balanço com as instituições governamentais e a [Federação Italiana de Automobilismo] ACI. Ainda é possível que a Itália mantenha duas corridas depois de 2026, mas, realisticamente, acho que será bastante difícil".

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Charles Leclerc, Ferrari SF-24

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

Barcelona, que ainda tem um contrato até 2026, também está sentindo a pressão da nova corrida da F1 em Madri, que estreará no mesmo ano.

Um novo evento de fãs para 2024 no coração da capital catalã, incluindo uma corrida de demonstração no histórico Paseo de Gracia, impressiona a F1, mas as pessoas que participaram da corrida nos últimos anos argumentarão que as instalações de Montmeló não estão entre as melhores do calendário atual.

Recentemente, as autoridades locais deram luz verde a um acordo para que a organizadora de eventos Fira de Barcelona, que é co-anfitriã do Mobile World Congress, assuma as operações do circuito e o torne menos dependente apenas de suas atividades de automobilismo.

A luta para permanecer no calendário não é necessariamente uma luta entre o antigo e o novo ou entre os circuitos de corrida tradicionais e as corridas de rua, como sempre foi retratado.

Em vez disso, sob o comando da Liberty Media, a categoria elevou enormemente seus padrões em termos do que se espera de um circuito moderno de F1, incluindo a experiência dos fãs, a infraestrutura do local, a capacidade hoteleira, o transporte, a hospitalidade e os esforços de sustentabilidade.

Isso significa que o "Velho Mundo", como Domenicali o chama, precisou se equiparar aos eventos de alto nível no Oriente Médio e nas Américas, o que é mais fácil de fazer em locais que podem contar com generosos subsídios governamentais.

Não é coincidência que o bem apoiado GP da Hungria, em Budapeste, que também está investindo em um novo paddock e arquibancadas modernizados, tenha assinado uma extensão de contrato até 2032, sendo uma das poucas corridas europeias a obter segurança de longo prazo.

Start action

Ação de largada

Foto de: Alfa Romeo

Domenicali foi muito claro ao dizer que os locais precisam aceitar a visão da F1 de como deve ser um GP em 2024, ou correm o risco de perder o barco.

"O trabalho realizado no circuito de Hungaroring confirma que os movimentos da F1 estão ajudando a elevar o nível das instalações que permaneceram um tanto sedentárias ao longo dos anos", disse ele. "Digo isso de uma forma muito construtiva: se não houver vontade de investir, trabalhar e fazer projetos em conjunto, mesmo a longo prazo, haverá o risco de perder a F1".

"Até o final deste ano, teremos algumas escolhas importantes a fazer".

Leclerc 1º, VERSTAPPEN SÓ 7º E BEM IRRITADO, Yuki 3º. Newey BOICOTADO? Brasil brilha na F2 em Ímola!

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast #282 – Histeria contra Hulkenberg na F1 é justificável?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 AO VIVO: Acompanhe o TL3 para o GP da Emilia Romagna em Tempo Real
Próximo artigo F1: FIA e equipes querem acabar com estratégias de Magnussen

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil