F1: Rivais minimizam impacto de combustível de 2022, diz Honda

Yasuaki Asagi crê na perda de potência dos motores com o E10 a partir da próxima temporada

F1: Rivais minimizam impacto de combustível de 2022, diz Honda
Carregar reprodutor de áudio

A Honda acredita que outros fabricantes da Fórmula 1 estão deliberadamente minimizando a dificuldade que todos estão enfrentando para recuperar a potência perdida devido à mudança para um combustível mais sustentável.

Como parte da revisão das regras para este ano, a F1 está exigindo que os carros usem combustível E10 – que é uma mistura de 90% de combustível fóssil e 10% de etanol.

Leia também:

Esperava-se amplamente que a mudança provocasse uma queda na potência, mas houve sugestões dos fabricantes de que eles conseguiram recuperar todas essas perdas.

Mas Yasuaki Asagi, da Honda, que anteriormente liderou o desenvolvimento da unidade de potência japonesa e continua envolvido no projeto renovado, está cético quanto a isso.

Falando ao Motorsport.com sobre quanta potência será perdida em 2022 por causa da mudança, ele disse: “Isso é um segredo.”

“Parece que outras empresas dizem que é quase o mesmo, mas, pelo contrário, fazer esse anúncio significa que é difícil obter a mesma potência do ano passado”.

Asagi disse que o desafio do novo combustível não foi fácil, embora houvesse alguns benefícios ocultos da mudança.

“A resposta ao combustível E10 é o maior [desafio]”, disse ele. “A arquitetura do motor já estava definida (com a nova unidade de potência de 2021), então fizemos mudanças para trazer o melhor desempenho com combustível E10.”

“Quando se trata do combustível E10, a potência e a energia que ele possui com o mesmo peso são reduzidas. Essa é a característica do álcool combustível.”

"Por outro lado, a combustão anormal (aquela gerada antes mesmo do acionamento da vela) do combustível antigo será mais fácil de controlar agora.”

"Estamos visando a máxima eficiência, mas com o combustível E10, a potência do motor também diminuirá e a quantidade de geração de energia também."

Honda Logo

Honda Logo

Photo by: Andy Hone / Motorsport Images

Asagi confirmou que grande parte do trabalho na unidade de energia de 2022 foi definido no final do ano passado.

“Sempre há pequenos detalhes e correções se houver problemas, mas se você não tivesse terminado o conceito ou o básico até o final do ano passado, não chegaria a tempo para a temporada”.

SERGIO MAURICIO defende Masi, sem “PASSAR PANO”, e “ADORA” POLARIZAÇÃO entre Hamilton e Verstappen

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

 

Podcast #159 – O que esperar da temporada 2022 da F1?

 
 

 

compartilhar
comentários
F1: Novo carro da Red Bull não teria passado em teste de colisão da FIA
Artigo anterior

F1: Novo carro da Red Bull não teria passado em teste de colisão da FIA

Próximo artigo

F1 - AlphaTauri: só teto de gastos não diminuirá diferença para grandes times

F1 - AlphaTauri: só teto de gastos não diminuirá diferença para grandes times