F1: Red Bull planeja construir novo túnel de vento para otimizar testes

Anúncio chama a atenção pelo momento vivido pela F1: enquanto os testes no túnel de vento são mais importantes do que nunca, a categoria pretende proibir seu uso a partir de 2030

F1: Red Bull planeja construir novo túnel de vento para otimizar testes
Carregar reprodutor de áudio

Mesmo com a FIA e a Fórmula 1 deixando clara sua intenção de limitar o trabalho de desenvolvimento das equipes ao CFD (conhecido como túnel de vento virtual) a partir de 2030, a Red Bull anunciou planos para construir um novo túnel de vento em Milton Keynes.

Caso esse plano seja levado adiante, os custosos túneis de vento, que hoje são usados para a maioria dos testes nas fábricas, seriam proibidos.

Leia também:

Por isso, é importante questionar o quão realista é esse projeto, porque algumas equipes seguem investindo rios de dinheiro em seus túneis de vento. Por exemplo, Aston Martin e McLaren estão avançados neste processo, e a Red Bull parece ir pelo mesmo caminho.

O time austríaco já está trabalhando em planos para construir um novo túnel de vento em sua fábrica em Milton Keynes. O objetivo da Red Bull é reunir todas as suas instalações em um mesmo local: a sede da equipe, o túnel de vento, a fábrica da Red Bull Powertrains e mais.

Com a equipe focada na construção da nova fábrica de motores, o túnel de vento deve ser um projeto para a sequência, como 2024: "Atualmente estamos na fase de obter as autorizações para tudo", disse o consultor Helmut Marko à Auto Motor und Sport e confirmada depois pelo Motorsport.com.

Tendo em conta a intenção da F1 de proibir os túneis de vento em menos de oito anos, parece que a ideia da Red Bull pode acabar sendo uma brincadeira cara demais, caso possam usá-lo por apenas seis anos. Mesmo assim, é um assunto confuso. Devido ao regulamento atual, o túnel de vento passou a ser ainda mais importante que antes.

Devido ao teto orçamentário e as restrições de testes em circuitos, as equipes não têm mais aquela margem de acerto e erro com as atualizações, tendo que garantir ao máximo que o que chega à pista renderá o resultado obtido. Com isso, as simulações valem ouro, literal e figurativamente.

Além disso, o tempo que as equipes passam no túnel de vento está limitado por uma nova regra que busca igualar o grid: quanto melhor você estiver no Mundial de Construtores, menos tempo de testes terá à disposição.

O atual túnel de vento da Red Bull oferece bons resultados, mas tem algumas limitações, como explicado pelo projetista Adrian Newey.

"Demora muito tempo para alcançarmos a velocidade de vento que desejamos. E isso nos custa uma parte significativa do túnel de vento, dentro do que temos por direito no regulamento".

Com os novos planos da equipe austríaca, esse processo pode ser mais rápido, o que permitiria à Red Bull fazer mais testes no tempo permitido. O que pesa na equação é a possibilidade de poder aproveitar a novidade por pouco tempo, mesmo após o investimento de milhões.

“MINI-MÔNACO” e pista INCOMUM que “PERDOA ERROS”: a MIAMI que a F1 vai encontrar, por ANDRÉ DUEK

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #176 – A ‘americanização’ da F1 vai contra o DNA da categoria?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Ferrari deve trocar motor de Leclerc para Miami, com novo MGU-K
Artigo anterior

F1: Ferrari deve trocar motor de Leclerc para Miami, com novo MGU-K

Próximo artigo

F1: Mercedes encontrou "diversos caminhos" que podem curar drama do porpoising

F1: Mercedes encontrou "diversos caminhos" que podem curar drama do porpoising