F1: Red Bull analisa impacto do limite de custo na abordagem de desenvolvimento das equipes

Engenheiro-chefe do esquadrão destaca como disciplina precisou ser alterada para ficar dentro dos padrões financeiros

Sergio Perez, Red Bull Racing RB18

Em 2021, a Fórmula 1 introduziu seu primeiro conjunto de regulamentos financeiros restringindo as equipes a um orçamento anual de US$ 145 milhões. Inicialmente, isso foi definido para cair US$ 5 milhões por ano, mas foram feitas concessões extras para considerar o clima econômico e as crescentes taxas de inflação para 2023.

Leia também:

Embora as maiores equipes da categoria - Red Bull, Mercedes e Ferrari - continuem a dominar desde que o limite orçamentário entrou em vigor, é esperado que o meio campo seja mais nivelado ao longo do tempo e que a F1 se torne mais sustentável.

A Red Bull desfrutou de uma campanha dominante em 2022, já que o carro RB18 venceu 17 das 22 corridas, ajudando a equipe a conquistar os dois campeonatos pela primeira vez desde 2013. A equipe conseguiu se livrar da principal rival - a escuderia de Maranello, mas atualmente está enfrentando uma redução de 10% em sua permissão para testes aerodinâmicos como punição por violar o limite de orçamento em 2021.

Questionado pelo Motorsport.com sobre como foi difícil manter essa forma devido às pressões do limite de custo, o engenheiro-chefe da Red Bull Paul Monaghan disse: “Mudou a disciplina. Antes podíamos olhar para aspectos que poderiam ter sido mudanças maiores e nos custar mais dinheiro e estávamos em uma posição extremamente privilegiada para poder considerar fazê-lo.

“Isso mudou um pouco o rumo. Portanto, nossa disciplina de engenharia mudou para se adaptar a essas regras. O que assumimos nos anos anteriores, simplesmente não podemos assumir agora.”

Christian Horner, Team Principal, Red Bull Racing

Christian Horner, Team Principal, Red Bull Racing

Photo by: Erik Junius

Monaghan sentiu que o limite orçamentário era uma “faca de dois gumes”, pois “nos nega a capacidade de mudar necessariamente nossa posição no ranking de desempenho”. Mas ele acrescentou: “O mesmo é verdade para os outros. É uma disciplina que todos temos que desfrutar, igual para todos, vamos em frente e ver como nos saímos.”

O impacto do limite de orçamento levou as equipes a serem mais atenciosas com a abordagem de desenvolvimento de seus carros. Monaghan disse que houve "um pouco de desempenho" que a Red Bull não trouxe para RB18 devido a limitações de gastos, como uma atualização no final da temporada nos anos anteriores.

“É apenas uma maneira diferente de ser disciplinado”, disse ele. “Suponho que você poderia fazer a pergunta de uma maneira diferente: fizemos as peças certas em vez das peças menos valiosas para manter nosso ritmo de desenvolvimento? Em relação à nossa oposição, você pensaria que a resposta é sim.”

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #212 – Polêmica: as verdades inconvenientes sobre a F1

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Ferrari fará testes em Fiorano com Leclerc, Sainz e reservas
Próximo artigo F1: Netflix divulga data de lançamento da quinta temporada de Drive To Survive; veja teaser

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil