F1: Pilotos comentam o que esperar da aderência de Istambul; Leclerc quer asfalto escorregadio

Monegasco da Ferrari disse que condições adversas de 2020 ajudaram a Ferrari a conquistar boas posições e deseja uma repetição este ano

F1: Pilotos comentam o que esperar da aderência de Istambul; Leclerc quer asfalto escorregadio

Charles Leclerc espera que a superfície da pista de Istambul reformulada "ainda esteja escorregadia" depois que as condições de baixa aderência de 2020 beneficiaram a Ferrari, enquanto vários rivais da Fórmula 1 torcem para que a situação tenha melhorado consideravelmente.

Antes do GP da Turquia deste fim de semana, o circuito de Istambul foi bombardeado com água para tornar a superfície mais áspera, seguindo uma recomendação da FIA no rescaldo do evento do último ano.

Leia também:

A superfície foi restaurada com asfalto fresco antes do retorno da Turquia ao calendário da F1 pela primeira vez desde 2011, mas como o trabalho foi concluído apenas três semanas antes da corrida de 2020, não houve tempo suficiente para a pista refinar e o betume permaneceu saturado com óleos escorregadios.

Essa situação, aliada ao fato da Pirelli ter trago os pneus mais duros de sua gama no ano passado, deixou os pilotos lutando para aumentar a temperatura dos mesmos e se sentindo como se estivessem pilotando em uma superfície "pior do que gelo", segundo Lando Norris.

A chuva durante os dois dias finais do fim de semana exacerbou suas lutas, com vários carros rodando - alguns várias vezes - durante a prova que terminou com a vitória de Lewis Hamilton e seu sétimo título mundial.

O trabalho de jateamento de água, que o Motorsport.com entende que só foi concluído nas últimas semanas, visa tornar a superfície mais áspera para aumentar os níveis de aderência, com a Pirelli também mudando sua escolha de compostos um passo mais 'leve' para 2021.

Leclerc disse que "lembra que muitas pessoas reclamaram [em 2020]", mas foi um dos únicos que ficou "realmente feliz que fosse assim" porque ele e Ferrari eram competitivos e lutaram por posições.

Grandstand

Grandstand

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Ele continuou: "Obviamente um pódio era possível. Gostei daquele fim de semana - não acabou do jeito que eu queria, ficando logo abaixo do top 3 com o quarto lugar, mas no geral, foi positivo para nós e espero que possamos reproduzi-lo este ano."

"Ouvi dizer que algumas coisas mudaram - obviamente, eles lavaram a pista várias vezes. Então, vamos ver se está tão ruim quanto 2020. Eu não acho que estará, mas espero que ainda seja escorregadio e nos beneficie."

O piloto da McLaren, Daniel Ricciardo, explicou que o trabalho de jateamento de água deve "dar [à superfície da pista] mais algumas arestas para que possam fazer o pneu render um pouco mais."

Ele acrescentou: "Construtor profissional de pistas aqui!"

O companheiro de equipe de Leclerc na Ferrari, Carlos Sainz, disse que "todos esperam que seja melhor do que no ano passado" e que "seria uma grande surpresa ter as mesmas condições, porque 2020 foi muito difícil e também complicado de entender por que a aderência era tão particularmente baixa."

O espanhol também sugeriu que se o jato de água mudou consideravelmente o nível de aderência, então os carros poderiam encontrar degradação "extrema" dos pneus com o layout exigente da pista.

"Se for como Barcelona ou Silverstone - onde o asfalto é bem aderente - então também deve ser emocionante porque o desgaste dos pneus pode ser um grande problema. Talvez para meu interesse pessoal eu os queira do lado mais extremo. Então, mais coisas diferentes podem acontecer e talvez mais oportunidades surjam para mim."

Lance Stroll, Aston Martin, walks the track

Lance Stroll, Aston Martin, walks the track

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Lance Stroll, da Aston Martin, que conquistou a pole na molhada qualificação de 2020 e liderou a primeira metade da corrida antes de cair para a nona colocação, supostamente devido a danos na asa dianteira, disse que se os níveis de aderência melhoraram, a famosa Curva 8 multiapex de Istambul não deve ser "um grande desafio com os carros de hoje em dia".

O clima úmido também está previsto para impactar o evento de 2021 na Turquia, e o companheiro de equipe do canadense, Sebastian Vettel, disse que não "se importa se chover de novo" porque "foi uma boa diversão".

"Estava muito escorregadio no ano passado, esperamos que não esteja tanto este ano", disse o tetracampeão. "Dessa vez, temos espectadores, então para eles, provavelmente não é tão bom ter condições de chuva."

Valtteri Bottas, da Mercedes, que rodou seis vezes na prova de 2020, disse que sua equipe "aprendeu muito sobre os pneus" nos últimos eventos de 2021.

"Ultimamente, na chuva, não tem sido tão ruim”, comentou o finlandês. "[A equipe aprendeu] especialmente as temperaturas de operação e pressões para os compostos intermediários e de chuva."

"Realmente espero que esta pista tenha um pouco mais de aderência do que no ano passado, porque foi extremo, mesmo no seco. Então, estou ansioso para ver como está."

F1 2021: Hamilton VAI TROCAR MOTOR na Turquia? Punições, últimas de Mercedes x RBR e o GP de SP | DIRETO DO PADDOCK

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #136 – Ju Cerasoli faz raio-X da rivalidade Hamilton X Verstappen de quem acompanha direto do paddock

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Vettel acredita que classificação seja ponto fraco da Aston Martin
Artigo anterior

F1: Vettel acredita que classificação seja ponto fraco da Aston Martin

Próximo artigo

Vettel pede que F1 olhe para "lado humano" antes de propor calendários extensos

Vettel pede que F1 olhe para "lado humano" antes de propor calendários extensos
Carregar comentários